DE VOLTA AO NÚCLEO DE GAIA
KAA-AH E O BANDO DE AVES DE MU
Por Suzanne Lie PhD
Em 13 de abril de 2014
 
  SANDY FALA:

Quando me projetei para o núcleo de Gaia, eu me encontrei no coletivo de Mytrian (eu, Jason, Mytria, Mytre e o Arcturiano) reunido com Laturnius em frente do Cristal Central do Núcleo de Gaia.

Laturnius, a expressão superior de nosso primeiro amigo lemuriano, estava nos dando informação importante sobre os padrões de luz e a matriz holográfica de Gaia.

Sua memória persistente das encarnações físicas humanas, Laturnius nos instruiu telepaticamente, limitou sua consciência ao hábito de somente perceber padrões tridimensionais de luz.

Assim, as expressões de seu eu que estão calibradas para as grades dimensionalmente superiores da matriz holográfica da Terra se perdem para seu conhecimento físico.

Seu hábito de longo tempo de colocar sua atenção nas grades vibratórias mais baixas da matriz holográfica da Terra amplifica as sensações, percepções e experiências do seu eu físico.

Portanto, sua ligação habitual às grades tridimensionais supera a sua conexão às grades de frequência mais alta e faz acreditar que somente o mundo físico é REAL.

Por causa disso, dos campos de percepção menor e de frequência mais baixa, suas expressões dimensionalmente superiores siriana, pleiadiana e/ou arcturiana de EU que se projetaram para muitos de seus vasos terrenos físicos são invisíveis para suas percepções 3D.

Para experienciar toda a sua extensão de luz, vocês precisam ligar a sua consciência multidimensional às grades de frequência superior da matriz multidimensional de Gaia.

O primeiro desafio que você enfrenta é se lembrar de que VOCÊ é um ser multidimensional.

Porque você, Mytrian, completou este desafio, você pode “gravar” as experiências de sua consciência expandida nas grades holográficas de frequência mais alta de Gaia.

Quando você grava suas experiências interdimensionais na matriz holográfica de Gaia, você se reúne com outros terráqueos que têm experiências similares.

Como essa energia de grupo é “gravada”, outros podem se conectar com este campo de energia para tornar a viagem interdimensional “normal”.

E também, conforme mais se lembram de suas experiências interdimensionais em sua vida diária, sua memória conecta as grades de frequência mais alta de Gaia às grades tri/tetradimensionais.

Toda vida na Terra está conectada à matriz holográfica de Gaia.

É através da experiência compartilhada desta matriz que os habitantes de Gaia estão se movendo além das limitações da consciência tridimensional e alcançando as frequências mais altas de realidade.

No início essas experiências são rotuladas como “sonhos” ou “apenas imaginação”.

Entretanto, quando esses sonhos ou imaginação são comunicados para outros através das grades compartilhadas, eles se tornam mais normais.

Conforme o “novo normal” expande, mais e mais membros da humanidade se sentem seguros o suficiente para abertamente compartilhar suas experiências.

Felizmente, os reinos animal, vegetal e Elemental vivem em consciência de unidade com Gaia e naturalmente aceitam Seu retorno à multidimensionalidade.

Garanta aterrar/gravar suas percepções/experiências de frequência mais alta em todas as grades de frequência do holograma.

Então ficará muito mais fácil para você se lembrar de suas experiências interdimensionais em sua vida diária.

Em outras palavras, você “grava” suas experiências interdimensionais tanto no “disco rígido” da matriz planetária COMO no “software” de seu cérebro físico.

Uma grande desvantagem do software de seu cérebro humano é que ele abrange uma vida e uma dimensão.

Para acessar todas as dimensões e vidas de todo o seu EU, você precisará acessar o “disco rígido” da Matriz de Gaia.

A Matriz de Gaia é mais um transportador que porta os códigos do DNA de todo habitante que ele transporta/biloca para o Seu planeta.

Portanto, através dos “arquivos do transportador” de Gaia, você será capaz de encontrar todas as vidas em que você entrou na evolução de Gaia, seu ponto de origem para essa entrada e quando você se conectou e se desconectou dessa encarnação.

O mais importante para a sua linha temporal é que você será capaz de recuperar os arquivos de todas as suas encarnações na Terra.

