NAVE MÃE, MYTRE & KEPIER - PARTE 10
TEMPO DE LEMBRAR A BILOCAÇÃO II
Por Suzanne Lie PhD
Em 08 de dezembro de 2012
 
 
 
Meu eu Merkaba estava pronto para se projetar para as coordenadas de qualquer dada realidade, mas sabia que o eu Mytre não se sentia pronto para experimentar autorizar-se a esse grau de aparente separação. O meu humanoide ouviu meu Merkaba dizer: "Quando Mytre se lembrará de que a separação é a maior ilusão de todas?".

MYTRE CONTINUA:

AGORA estou preparado para liberar a ilusão da separação.

Eu não tinha ideia de que a ilusão ainda estava escondida no meu subconsciente.

Limitações antigas podem se esconder no subconsciente quando não são eliminadas por experiências novas.

Claro, minha bilocação somente é nova para esta versão do meu EU Multidimensional.

Dito isto, estou pronto para bilocar.

Para esta experiência inicial, eu sabia que precisava bilocar para um local ou uma pessoa com que eu tivesse uma ligação emocional.

Assim, alegremente escolhi bilocar para Mytria.

Decidi manter minha amada em minha Mente-Coração enquanto cumpria meus deveres diários.

Eu não deveria dizer isto, mas tinham coisas que eu precisava concluir, por segurança.

Passei meu dia cumprindo minhas obrigações com o conhecimento de que veria Mytria e Alycia no final do meu dia.

Esta aceitação calma de minha aventura iminente ajudou-me a estabilizar meus pensamentos e emoções e a aumentar minha confiança.

Naquele dia, fiz questão de olhar nos olhos de cada um de meus colegas e dar-lhes um momento de minha atenção e gratidão.

Passei cada momento do meu dia em gratidão e alegria.

Fui tão abençoado por ser um membro desta maravilhosa Nave Mãe.

Combinei jantar com Kepier para lhe contar meus planos.

Porém, antes que eu pudesse lhe contar, ela me deu suas bênçãos e total apoio em relação à minha bilocação.

Assim, eu agradeci e nós conversamos casualmente como se bilocação fosse comum.

Após o jantar com Kepier, eu queria contar para o Arcturiano.

Porém, eu tinha certeza de que ele já sabia.

Eu não o vira o dia todo, o que era bastante anormal, mas não pensei nisso.

Entretanto, quando eu não consegui contatar o Arcturiano, fiquei preocupado.

Sempre consegui simplesmente sentir a Essência do Arcturiano ao meu lado.

Talvez esta fosse outra coisa que eu teria de fazer por conta própria.

Deixando de lado meu desapontamento, fui para meu alojamento, deixei uma nota sobre meu empreendimento, garanti que tudo estivesse limpo e organizado e me sentei para meditar.

Imediatamente o Arcturiano encheu minha Mente-Coração.

Estava me procurando fora do seu EU outra vez?

Eu sorri e enviei ao Arcturiano minha mais profunda gratidão e amor incondicional.

Obrigado - ele sussurrou em minha Alma.

Então firmei minhas intenções no SENTIR Mytria.

Esta era uma tarefa simples, pois ela estava eternamente em meu coração desde que a deixei.

Mas agora eu senti alegria onde antes eu sentia tristeza.

Então, relaxei profundamente em minha meditação e permiti as luzes interiores gradualmente criarem o contorno da Merkaba.

Enviei um cordão de aterramento através do meu eu Mytre e projetei minha consciência para a Merkaba.

Meu campo de energia Merkaba estava muito mais calmo agora e cheio de minha intenção de estar com Mytria.

Levou-me um longo momento para perceber meu quarto tanto da perspectiva do meu eu Mytre como do meu eu Merkaba.

Enviei uma requisição rápida ao Arcturiano para guardar minha forma Mytre e focalizei minha atenção dentro da Merkaba.

Com a maior parte da minha atenção focalizada na minha Merkaba eu pude totalmente sentir meu eu de um modo único.

Eu sempre pensei em mim como a minha forma, mas agora eu estava me experimentando como energia.

No início contive minha energia na Merkaba, mas então permiti que ela se movesse além da Merkaba e para fora do meu alojamento.

Então eu a puxei de volta para a Merkaba e aí projetei-a novamente para que preenchesse o quarto.

Após praticar o controle do campo de energia da minha Merkaba, focalizei minha atenção no SENTIR Mytria.

Imediatamente senti um amor profundo e também uma sensação de boas-vindas.

Ela sabia que eu estava a caminho para vê-la?

Claro. Eu penso em você todo dia, tal como você pensa em mim. - eu ouvi sua voz suave ecoar por toda a Merkaba.

Eu estava totalmente calibrado para a minha destinação.

Agora eu tinha que confiar completamente no meu EU e me entregar totalmente - a quê?

A que eu deveria me entregar?

Entregue-se à sua Alma.- chegou a orientação interior do Arcturiano.

Eu não pensava no conceito de minha Alma já há algum tempo, mas eu imediatamente pude sentir essa energia.

Visto que minha Alma tinha toda a Sabedoria, Poder e Amor de todas as minhas inúmeras encarnações em forma, ela sabia exatamente o que eu estava fazendo e por quê.

Portanto, eu entrei no SENTIR de minha Alma com a destinação de Mytria dentro de meu coração.

Quando me entreguei totalmente à minha Alma, o campo de energia da minha Merkaba ficou alerta e centrado.

Ele tinha as coordenadas e permissão.

