CUIDANDO DO NOSSO JARDIM DA VIDA
Por Suzanne Lie PhD
Em 23 de março de 2014
 
  Pela maioria de nossas encarnações terrenas nós não estávamos cientes de nossos poderes de criação.

Entretanto, agora que a luz superior está se embutindo profundamente em nossa consciência, nós estamos ficando cientes de que NÓS somos os criadores de nossa realidade.

Ao refletirmos sobre criar nossa própria realidade, devemos observar as situações em que acreditamos que não temos controle e até nos sentimos vitimizados.

Nós criamos essas situações?

O Karma as criou ou foi nosso EU Multidimensional o criador?

A resposta é sim para essas três perguntas.

Nós criamos nossa realidade através de nosso próprio eu inconsciente, consciente ou superconsciente.

A fim de sermos criadores conscientes, nós devemos estar dispostos a aceitar que nós somos os criadores de toda situação, mesmo se consideramos desafiadora.

Enquanto estamos envolvidos numa situação sobre a qual sentimos que não temos escolha ou controle dela é difícil acreditar que somos os criadores de nossa realidade.

Portanto, é útil examinar os três níveis de nosso "eu criador", que é o nosso eu inconsciente, nosso eu consciente e nosso eu superconsciente.


Eu Insconsciente

Começaremos com nosso eu inconsciente, pois normalmente é esta nossa parte que se envolve em uma situação indesejada.

O nosso inconsciente é inclinado a criar realidades em que um negócio antigo e inacabado surge para ser curado.

Essas experiências frequentemente vêm de nossas vidas passadas, paralelas e/ou alternativas.

Essas situações normalmente são rotuladas como "karma" porque são padrões que vivemos e revivemos durante inúmeras encarnações.

AGORA esses padrões estão entrando em nossa consciência através de uma "situação indesejada" porque a luz está entrando na estrutura celular das nossas antigas feridas psíquicas.

Quando essas feridas chegam à superfície de nossa consciência, nós lidamos com elas em uma situação que parece estar além de nosso controle.

E então, temos a oportunidade de curar vidas passadas, alternativas e paralelas que nós podemos não termos nos sentido fortes o suficiente para tratar até agora.

Este processo é bem parecido com começar um novo jardim numa área de nosso quintal/consciência que estava ignorada.

Como vamos cultivar o "novo solo", nós devemos retirar as pedras que interferirão com as raízes tenras de nossas "plantas" novas.

E também, nós temos que arrancar as "ervas daninhas" para que elas não atinjam nossas flores novas.

Se não arrancarmos as ervas daninhas pela raiz, elas voltarão outra vez.

Quando uma circunstância indesejada surge em nossa vida, nós queremos dizer que não é culpa nossa.

Entretanto, esta é a nossa vida/jardim e é nossa responsabilidade arrancar as ervas daninhas e examinar as raízes.

Antes de decidirmos cultivar um novo jardim naquela área de nossa vida, as ervas daninhas eram ignoradas.

Entretanto, assim que decidimos que queremos ser os criadores de nosso jardim, nós devemos arrancar cuidadosamente as ervas daninhas para que não restem raízes no solo.

Nós poderíamos aplicar veneno nas ervas daninhas, mas então nós estaríamos contaminando o solo em que as ervas crescem.

Esse solo representa o nosso corpo terreno, que está se preparando para a transmutação em luz.

Portanto, nós devemos amar incondicionalmente o solo e qualquer coisa que nós permitimos crescer nele.


Eu Consciente

Quando nos tornamos mais conscientes de nossos poderes inatos de criação, nós nos sentimos preparados para assumir a responsabilidade pelo que nós permitimos crescer em nosso jardim/vaso terreno.

Quando observamos o jardim de nossa criação, nós podemos ver onde as ervas daninhas, que na verdade são plantas nativas daquela área, continuam crescendo.

Essas ervas daninhas representam hábitos e comportamentos que se tornaram nativos em nosso quintal/vida.

Essas ervas daninhas estiveram em nosso quintal pela maior parte de nossa vida e criaram raízes profundas.

Assim que percebemos que esses hábitos e comportamentos prejudicam o jardim de nossa vida, nós podemos começar a liberá-los por examinar profundamente nossos relacionamentos com o nosso eu e com outros.

Este autoexame normalmente não é confortável, mas nós nos sentimos mais no controle de nossa própria vida.


Eu Superconsciente

A luz superior provinda do Centro Galáctico agora está entrando em nosso jardim, o que está permitindo que novas plantas cresçam em abundância.

Essas plantas são cheias da luz galáctica de mudança e também da luz violeta de transmutação.

Se permitirmos e até encorajarmos essa luz galáctica a entrar em nosso jardim, um jardim que nós somente percebíamos em nossos sonhos e meditações, ele entrará em nosso conhecimento.

Nosso desafio é integrar essas novas plantas em nosso jardim enquanto nós ainda alimentamos o que resta do antigo.

Quando permitirmos a integração da nova luz em nossa vida, nós recuperaremos a lembrança de nosso poder de transmutação.

Algumas plantas de nosso jardim avidamente aceitarão nossa transmutação.

