LIVRO IV - A FUSÃO - PARTE 2
VISITANDO A NAVE MÃE
Por Suzanne Lie PhD
Em 08 de fevereiro de 2014
 
  JASON FALA:

Nesta manhã acordei de um sonho em que Mytria e Mytre falavam sobre Sandy e eu irmos para a Nave Mãe.

Imediatamente acordei Sandy, que tentou me afastar.

Finalmente ela abriu os olhos e com uma voz meio irritada reclamou:

Por que você me acordou?
Eu estava sonhando que Mytria e Mytre iam nos levar para a Nave Mãe.

Sandy viu a expressão em meu rosto e disse:
Você também sonhou isso?

Balancei a cabeça afirmativamente e nós nos abraçamos.

Bem, o que fazemos para nos preparar? - perguntou Sandy.
Fazemos uma mala? - ela caçoou.

Minha única resposta foi:
Não sei.
Talvez devamos levantar, nos vestir, comer alguma coisa e meditar?

Não deveríamos meditar agora mesmo?
Você acha que nossos corpos físicos irão para a Nave Mãe?

Eu não sei, eu ponderei.
Talvez eu só tire um tempo para me preparar.
Talvez eu ainda tenha alguma dúvida.

Bem, eu teria um monte de dúvidas se somente eu tivesse o sonho.
Entretanto, nós dois tivemos o sonho.
Não é estranho? - Sandy respondeu.

Será que não devemos contar um ao outro os nossos sonhos para reentrarmos naquele momento? - eu perguntei.

Certo, parece legal, mas agora eu quero levantar e me vestir.
Então compartilhamos nossos sonhos durante o café da manhã.

Sim, eu disse com um sorriso.
Isso nos dará algum tempo.

Sandy sorriu e correu tomar um banho.

Então eu fiquei sozinho na cama e comecei a me lembrar de mais alguma coisa do meu sonho/experiência.

Eu não sabia mais diferenciar entre sonhos e mensagens verdadeiras do meu eu superior.

De fato, eu comecei a duvidar do sonho inteiro, apesar de Sandy ter um sonho semelhante.

Por que eu seria convidado para estar na Nave Mãe?

Com essa pergunta eu percebi que minha velha baixa autoestima tinha voltado.

Será que para sempre eu seria assombrado pelo sentimento de insignificância?

Eu estava para cair totalmente na "festa da pena" quando Sandy saiu do banheiro enrolada numa toalha e disse:

E se eu inventei toda essa coisa?
Quem sou eu para ser boa o bastante para ser convidada para a Nave Mãe?

Sandy deu uma olhada na expressão do meu rosto e disse:
Ah, você estava pensando a mesma coisa, não estava?

Nós dois rimos enquanto Sandy pulava na cama de novo.

Eu tirei a toalha úmida e disse:
Deixemos o café da manhã pra depois.

Acordamos muito mais tarde, mas alguma coisa realmente estava esquisita.

Nosso quarto descolado parecia mais com uma cabine de uma nave.
AH! Estávamos na nave?

Virei para Sandy que perguntou com uma voz chocada:
Eles nos trouxeram para cá nus?

Tal como uma mulher, eu pensei.

Gatinha, eu acho que agora nós estamos na Nave Mãe.
Você realmente se importa de estar nua?

Eu acho que sim, pois a resposta foi:

Ei, olhe ali.
São uniformes para nós vestirmos?

Sem dúvida, do outro lado da pequena cabine estavam dois uniformes, um maior e um menor.

Mas estou sem roupa de baixo, disse Sandy.

Tal como uma mulher, eu disse enquanto ajeitava seu cabelo ainda molhado.

Ei, seu cabelo ainda está molhado.
Eles devem ter nos trazido para cá assim que pegamos no sono, eu disse com um sorrisinho no rosto.

Ah, disse Sandy com os olhos arregalados, eles estavam nos observando?

Hmm, eu disse enquanto fui pegar os uniformes.

