NOVOS VISITANTES NA NAVE MÃE - PARTE 2
DEIXAR IR
Por Suzanne Lie PhD
Em 30 de setembro de 2013
 
     
SANDY FALA:

Estou realmente preocupada com Jason.

Voltamos de nossa experiência na Nave Mãe há três dias e Jason ou está deprimido, ou obsecado ou ambos.

Ele não tem trabalhado ou meditado ou até mencionado o décimo segundo andar.

Creio que ele se culpa porque o Arcturiano nos enviou de volta.

Eu disse a ele muitas vezes que o Arcturiano começara sua transmissão dizendo que somente os humanos poderiam destrancar a Matriz 3D, mas Jason não me ouve.

Só o que ele resmunga é: O que se supõe que nós deixemos ir?

Eu gostaria de lhe dizer que ele poderia começar por deixar ir seu mau humor, mas não creio que essa informação surtiria efeito.

O que eu disse foi: Por que você não repassa suas anotações?

Talvez você possa encontrar alguma coisa.

Você pode me fazer outra apresentação, eu tentei dizer com um sorriso.

Tudo o que ele fez foi resmungar, mas não voltou às suas anotações.

Eu não aguentava mais, então saí de casa para providenciar material para o trabalho.

Eu precisava de uma folga do mau humor de Jason, então também fui almoçar com uma amiga e pegar um filme com ela.

Foi uma boa distração e serviu para me ajudar a achar meu centro novamente.

É maravilhoso ser tão íntima de alguém.

Entretanto, se esse alguém está de mau humor, você sente esse humor como se fosse seu.

Estar fora do espaço de Jason por um dia assistiu-me muito no retorno ao meu eu, e eu acho que foi bom para ele também.

Sem ninguém com quem reclamar, ele finalmente voltou às suas anotações para ver se ele havia deixado passar alguma coisa.

Seu humor estava ruim demais para meditar, mas seu empreendimento intelectual serviu para focalizar sua mente.

Então, quando entrei pela porta, seu humor estava muito melhor.

Oi, querida, disse ele com um sorriso.

Creio que ele tomara um banho e comera alguma coisa.

Está pronta para a minha apresentação?

Com uma sensação de grande alívio, eu alegremente me posicionei na frente dele em nossa pequena mesa da cozinha.

Estou pronta para a sua apresentação, eu disse com um sorriso.

Primeiro, começou Jason, quero pedir desculpa pelo meu comportamento nestes últimos dias.

Como você sabe, eu pensei que foram minhas palavras que fizeram o Arcturiano nos mandar de volta.

Finalmente eu percebi que um ser com ressonância tão alta como o Arcturiano não seria reativo dessa maneira.

Então, tive de me observar.

Por que eu estava considerando nosso retorno como algum tipo de punição?

E isto me levou a fazer uma longa e desconfortável observação de minha infância.

Quando criança eu era muito sensível e quando tinha meus sentimentos magoados, o que era frequente, eu me fechava para todos.

Visto que eu me fechava para todos quando criança, eu me fechei para você quando adulto.

Esta conscientização me levou à minha primeira resposta para a pergunta que me obcecava: o que nós precisamos deixar ir?

Quando você saiu pela porta e me deixou sozinho com minha própria miséria, eu entrei em profunda tristeza.

Eu não pude entender por que até que percebi que tinha me fechado totalmente para você, minha amada e melhor amiga, igual a como eu me fechava para todos quando era criança.

Bem, esta foi a minha primeira resposta à pergunta sobre o que deixar ir.

Eu não sei os outros, mas eu preciso deixar de me isolar quando fico aborrecido.

Neste ponto, Jason se levantou, deu a volta na mesa, me fez levantar e me deu o abraço mais longo e profundo que eu já recebi.

Pude sentir que ele estava tentando segurar o choro, o que fez com que eu chorasse.

Jason me abraçou mais ainda, o que eu pensava não ser possível, e disse:

Andei me conscientizando de que há muitas coisas que preciso deixar ir, mas eu NUNCA deixarei você ir.

Ficamos na cozinha, com nossa casa toda bagunçada ao nosso redor e os papéis de Jason espalhados na mesa e nos abraçamos por tanto tempo que pensei que nos tornáramos uma pessoa.

Nós somos uma pessoa em dois corpos, Jason disse em resposta aos meus pensamentos.

Eu sei, eu disse.

Foi por isso que tive de me afastar de você para que pudesse voltar ao meu centro o suficiente para ajudar você.

Desculpe-me por abandoná-lo quando você se sentia tão mal.

Você não precisa se desculpar, disse Jason.

Ainda há algumas coisas que precisamos fazer por nossa conta.

