ASCENSÃO PLEIADIANA - UM HÓSPEDE SURPRESA
Por Suzanne Lie PhD
Em 29 de julho de 2013
 
     
MYTRE FALA:

A lua estava alta e todos dormiam, exceto eu.

Eu estava preocupado com Mytria e Almon no Templo, mas eles me dizem que estão bem.

O Templo finalmente se estabilizou a uma frequência no nível médio da quinta dimensão.

Portanto, a maioria das pessoas não pode vê-lo.

Felizmente, eu posso vê-lo, então acho que vou tentar entrar nele.

Visto que agora eu tenho uma forma, acho que simplesmente subirei os degraus e entrarei pela porta da frente.

Entretanto, ao tentar pisar no primeiro degrau, meu pé o atravessa.

Então eu não estou calibrado para a frequência do Templo ou de Mytria.

Já que tenho sentimentos intensos por Mytria, eu firmo minha intenção para alinhar minha ressonância com a de Mytria.

Imediatamente eu sinto Mytria também compatibilizando sua frequência com a minha.

Eu tenho a sensação quase de um clique na porta de entrada e subo no primeiro degrau.

Sou capaz de ficar neste primeiro degrau, mas sinto o próprio Templo, ou são os Elohim Alycone que estou sentindo?

Ouço Mytria confirmar que são os dois, pois o Templo é uma manifestação dos Elohim.

Sim, é claro!

Esta não é uma construção normal.

Este Templo é um ser vivente que está usando a forma de um Templo.

É por esta razão que o Templo pôde ser elevado.

Ele se elevou com a ajuda dos membros de nossa comunidade.

Lentamente pisei no degrau seguinte, pedindo permissão para fazê-lo enquanto subia.

Eu sinto um sim se eu puder declarar minha razão para entrar nele.

Agora, eu preciso ser claro sobre a minha razão mais profunda, que seria a saudade de Mytria e a vontade de estar com ela.

Portanto, eu digo diretamente ao Templo/Elohim:

Eu sou o Complemento Divino de sua Alta Sacerdotisa Mytria.

Eu desejo me unir a ela e ao meu eu paralelo que arriscou sua vida para elevar este Templo.

Não ouço nada, então decido lentamente subir no próximo degrau.

Entretanto meu pé atravessa o degrau outra vez.

Como eu perdi a calibração?

Perdi a calibração com Mytria ou com o Templo?

Os Elohim não gostam da minha razão para querer entrar?

Eu mantenho essas perguntas em minha mente, sabendo que os Elohim as ouvem e podem decidir me responder.

Nada acontece e então eu decido subir no degrau outra vez.

Desta vez meu pé fica no degrau e eu sou capaz de colocar todo o meu peso nele.

Visto que estou em um Corpo de Luz, não posso imaginar que eu tenha muito peso.

Fico parado pelo que parece tempo demais, quando percebo que recebi permissão para subir neste degrau porque tinha respeito.

Portanto, novamente peço permissão para subir outro degrau.

Em resposta eu me vejo e até me sinto abraçando Mytria.

É quando entra em minha mente a imagem de minha filha Alycia.

Claro, os Elohim sabem que eu quero levar Mytria comigo.

Eles somente liberarão Mytria se uma nova Alta Sacerdotisa for trazida.

Essa Alta Sacerdotisa é nossa filha Alycia.

Alycia, nossa filha, estará aqui em dois dias.

Vocês querem que eu espere fora do Templo até ela chegar?

É que eu sinto demais a falta de Mytria e ela será de grande assistência quando o resto de nossa comunidade chegar.

Parece que nosso povo não estava em total consciência de unidade, pois as pessoas da vila nem estavam cientes do que estava ocorrendo no seu Templo.

De fato, muitas pessoas não acreditam que elas agora ascenderam.

Os membros de nossa comunidade têm ideias muito diferentes sobre o que aconteceu, pois somente os membros deste acampamento sabem que eles expandiram nossa consciência coletiva para o limiar da quinta dimensão.

Então, eles criaram muitas versões diferentes de nossa comunidade ascendida que não estão em alinhamento umas com as outras.

Eu preciso de Mytria para me ajudar a descobrir como ajudar as pessoas de nossa comunidade a entender que assim que elas ascendem num flash, pode levar o que aparenta como um tempo para ACREDITAR que elas ascenderam.

Se elas não puderem acreditar que estão ascendidas, sua consciência estará baixa demais para elas perceberem o Corpo de Luz que elas já estão usando ou a linda realidade em que elas já estão vivendo.

Eu descobri o problema, mas não estou seguro de como resolvê-lo.

Mytria e o Arcturiano são os meus conselheiros mais próximos.

Você chamou? - eu ouço dentro de mim enquanto vejo o Arcturiano se materializar num corpo flamejante de luz, em pé na minha frente.

Estou tão chocado e exultante que quase caio do degrau.