Evidente, os dois uniformes couberam perfeitamente.

Na verdade, eles pareceram se moldar aos nossos corpos.

Uau! - exclamou Sandy, ele é realmente confortável.
Acha que vamos poder levá-los conosco quando voltarmos?

Ah, claro, eu disse.
Podemos usá-los quando formos ao banco e à mercearia.
Falando em mercearia, estou com fome.
Você acha que eles comem na Nave Mãe?

Tal como um homem, caçoou Sandy.
Sempre pensando em comer.

E então nós dois ouvimos um som parecido com campainha e pulamos.

Sandy correu para algo semelhante a um espelho e encontrou o que parecia ser uma forma normal de escova para arrumar seu cabelo.

Eu apenas ajeitei o cabelo com as mãos e disse:
Tem alguém aí?

Sim, eu ouvi a voz familiar de Mytre.

Corri para a porta que não tinha maçaneta e disse:
Mytre, é você?
Como eu abro a porta?

A porta se abriu e Mytre e Mytria estavam juntos ali com sorrisos brilhantes nos rostos.

Ouvi Sandy suspirar atrás de mim.

Então Mytria foi até ela e disse:
Bom dia, querida.
Quer que eu lhe mostre como se usa essa escova de cabelo?

Sandy apenas pôde menear a cabeça afirmativamente, enquanto tentava não parecer tão chocada.

Mytria carinhosamente disse:
Deve ser muito surpreendente acordar numa Nave Espacial.

Sim, disse Sandy quando finalmente encontrou sua voz.

Mytria disse para nós dois:
Nós precisávamos encontrar uma hora em que vocês dois estivessem relaxados e felizes para trazê-los para cá.
Então escolhemos o momento imediatamente após vocês caírem no sono.
Assim seu corpo poderia permanecer adormecido e lentamente se adaptar a esta frequência de realidade.

Mas antes, Mytre deu continuidade, nós os levaremos para a sala de refeições para comerem alguma coisa.
E vocês também poderão conhecer alguns amigos nossos que estão esperando ansiosamente para cumprimentá-los.

Sandy imediatamente foi cuidar de seu cabelo e Mytre cochichou:
Mytria ainda escova o cabelo, apesar de ela poder fazer isso facilmente com a mente.

Balancei a cabeça concordando.

Era como se eu estivesse me encontrando com um velho colega de escola que eu não via há tempos, mas ainda nos conhecíamos muito bem.

Como pode ser isso?

Mytre colocou sua mão no meu ombro e disse:
Lembre-se de que nós somos UMA pessoa.

A aventura na sala de refeições foi bastante interessante.

Nós não apenas encontramos seres de todo tamanho, forma e cor, mas também vimos comidas de inúmeros mundos diferentes.

Enquanto eu passava os olhos pela comida muito "interessante" da cantina, Mytre cochichou no meu ouvido:

Ninguém de nós aqui precisa realmente comer, pois o ar dentro da nave nos fornece todos os nutrientes de que precisamos.
Porém, nós ainda gostamos da camaradagem de comermos e rirmos à mesa.
Portanto, basicamente, vir aqui tem a função de visitarmos amigos e nos divertirmos.

Vocês se divertem na Nave Mãe? - eu perguntei.

Claro, respondeu Mytre.
Não importa a qual frequência nós ressoamos, nós ainda gostamos de estar com amigos e familiares.

Eu tinha que refletir sobre esta resposta enquanto tinha a intenção de comer alguma daquelas "comidas".

Entretanto, havia aquela coisa roxa que tinha um sabor muito bom e parecia satisfazer minha fome.

Eu pude ver que Sandy estava entusiasmada demais para comer, pois ela ficava empurrando a comida pelo prato.

Divertimo-nos muito conhecendo e conversando com seres de tantos planetas e culturas diferentes.

Felizmente, assim que começamos a nos sentir cansados, Mytre disse:
É hora de nossos convidados irem para a holosuíte.