Desta maneira você pode consolidar tudo que você aprendeu em suas muitas encarnações em Gaia para agrupar toda a informação que você acumulou do que você aprendeu sobre a ascensão planetária.

Assim que sua consciência estiver totalmente conectada à matriz multidimensional da Terra, você experimentará a luz da informação de Gaia que constantemente flui do Seu corpo de luz planetário para o seu corpo de luz pessoal.

Para lembrá-lo de uma expressão terrena em que você viveu em total unidade e amor incondicional, eu ativarei o componente da matriz de Gaia em que nós nos conhecemos nos primórdios da Lemúria.

Para acessar este código de luz, eu peço que unamos nossa consciência e focalizemos na base do Cristal Núcleo de Gaia.

Todos nós nos reunimos na frente do enorme cristal núcleo de Gaia e focalizamos nossa atenção na base do cristal.

Paulatinamente começamos a sentir uma percepção da consciência planetária que nem Jason e nem eu já havíamos experimentado.

No início muitas imagens de inúmeras realidades entraram em nosso conhecimento e então de repente nós estávamos experimentando duas realidades de uma vez.

Nós estávamos no núcleo de Gaia olhando para o cristal enquanto que simultaneamente estávamos olhando para uma ave enorme de luz e sabedoria infinitas.

Nós instintivamente mudamos nossa atenção para a ave sendo quem estava compartilhando a história de nossa vida na recém-criada realidade da Lemúria.

Instantaneamente nós sentimos a alegria de voar sobre uma terra que parecia ter tons de ocre e dourado.

A sensação de voar era maravilhosa além das palavras, e a pureza e o amor daquela realidade eram imaculados e vivos com puro potencial.

Nós ouvimos enquanto também vivíamos a história de Kaa-ah:

Querido Mytrian, eu sou Kaa-ah do Bando de Aves de Mu.

Provavelmente você não pode dizer meu nome adequadamente e nem eu posso dizer o seu, pois nós somente falamos em tons e melodias.

Entretanto, eu sou capaz de me conectar telepaticamente com você.

Eu compartilho com você a visão da mais amada lembrança de voar para nossa cidade de ouro no centro de Mu.

Claro, nosso mundo inteiro ressoa aos tons de ocre, dourado, bronze e cristal.

Nós da antiga Mu somos os primeiros nesta rotação do Grande Ciclo Galáctico a experimentar com forma.

Havia muitas outras realidades que existiam em ciclos anteriores, mas eram desconhecidas para nós durante esta encarnação.

Nós fomos os primeiros a experimentar com encarnação numa realidade polarizada.

Nós viemos do UM para assistir na criação de uma realidade de dualidade e estamos contentes por nos comunicar com você.

Ao olhar em sua mente vejo que o termo “nós” significa muitos, mas para as nossas mentes o termo “nós” significa o UM.

Nós não temos um termo para a individualidade.

Nós somos o bando.

Cada um de nós cuida tanto do bando quanto do coração que bate dentro de nosso peito.

Talvez sintamos assim porque nós todos pulsamos ao coração do Ovo Sagrado.

Nós, o Bando de Aves de Mu, somos os Guardiões do Ovo Sagrado.

O coração/núcleo de nossa vida nesta projeção holográfica Mãe Terra é a gestação do Ovo Sagrado.

Mu, que é o planeta inteiro para nós, continuamente inspira Sua força sagrada de criação para o nosso Ovo Sagrado.

É esta força de criação que é usada por todos os cidadãos de Mu.

Nem todos os nossos cidadãos são da Tribo das Aves.

Antes de entrarmos nesta realidade, nós experimentamos muitas outras formas.

O conceito de forma é novo para nós, pois em nosso verdadeiro Lar nas vibrações mais altas de Luz, nós somos pura consciência.

Nós, os cidadãos de Mu, viemos para a Mãe Terra para iniciar um grande experimento de vida não somente em uma forma.

Nós nos unimos a esta realidade sabendo que essas polaridades iriam se tornar crescentemente extremas.

Nós também sabíamos que no final essas polaridades criariam uma aparência de separação.

Dentro de nosso experimento, a Luz era para ser gradualmente dividida em bom/luz e mau/escuridão e a forma se dividiria nos gêneros de masculino e feminino.

Nos ciclos anteriores de estadas da Mãe ao redor do Sol Central, existiram muitos outros visitantes.