Uma dessas coisas era a minha necessidade de deixar ir a ilusão de separação.

Eu me afastei, e dei um beijo demorado e disse:

Parece que sua apresentação está pronta.

Sou toda ouvidos.

Sentei-me e fiz sinal para ele fazer o mesmo.

Com o primeiro sorriso que eu vi em três dias, Jason sentou-se na minha frente e começou sua apresentação.

Ah! Quer um café? - Jason disse com um sorriso enquanto apontava para a cafeteira, com que sobrevivera por três dias.

Não, querido, eu disse.

Mas vou preparar alguma coisa para você jantar após a sua apresentação.

Bom, estou precisando. - Ele sorriu e começou sua apresentação, que estava muito diferente de sua primeira.

Assim que me conscientizei de meu velho hábito de isolamento, que é o primeiro de muitos comportamentos e antigos mecanismos de compensação que deixarei ir, eu me lembrei de como minha pesquisa disse que separação era uma ilusão da terceira dimensão.

Nós acreditamos que existe separação porque nós somente vemos a energia densa da matéria física e não a energia de frequência mais alta que conecta tudo que é físico.

Então eu tive uma imagem/lembrança de nossa breve caminhada pela Nave Mãe e da reunião para a transmissão do Arcturiano.

Eu estava tão admirado com essa experiência que muitos detalhes foram direto para o meu inconsciente.

Entretanto, quando deixei ir minha lamentação, a ilusão de separação do meu EU Superior desapareceu.

Imediatamente entrei em um transe profundo e lembrei, revivi todos os momentos na Nave.

Eu me lembrei de como Mytria e Mytre estavam usando formas humanoides separadas, mas não estavam separados porque eu pude ver o campo de energia conectando-os.

Na verdade, eu finalmente me lembrei do que meu cérebro físico havia esquecido.

Eu me lembrei de que enquanto estávamos lá, eu tinha total acesso à minha consciência e percepções pentadimensionais.

Na verdade, meu amor, Jason disse enquanto olhava para mim, posso ver que você agora está se lembrando disso também.

Eu sorri com entusiasmo em meu rosto, mas não disse nada, pois eu não queria interrompê-lo.

Jason leu minha mente outra vez e continuou.

Enquanto em minha consciência superior, todas as minhas percepções eram diferentes, expandidas.

Ninguém e nada era separado porque eu podia ver todos os campos de energia conectados.

Creio que me esqueci dessa experiência porque meu cérebro 3D não podia computar experiência tão singular.

Entretanto, assim que liberei o mecanismo de compensação de minha infância e me conscientizei de que eu o usara para me separar de você, eu tive uma explosão de imensa tristeza.

Foi sábio de sua parte sair, pois chorei compulsivamente, o que meu ego masculino não teria permitido na presença de outra pessoa.

Eu acho que preciso deixar ir esse ego masculino também. - Disse ele com um sorriso.

Não o libere, respondi.

Ele é sexy quando usado para certos propósitos.

Nós dois rimos e então Jason voltou para a sua apresentação, sabendo que ela seria interrompida se nós não mudássemos de assunto.

Continue, eu disse.

Isso está fazendo todo sentido para mim.

Sua lembrança está dando ignição à minha.

Estive tão preocupada com você que meu cérebro 3D também se esqueceu desses detalhes.

Sim, continuou Jason.

Para nos lembrarmos dessas percepções dimensionalmente superiores, nós precisamos estar em um estado mais alto de consciência do que nosso cérebro físico pode computar.

Em outras palavras, nós precisamos deixar ir as limitações e ilusões de nosso pensamento tridimensional para que possamos nos conectar com nosso pensamento multidimensional.

Depois dos meus últimos três dias totalmente perdido no físico, eu percebo como deixar ir pode ser difícil.

Portanto, nós precisamos deixar ir qualquer coisa que interfira com nosso processo contínuo de expandir e manter um estado mais alto de consciência.

No início, não pude pensar em nada que eu precisava deixar ir, e agora eu entendo que nós precisamos deixar ir um modo de viver inteiro.

Na verdade, nós precisamos deixar ir a terceira dimensão!

E como nós fazemos isso? - eu perguntei.

Eu não sei, ele disse.

Mas se nós desejamos ascender, nós precisamos descobrir.
 
-.....---==II==----.....-
 
 
Direitos Autorais:
Fonte: http://suzanneliephd.blogspot.com/
Tradução: Blog SINTESE http://blogsintese.blogspot.com/
 
 
Gostou! Indique o site para Seus Amigos.
 
Facebook    
 
 
IITopo da PaginaII - IIVoltar Menu Suzanne Lie II - IIVoltar HomeII