Todos mostraram compreender quando nos despedimos de nossos novos amigos e Mytre e Mytria nos encaminharam para fora da sala de refeições.

Desta vez foi Mytria quem falou:
Não temos certeza de por quanto tempo sua consciência pode permanecer neste estado de consciência.
Portanto, ao invés de caminhar até a holosuíte, Mytre e eu vamos nos projetar para lá.

Sim, disse Mytre, nós os levaremos num tour na próxima visita.
Agora há uma mensagem importante do Arcturiano para vocês.

Do Arcturiano? - Sandy e eu sussurramos com olhos arregalados.

Nós observamos enquanto Mytre e Mytria se fundiram em uma pessoa, então num flash de luz nós estávamos na frente da holosuíte.

Esperávamos ter a visão de montanhas, cachoeira e o lindo vale que Mytre nos contou.

Na verdade, nós nos lembrávamos dessa visão exatamente como se fosse nossa própria experiência.

Mas Mytria nunca estivera nessa holosuíte e nós considerávamos Mytria como o eu superior de Sandy.

Mas, se Mytria e Mytre tinham as mesmas lembranças, então Sandy e eu também teríamos?

Lendo minha mente, Sandy perguntou:
Você acha que você e eu nos fundiremos como Mytre e Mytria?

Eu sorri e passei o braço por ela enquanto entrávamos no holoprograma.

Porém, não pudemos ver nada, pois estávamos cercados por uma névoa muito densa.

Creio que foi deste modo que Mytrian viu a Nova Terra pela primeira vez.
Espere!
Como eu sabia disso? - observou Sandy.

Quem é Mytrian? - eu perguntei.

É ótimo nós dois estarmos aqui enquanto você se lembra de algumas coisas que eu não consigo me lembrar e eu me lembro de coisas que você não consegue se lembrar. - sorriu Sandy.

Sim, somos uma ótima equipe.
Agora eu me lembro de Mytrian, como pude esquecer?
É a nossa Superalma e ele/ela esteve visitando nossa Superalma heptadimensional.

Não, disse Mytrian, nós estamos aqui com vocês agora.

Nós também estamos aqui, disse o Arcturiano.

Ficamos tão comovidos pela presença de nossa Superalma e do Arcturiano que nossa consciência quase nos tirou de nossa experiência.

Felizmente Sandy e eu instintivamente demos as mãos para ancorar nossa energia nesta aventura incrível.

Porém, pareceu não ser o suficiente, pois surgíamos e desaparecíamos do holoprograma.

Felizmente o Arcturiano veio até nós e tocou no Terceiro Olho de cada um de nós.

Lentamente começamos a estabilizar e estabelecer na frequência dessa experiência.

Agora, disse o Arcturiano, vocês precisarão elevar ainda mais sua consciência para perceber esta realidade.

Não estávamos muito certos do que o Arcturiano queria dizer, mas percebemos que nossa experiência de estar nesta holosuíte nebulosa ia e vinha.

Mytrian flutuou pela sala e tocou em nossas mãos dadas, o que fez com que elas se soltassem e ficassem paralelas ao nosso corpo para que ele pudesse ficar entre nós.

Então Mytrian pegou a mão de cada um e juntou nossas três mãos em UMA.

Entraram em nossas mentes lembranças de mais vidas em mais lugares e dimensões que nós poderíamos até conceber.

Nós experienciamos o medo da Guerra Galáctica entre os mundos do Poder Interior e do Poder Sobre.

Nós nos lembramos de estar nas fileiras dos Pleiadianos, Antarianos, Sirianos e até dos Draconianos do poder sobre os outros.

Nós nos experienciamos como um ser andrógino, como um ser masculino, feminino, humanoide, reptiliano, cetáceo, aracnídeo e como insetos.

Como podíamos ter sido tantas espécies diferentes?