Isto foi uma risada do Arcturiano o que acabo de ouvir?

É meramente a sua Alegria, responde o Arcturiano enquanto os grandes Elohim Alycone se materializam ao lado do Arcturiano.

De repente ouço murmúrios e expressões de agradecimento atrás de mim.

Quando me viro, vejo que alguns da comunidade que pensei estarem adormecidos estiveram testemunhando minha aventura.

Eles me acenaram de uma maneira reverente e começaram a acordar todos antes dos Elohim e do Arcturiano desaparecerem.

Um por um os membros de nossa pequena comunidade despertaram e permaneceram em reverência deste evento.

Os mais velhos eram ajudados para ficarem em pé e as crianças eram levantadas para que também pudessem ver.

Todos estavam muito calmos, muito tranquilos e em extremo respeito.

Eu ouvi o chamado de meu nome e me virei para o Templo para ver Mytria descendo as escadas do Templo e vir me encontrar.

Sem pensar em pedir permissão, eu subi correndo os degraus para encontrá-la e envolvê-la em meus braços.

Quando finalmente nos soltamos, Mytria disse: Olhe.

Eu me virei para ver as pessoas festejando enquanto meu amigo, Jackal, escoltava minha filha Alycia, agora adulta e muito régia, ao Templo.

Mytria e eu a abraçamos rapidamente, pois sabíamos que ela devia entrar no Templo AGORA!

Eu ouvi Jackal dizer: Desculpe não ter levado os dois dias, mas o Arcturiano veio e projetou todos nós para cá.

Eu sorri em resposta, enquanto Mytria e eu tomamos nosso lugar atrás da Alta Sacerdotisa Alycia e a seguimos escada acima.

Eu fiquei como um centauro na porta do templo enquanto Mytria escoltou nossa filha pelo limiar.

Eu olhei para a nossa comunidade e entendi que o Arcturiano havia projetado todos que restaram na vila para experimentar a "prova" da ascensão que eles precisavam.

Todos estavam ali quando o sol começou a surgir no horizonte.

Era um novo dia e um novo modo de vida!

Nosso primeiro teste de viver como uma comunidade ascendida aconteceu já nesse dia.

Nós estávamos apenas começando a arrumar todos os cobertores, suprimentos, roupas e fogueiras ao redor do Tempo quando dois Protetores escoltaram para o nosso acampamento um Drac com suas mãos presas.

Quando estavam na minha frente, fui até eles, soltei o Drac e lhe ofereci para se sentar ao lado de minha fogueira enquanto ia buscar algum alimento.

Um silêncio imediato tomou a comunidade quando o Drac foi trazido para mim, e uma onda de choque cruzou as pessoas quando eu soltei o Drac e lhe ofereci comida.

Em resposta ao hábito deles de temer, eu subi numa rocha próxima para que eles pudessem me ver e disse:

Agora nós somos uma comunidade ascendida.

Se todos vocês podem ver este ser (que se levantou quando fiz um sinal para ele), então, ele também ascendeu.

Um grande milagre aconteceu em que esse nosso antigo inimigo de longo tempo foi tomado pela mesma luz de ascensão que nós fomos.

Isto não é um acaso, mas sim, a primeira lição de nossa nova vida.

Para permanecer neste novo mundo, nós devemos liberar tudo que é do passado e viver SOMENTE no AGORA.

Dirigi-me ao nosso hóspede e perguntei seu nome.

Não havia barreiras de língua, pois nossa ressonância pentadimensional nos permitia ouvir a intenção de quem fala.

Com grande dignidade e sem um pingo de medo, ele ficou em pé e disse:

Sou conhecido como Franquoix.

Sou o Comandante da Frota que foi enviada para cá para destruir seu mundo.

Nós concluímos que seu domo protetor estava fraco demais para suportar nosso ataque.

De fato, eu me voluntariei para trespassar esse domo com minha nave para enfraquecê-lo ainda mas.

Eu caí ali perto, sabendo que meus guerreiros companheiros se uniriam a mim no dia seguinte.

Entretanto, não houve dia seguinte, pois logo antes do amanhecer tudo mudou.

Eu não tenho certeza do que aconteceu aqui, mas este mundo não está mais em nenhum dos sensores da minha nave e eu não pude me comunicar com ninguém do meu esquadrão.

Todos vocês agora estão seguros e eu estou morto.

Caminhei até Franquoix e estendi-lhe minha mão enquanto disse:

Você não está morto. Você ascendeu.
 
-.....---==II==----.....-
 
 
Direitos Autorais:
Fonte: http://suzanneliephd.blogspot.com/
Tradução: Blog SINTESE http://blogsintese.blogspot.com/
 
 
Gostou! Indique o site para Seus Amigos.
 
Facebook    
 
 
IITopo da PaginaII - IIVoltar Menu Suzanne Lie II - IIVoltar HomeII