Mas algumas plantas não conseguirão suportar a luz superior e podem precisar serem amadas e liberadas.


Criando a Ascensão Planetária

Nosso eu superconsciente nos lembra de que nós escolhemos usar um vaso terreno para assistir Gaia com Sua ascensão.

Com a conscientização da importância de nossa encarnação, nós podemos começar a cultivar o nosso "caminho de ascensão".

As amadas plantas cheias de luz galáctica cercarão nosso caminho, enquanto o amor e a luz orientarão nossa jornada.

Ao trilharmos esse caminho, ele se transmuta em um portal de luz que nos retorna ao nosso EU Multidimensional.

Este "portal de retorno" ressoa à frequência de assinatura do amor incondicional que nos orientou a primeiro criarmos nossa entrada no Planeta Terra de Gaia.

Muitos de nós viemos assistir Gaia na queda de Atlântida e nós prometemos retornar ao Seu corpo de novo e de novo até o ponto de ignição da ascensão planetária.

Muitos de nós assumimos uma forma novamente para assistir Gaia cruzar a "linha de chegada".

Trilhar nosso caminho fundiu nosso eu superconsciente com nosso eu multidimensional que se lembra de muitas de nossas encarnações na Terra de Gaia.

Algumas vidas foram cheias de amor, algumas foram cheias de medo, algumas foram cheias de sucesso e algumas foram cheias de fracasso.

Entretanto, todas elas nos deram uma oportunidade para aprender sobre sermos criadores inconscientes, conscientes e superconscientes de nossa vida.

Gaia também tem uma frequência de assinatura que representa Seu portal planetário de retorno.

Ao seguirmos a luz e amor de nosso portal de retorno, nós ativamos nosso núcleo de cristal.

Com a ativação de nosso núcleo de cristal, nosso portal retorna para o centro da Terra Interna para ser alinhado com o núcleo de cristal de Gaia.

Desta maneira, os muitos portais pessoais tornam-se UM portal planetário.

Este portal planetário de luz multidimensional e amor incondicional retorna as pessoas e o planeta Lar para as expressões superiores de nosso EU Multidimensional.


Tornando-se um Mestre

Tudo que o nosso subconsciente, consciente e superconsciente criam começa com um pensamento que se funde com uma emoção para se tornar uma "forma-pensamento".

Quando colocamos nossa atenção nessa forma-pensamento, nós a geramos em uma realidade, situação ou evento.

A fim de criarmos ascensão, nós devemos nos tornar os mestres de nossos pensamentos e emoções.

Esta mestria começa pelo reconhecimento de que NÓS somos os criadores de nossa vida.

Então, mesmo se sentimos que somos uma "vítima", há uma importante lição a ser aprendida que estimulará a jornada pelo nosso caminho.

Quando nós aceitamos a verdade de que NÓS somos os criadores de nossa vida, as ilusões da terceira dimensão começam a esvanecer e nós podemos nos focar claramente na cocriação da ascensão planetária.

Nosso EU Multidimensional nos recorda que nós escolhemos assumir um vaso terreno durante o processo de ascensão.

Esse vaso terreno serve como uma âncora para que nossas energias multidimensionais possam se fundir com o corpo planetário de Gaia.

Com esta conscientização, nossa consciência pessoal se expande para a nossa consciência planetária e o nosso eu inconsciente, consciente e superconsciente se integra ao nosso EU Multidimensional.

Nosso EU Multidimensional está ciente de que a frequência de assinatura de nosso portal de retorno não é um local, mas um estado de consciência.

Este "estado de consciência" é o nosso portal interdimensional de retorno ao LAR para a quinta dimensão e acima.

Ao fundirmos nosso cristal central com o cristal central de Gaia, nós deixamos a ilusão do tempo tridimensional para realinhar com o AGORA do UM para criar essa ascensão no AQUI AGORA.


Nota de Sue:

Eu escrevi e reescrevi este artigo mais vezes do que consigo contar.

Em Cuidando do nosso jardim eu descobri que algumas das novas flores de luz estavam brilhando nas velhas flores da ilusão.

O download da luz superior levantou "negócios inacabados" que eu estava evitando porque não queria confrontar.

Esta confrontação não correu bem, ela mostrou hábitos e comportamentos que precisavam e ainda precisam ser transmutados.

O caminho da ascensão não é para os fracos de coração, pois nós precisamos olhar para o nosso eu outra e outra vez.

Muitas coisas têm ocorrido e continuarão a ocorrer que poderiam nos vitimizar.

Portanto, nós precisamos nos lembrar de amar incondicionalmente o nosso eu enquanto a luz superior limpa a ilusão para revelar aquilo que nós escondemos de nosso eu consciente.
 
 
 
-.....---==II==----.....-
 
 
Direitos Autorais:
Fonte: http://suzanneliephd.blogspot.com/
Tradução: Blog SINTESE http://blogsintese.blogspot.com/
 
 
Gostou! Indique o site para Seus Amigos.
 
Facebook    
 
 
IITopo da PaginaII - IIVoltar Menu Suzanne Lie II - IIVoltar HomeII