Tentei dividir minha atenção entre meu eu Mytre e meu eu Merkaba, mas como senti uma sensação anormal de movimento enquanto também permanecia imóvel, eu pude somente me focalizar na Merkaba.

Com toda minha atenção na Merkaba, o movimento lento se acelerou.

De repente senti um movimento que parecia mais rápido do que a luz, mas minha percepção permaneceu focalizada somente no campo de energia ao meu redor.

Assim, eu sentia como se estivesse me movendo, mas meus sentidos de visão e audição não registraram uma alteração.

Por outro lado, eu senti um movimento intenso tanto sinestesicamente como emocionalmente.

Mas meus pensamentos estavam somente na minha destinação e não registraram mudança.

Então, quase que instantaneamente, eu estava no lago na natureza onde eu conheci Mytria.

Lembro-me de que na primeira vez que nos encontramos, eu fora enviado para localizá-la, pois seus amigos estavam preocupados com o desaparecimento dela.

Estava quase escuro, igual à primeira vez.

Mas daquela vez eu estava aborrecido por ela não se referir a mim por um tempão.

Mas desta vez meu coração explodiu de alegria ao ver seu lindo corpo nadando no lago frio.

Eu me senti como duas pessoas, na verdade, três pessoas.

Uma pessoa estava no meu alojamento na Nave, a outra era a pessoa que eu era quando conheci Mytria e também a pessoa que estava bilocando.

A minha presença na Nave parecia a de uma pessoa sonhando.

Ao mesmo tempo, eu podia sentir a versão de mim como se fosse um eco da versão de bilocação.

Com todas as muitas experiências de mim, eu praticamente me esqueci sobre Mytria.

Foi quando ela veio até mim e disse?

Mytre? É você?

O som de sua voz tirou-me de minha análise e introduziu-me no momento emocional de nossa reunião.

Imediatamente eu a puxei para meus braços e abracei tão apertado que nos tornamos uma pessoa.

Mytria começou a chorar eu me uni a ela.

Nós não sabíamos se nos veríamos outra vez.

Pareceu uma eternidade que estivemos parados naquele ponto e abraçando um ao outro os mais forte que podíamos.

Finalmente, nos afastamos, somente um pouco, para olhar um no rosto do outro na luz fraca.

Nós nos beijamos e nos abraçamos novamente.

Finalmente nos sentamos nas pedras ao lado do lago e conversamos até as Luas estarem altas no céu.

Tínhamos tanto para falar e nenhum dos dois sabia quanto tempo eu poderia permanecer ali.

Mytria também me disse que ela tinha de abrir o Portal para o Coração da Mãe onde nos conhecemos em Espírito.

Então, nós olhamos um para o outro com o mesmo ar de surpresa.

Nós já nos encontramos assim antes? - nós dois dissemos simultaneamente.

Então rimos e nos abraçamos novamente.

Mytria parecia com a mesma idade e ela me disse que eu também.

Entretanto, eu estava experimentando simultaneamente ser aquele que fui há muito tempo e aquele que eu era agora.

Mytria disse que sentia a mesma coisa.

Nós dois estávamos bem confusos, mas não nos importávamos porque estávamos tão felizes por estar juntos outra vez.

Como está nossa filha Alycia? - perguntei.

Ah, ela está maravilhosa. Acha que você pode ficar até amanhã para vê-la?

Eu não sei. Esta é minha viagem inaugural, mas se eu não puder ficar, eu voltarei.

Eu tenho que abrir o Portal agora. - disse Mytria. Você vem comigo?

Eu disse a ela que era claro que iria, e nós caminhamos para a Rocha Sagrada de mãos dadas.

Enquanto caminhávamos, eu não tinha certeza se ela estava na mesma linha temporal de quando nos encontramos antes, ou se ela, também, tinha mudado para outra versão de seu EU num futuro distante.

Eu não queria falar demais por medo de afetar negativamente a linha temporal dela.

Eu só sabia que ela se lembrou de eu assisti-la antes, mas eu não sabia se essa lembrança era uma experiência déjà vu ou outra versão da vida dela.

Decidi liberar meu pensamento e me focalizar totalmente em como era maravilhoso estar com ela novamente.

Quando chegamos à Rocha Sagrada, me senti esvanecendo, tal como da primeira vez.

Puxei Mytria para mim outra vez e lhe disse que sentira que estava partindo.

Consegui beijá-la mais uma vez e prometi que retornaria, e então eu desapareci...

Meus olhos se abriram e eu estava no meu alojamento.

Olhei no relógio e descobri que o tempo não havia passado.

Isso tinha sido real?

Eu tivera uma meditação muito vívida ou havia realmente bilocado?

Mas, se eu estivesse meditando, o tempo teria passado, certo??

Visto que o tempo não passou e parecia que eu estivera lá por um bom tempo, isto significa que eu realmente biloquei?

Eu sentia muito frio.

Então me levantei para pegar meu blusão.

Mas minhas pernas não me sustentaram e eu caí no chão.

Tive que me levantar devagar e com cuidado andar pelo meu quarto para me acostumar a este corpo.

Talvez eu tivesse bilocado, mas eu somente podia manter minha consciência em uma versão do meu EU.

Foi um bom começo. - disse o Arcturiano quando apareceu na minha frente.

Agora me siga. Há algo que você precisa ver.
 
----.....---==II==----.....----
 
Fonte: http://suzanneliephd.blogspot.com/
Tradução: Blog SINTESE http://blogsintese.blogspot.com/
 
Gostou! Indique para seus amigos.
IITopo da PaginaII - IIVoltar Menu Suzanne Lie II - IIVoltar HomeII