VÉU OITO
A Ilusão do Eu
Por Suzanne Lie PhD
16 de dezembro de 2015
luz de gaia
Deu certo. Deu certo. Pensei na Terra e então eu estava nela. Acordei na minha cama. Mas agora despertar tem um novo significado. Quando venho aqui, sinto como se despertei. Apesar de que eu preciso estar adormecida antes de vir aqui. Então, parece com adormecer quando vou embora daqui e preciso acordar antes de saber que retornei. Eu me pergunto se tudo isso é menos confuso quando se está na consciência “EU SOU”.

No “EU SOU”, minha querida, não há confusão, somente iluminação.

Ah, Lady Astrea, estou tão contente por vê-la novamente. Sinto sua falta quando estou na Terra.

Mas, minha querida, ela responde, eu não estou longe quando você está na Terra. Sempre que você me quiser, apenas pense em mim e eu a ouvirei e viajarei por seu raio de pensamento para lhe responder. Mas agora venha, minha queria, é sua hora de entrar no círculo.

Por que ela me traz para o círculo quando eu apenas quero fazer uma pergunta? Ah sim, eu lembro, as perguntas meramente são uma forma de dúvida. O círculo brilha ao me redor quando as Senhoras se aproximam. Eu aprendi que não mais duvido dessa experiência. Posso não entendê-la, mas não mais a questiono. Enquanto as Senhoras tiram o véu eu ouço Lady Leto falando: Querida, o fio que prende o véu de ilusões é a emoção. Conheça a emoção que você sente agora. Permita que ela se comunique com você e lhe dê a informação que você precisa, então a libere para você poder continuar com seu trabalho.

O véu que é erguido nesta noite é “A Ilusão do Eu”. Nessa ilusão, a importância pessoal é uma fonte de recompensa e sucesso externos. O “eu” não é igual ao “Eu”, pois muitos “eus” formam o “Eu” e muitos desses “eus” nem são de uma vida. Entretanto, a humanidade tem posto tanto esforço no estabelecimento do pequeno “eu” que os humanos começam a acreditar que isso é tudo que eles são. Os humanos começam a acreditar que eles são o corpo e que são regidos pelo ego. Como bebê e criança pequena, sabe-se que não há separação e que tudo na Terra é um. Bebês e crianças pequenas “sabem” que um corpo contém sua essência e que eles realmente são muito mais do que uma forma física. Visto que o mundo em que elas nascem ainda não está preparado para esse conceito, as crianças são ensinadas a se tornar seu corpo, a focalizar toda atenção na forma física e a se tornar um “eu”.

Com a liberação desse véu, você começará a conhecer e entender todos os desejos, metas, necessidades e recompensas desse “eu” pequeno. Observe cada um deles através dos olhos do “Eu” e libere todos eles como partículas de uma ilusão.

E agora o poderoso Hilarion fala: Ser capaz de se tornar um com o Eu Superior é uma tarefa vasta e espetacular. Posso me lembrar de como sofri em minhas vidas terrenas para realizar essa tarefa. Meu ego era forte e se ressentia com a morte dele. Você, querida, tem se esforçado para estabelecer um sentido do “eu” para que possa se relacionar melhor com o mundo que sempre pareceu um planeta estranho para você. Portanto, de fato pode ser difícil desistir daquilo que você tentou tão arduamente descobrir.

Agora libere a ilusão de que este “eu” pequeno e solitário é todo você. Ao invés, se entregue ao Eu Superior que você sempre sentiu por perto. Não tema as ramificações. Eu conheço as razões para a construção da ilusão do “eu” e necessariamente enquanto se aprende as lições terrenas. Entretanto, quando se muda para o estágio de mestre, tem-se interiormente as respostas.

Libere esse pequeno papel com todas as emoções assustadoras e conflitos terrenos dele. Você não precisa mais sofrer para aprender, pois agora você pode aprender através de ensinar. Sinta a presença dos mestres em seu veículo físico. Observe como tudo que era “real” desaparece em um símbolo. Conheça a Terra como ela verdadeiramente é – uma sala de aula de evolução humana. Junte agora seus diplomas e deixe as carteiras escolares. Suba no pódio e permita seu Eu Superior habitar o veículo que você trabalhou tanto tempo para preparar.

Apesar de eu pouco entender o que Hilarion acabou de dizer, agora Apollo acrescenta: Eu entendo como é uma tarefa difícil para você compreender, e eu sei que exigirá toda a coragem que você possui. Negar o sofrimento que lhe disse que você estava viva é verdadeiramente encarar a morte. Morra agora, querida. Morra para as dificuldades, morra para as restrições, morra para a crítica e morra para o amor humano. Veja seus anjos de Ressurreição e sinta sua objetividade divina, pois você está unida com seu Eu Superior. Descarte cada emoção, pois a emoção significa uma reação à sua vida tridimensional. E então ouça, observe e entenda a mensagem passada da terceira dimensão para seu Eu Superior. Olhe para todas as Ilusões que mantêm o “eu” no lamento e recompensa. Saber da morte do “eu” é sentir e estar na vida eterna.

Quando os mestres terminam de falar, minha mente está rodopiando. Como eles podem saber tanto a meu respeito pessoalmente? Apesar de ainda não lembrar muito bem minha vida terrena, tenho certeza de que não foi nada significante. Como eles podem saber ou até se importar com uma pequena pessoa como o meu “eu”?

Porque você nos chamou. Eu ouço a voz amorosa de Lady Astrea respondendo ao meu pensamento. Agora percebo que de alguma forma viajei para fora do círculo ou, talvez, ele me deixou.

Como você ouve meus pensamentos, Lady? Finalmente faço a pergunta.

Querida, a mim não importa qual voz você usa quando ouve somente ao seu coração. Nós das dimensões superiores só estamos preocupados com as questões da Terra que afetam o verdadeiro coração. Todo o resto é meramente uma lição passada e repassada. As vidas e pensamentos do reino humano somente nos importam quando os humanos chegam ao ponto de sua evolução quando eles pedem pela intervenção divina a partir de seus corações e realmente a aceitam. Não é que não amemos todos da humanidade, mas sim que eles são incapazes de aceitar nossa assistência. Enquanto tiverem todos os seus sentidos focalizados no mundo físico, eles são prisioneiros desse mesmo mundo que eles acreditam que é tudo o que existe.


Eu mal pude ouvir as últimas palavras dela, pois sei que agora estou indo embora. Ah, por favor, deixe-me lembrar do que aprendi aqui. Ah, por favor, ajude-me a estar desperta na Terra...
-.....---==I.||.I==----.....-
  Direitos Autorais:
Suzanne Lie PhD
Fonte: http://suzanneliephd.blogspot.com/
Tradução: Blog SINTESE
http://blogsintese.blogspot.com/
 
 
Gostou! Indique para seus amigos.
|Topo da Página| |Voltar Menu Suzanne Lie| |Voltar Home|