Em resposta ao meu pensamento, Mytrian disse:
Nós assumimos muitas vidas no alcance atemporal do AGORA.
Nós entendemos seu choque, pois ficamos sobrecarregados quando entramos pela primeira vez em nossa Superalma.
Fomos inundados por incontáveis lembranças, muitas mais do que lhes daremos dentro deste AGORA.
Vocês terão que ativar sua mente multidimensional e integrá-la em seu pensamento tridimensional antes de poderem entender totalmente o que vocês estão experienciando.

Sim, disse Sandy, posso lhe dizer que estamos confusos assim porque ainda estamos ligados às nossas expressões pessoais na nossa linha temporal da Terra.

Eu estava muito surpreso de ver com que facilidade Sandy entendeu a situação e percebi que eu não havia lhe dado reconhecimento suficiente pela vasta sabedoria que ela demonstrava em nossa vida diária.

Eu estava tão envolvido com minha própria experiência de canalizar Mytre, enquanto ela servia como minha "secretária", que eu me tornara arrogante e realmente não a observava.

É verdade, Mytrian respondeu outra vez aos meus pensamentos.
Nós descobrimos que muitas de nossas expressões masculinas caíram na superioridade masculina habitual enquanto em vidas dimensionalmente inferiores.

Nós ainda não sabemos bem como chegamos à Superalma, exceto que estávamos ansiando para ir para "CASA".
Visto que nós somos a Superalma do seu eu, de Mytre e Mytria e também do Arcturiano, nossa CASA é a Superalma heptadimensional.

Claro, o Arcturiano também ressoa às frequências superiores da oitava até a décima dimensão, pois Ele ascendeu acima da frequência da Superalma.
Nós, que somos o nosso EU Mytrian, entramos na experiência da individualidade quando nos tornamos representantes para a Nova Terra.

Sim, sim, disse Sandy com uma voz entusiasmada, eu me lembro de como vocês/nós estávamos confusos quando a Nova Terra parecia igualzinha ao que parece esta holosuíte.

Eu também me lembro, eu acrescentei.
Vocês/nós estávamos atrás da criança Gaia que os/nos levou a uma alegre busca no núcleo do planeta.

E então vocês/nós conhecemos os Lemurianos, acrescentou Sandy.

Mas então, disse Mytrian, nós, Mytrian, ficamos tão sobrecarregados pelo processo que fomos levados para a Nave Mãe.
Estávamos muito confusos na época, pois não tínhamos lembrança alguma de nossa natureza de ser uma Superalma heptadimensional.
Agora nós recuperamos totalmente nossa conexão ao nosso EU Superalma e nos juntamos a vocês para assisti-los na ativação de sua mente multidimensional.

Neste ponto, a coisa mais incomum aconteceu e deixou Sandy e eu de boca aberta.

O Arcturiano veio até nós, eu, Sandy e Mytrian e fundiu todos nós em UM.

Imediatamente Sandy eu ficamos imensamente diferentes.

Então Mytre e Mytria uniram-se à nossa consciência e também esses seres incríveis que eram sentidos como e pareciam com flashes de luz.

Nós sabíamos instintivamente que eles eram hexadimensionais.

Por toda eternidade e também por um segundo do tempo tridimensional, nós flutuamos dentro de um reino de total unidade, sabedoria máxima, poder interior e amor incondicional.

Lá dentro nós ouvimos Mytre/Mytria dizerem:
Nós sabíamos que era hora de sua fusão, mas não fazíamos ideia de que seria esta fusão.

Simultaneamente nós ouvimos Mytrian dizer:
Agora vocês podem ativar sua mente multidimensional.
 
 
 
-.....---==II==----.....-
 
 
Direitos Autorais:
Fonte: http://suzanneliephd.blogspot.com/
Tradução: Blog SINTESE http://blogsintese.blogspot.com/
 
 
Gostou! Indique o site para Seus Amigos.
 
Facebook    
 
 
IITopo da PaginaII - IIVoltar Menu Suzanne Lie II - IIVoltar HomeII