VÉU SETE
A Ilusão de Constância
Por Suzanne Lie PhD
Postado em 12 de dezembro de 2015
 
luz de gaia 
 
Lady Astrea, Lady Astrea.

Sim, eu de repente ouço a voz despertando em mim. Eu estou aqui, querida, está me chamando?

Ah, sim, eu respondo, suponho que sim. Eu não sabia que estava chamando, mas estou feliz por ter me respondido. Você supõe que eu lembrei e a chamei para me ajudar a retornar?

Poderia ser, querida. Mas venha, é sua vez para o círculo.

Outra vez entro no círculo familiar e novamente as Senhoras vêm a mim para assistir na remoção de ainda outro véu, e como antes, eu ouço Lady Leto dizendo: Querida, o véu que está sendo levantado nesta noite é a “Ilusão de Constância”. No seu planeta terreno, tudo parece ser constante. As árvores, as casas, as montanhas e campos todos parecem ser formas sólidas constantes de estrutura física.

Entretanto, isso verdadeiramente é uma ilusão, pois constância é relativa à sua constância de consciência. Tudo que é percebido pelos sentidos físicos é relativo ao estado de consciência no momento da percepção. O que pode parecer um céu claro e vazio em um estado de consciência pode, em outro estado de consciência, estar cheio de vida angélica e dévica. A consciência também auxilia na determinação da passagem de tempo.

Enquanto se está na consciência humana, o tempo é constante e precisa ser experimentado de uma forma linear. Na consciência humana, estruturas físicas parecem as mais constantes, pois a delimitação do tempo está sempre presente para estabilizar e mascarar quaisquer mudanças que podem estar ocorrendo além do espaço e tempo. Entretanto, na consciência “EU SOU”, o tempo não é mais um fator com que se precisa lidar de uma forma linear. Ao invés disso, o tempo pode ser usado como uma bússola para orientar a experiência consciente e as percepções para o foco desejado de tempo e espaço.

Agora o Irmão pega o véu e Hilarion fala: Querida, a única constância verdadeira é a consciência EU SOU. Toda percepção é relativa a um estado de consciência e, portanto, para controlar a percepção, precisa-se ser capaz de controlar a consciência. Todos os estados de consciência, tirando a consciência EU SOU, têm um componente humano e, portanto, uma falha inerente. A consciência EU SOU é do divino e, portanto, é perfeita.

Então, querida, em sua busca pela constância na vida terrena, procure pelo conhecimento adequado de si mesma para que possa manter a consciência EU SOU o tempo todo. Todas as questões humanas que atuam como âncoras para abaixá-la repetidamente ameaçam este estado de consciência.

Somente quando você for capaz de se afastar dessas âncoras humanas você será capaz de manter a consciência EU SOU. Como você tem experimentado, essa é uma tarefa de fato difícil. Entretanto, as únicas âncoras que realmente podem abaixá-la são as suas próprias questões. Portanto, meu amor, aprenda a se conhecer e amar o que você aprende. Ao fazer isso você pode transcender para a constância de seu próprio eu dimensionalmente superior.

O outro Irmão agora pega o véu e Apollo fala: O Sol é a estrutura física mais constante em sua galáxia. Claro, isso também é relativo ao foco da consciência. Enquanto na consciência humana, o Sol parece uma bola flamejante ardente, inalcançável e inabitável pelo homem. Entretanto, na realidade mais alta, ele é um grande templo, cheio de vida, tanto humana como divina. Claro, um humano pode não levar seu aparelho físico para esse templo nem pode alcançá-lo em uma vida se ele estivesse vinculado a uma estrutura física.

Aqueles vinculados ao tempo e espaço estão se esforçando para viajar pelos céus em suas estruturas físicas constantes, usando suas fontes de combustível vinculadas à Terra. Eles pouco sabem que, quando eles se libertam da ilusão do reino físico, eles podem ser transportados a qualquer lugar que suas mentes podem imaginar. A mente, livre da crença na limitação da terceira dimensão, pode experimentar e viajar por todo o universo em uma velocidade maior do que a velocidade da luz, pois a mente viaja na velocidade do pensamento.

Então, cada pensamento é a nave espacial pessoal. Cada pensamento pode permitir viajar, tornar-se, experimentar e saber tudo que é possível ou impossível. Enquanto você trabalha em suas âncoras físicas, determine cada uma que puxa pesadamente seu veículo. Aprenda a encontrar as crenças pessoais que amarram esse portal de parada para sua consciência. Não tenha medo da passagem do tempo nesse processo, pois poucos momentos terrenos passados neste empreendimento podem libertá-la por uma eternidade de toda a estrutura de tempo terrena.

Conheça suas âncoras para você poder puxá-las quando você deseja estar livre e deixá-las afundar quando você deseja a ilusão de constância da experiência.


Ah, sim, agora lembro como cheguei à floresta e como realmente vim para este lugar, eu pensei nele e então eu estava aqui. Agora me pergunto que se eu pensar na Terra de repente serei...

-.....---==I.||.I==----.....-
  Direitos Autorais:
Suzanne Lie PhD
Fonte: http://suzanneliephd.blogspot.com/
Tradução: Blog SINTESE
http://blogsintese.blogspot.com/
 
 
Gostou! Indique para seus amigos.
|Topo da Página| |Voltar Menu Suzanne Lie| |Voltar Home|