A Mãe Terra desejava oferecer um formato para muitas formas de vida diferentes para viver e reunir experiências.

Desta maneira a Terra preparou seu Eu para sua Iniciação Final, a Iniciação do Amor Incondicional.

O Amor Incondicional é a força coesiva do Omniverso e o poder de criação.

No UM, somente o amor incondicional e a criação divina são conhecidos.

Quando não mais precisamos de nossa manifestação, nós simplesmente retiramos nossa atenção e intenção para que a criação gradualmente possa parar de existir.

Por muito tempo estamos cientes das inúmeras ondas de torção da luz multidimensional e do amor incondicional percorrendo o omniverso.

Com o poder de atenção, observação e intenção nós pedimos a essas ondas para se romperem em partículas de potencial criativo.

Então com o nosso poder dentro do amor incondicional, nós criamos a manifestação de nosso desejo usando o potencial bruto dessas partículas de luz, amor e potencial.

Esta “nova” descoberta das ondas de torção em seu “tempo moderno” é um conhecimento comum na nossa terra de Mu.

É desta maneira que nós criamos formas para a nossa consciência.

Nós nos divertimos muito experimentando tomar muitas formas diferentes.

Igual a vocês experimentar usando roupas diferentes em seu corpo, nós experimentamos usando diferentes formas em nossa consciência.

O Ovo Sagrado, que é a fonte de poder para o nosso planeta, está muito longe de interrupções da energia psíquica dos outros habitantes de Mu.

Na torre mais alta da nossa montanha mais alta, de que temos poucas, o Ovo Sagrado da Mãe vive em constante comunicação com o companheiro da Mãe, o Pai da Luz.

Desta maneira o Ovo da Mãe Terra de potencial criativo permanece eternamente banhado no amor incondicional de Seu Complemento Divino, o Pai Luz.

Esta conexão constante entre Luz/Espírito e Matéria/Forma nos dá o poder de conscientemente criar nossas formas e cobrir nossas necessidades.

Nós, os protetores do Ovo Sagrado, precisávamos de uma forma que pudesse voar, pois nós éramos os emissários entre a Mãe na montanha central e Suas terras exteriores e oceanos.

No início de nosso experimento de vida numa forma polarizada, todo ser podia facilmente flutuar até a montanha e entrar no Grande Templo da Conclusão.

Entretanto, conforme a Mãe se tornou mais e mais polarizada nós tivemos que escolher viver dentro de uma forma de um de Seus quatro elementos, terra, ar, fogo ou água.

Alguns de nós escolhemos caminhar na terra, outros escolheram voar pelo ar ou nadar nos mares e outros escolheram permanecer na luz sem forma para que pudessem servir ao elemento do fogo.

Gradualmente, os seres da água não podiam mais ficar fora da água o tempo suficiente para percorrer a grande distância até o alto da montanha, os seres do fogo escolheram manter suas formas oscilantes e sempre mutáveis de luz e aqueles que caminhavam na terra não podiam mais tirar o tempo para viajar ao Templo.

Assim, foram as criaturas do ar que se tornaram os “Guardiões do Ovo Sagrado”.

Nós podíamos facilmente voar do topo da montanha por sobre as águas e para a terra.

Nós podíamos também conversar com as criaturas do fogo.

Todos os seres dos quatro elementos estão totalmente conscientes de sua forma e podem facilmente se comunicar com todos os outros seres por telepatia e empatia.

Como Guardiões do Ovo Sagrado, nós criamos ninhos ao redor do topo da montanha, logo abaixo do Templo, para botar e chocar nossos próprios ovos.

Nós somente criamos um ovo quando estamos preparados para concluir nossa experiência como um membro da realidade de Mu.

Quando começamos a ansiar por retornar ao Lar, ao UM para visitar nossa família de Espírito, nós fazemos um ninho e botamos nosso ovo.

Assim que botamos nosso ovo, ele é imediatamente fertilizado pelo Fluxo do grande Pai Espírito que penetra em todas as moléculas de nossa montanha.

Pacientemente sentamos em nosso ovo até um ser de luz desejar a experiência de nossa forma.

Assim que este ser entra em nosso ovo, nós compartilhamos totalmente a nossa consciência.

Através de nossa consciência reunida, nosso potencial substituto percorre Mu para aprender sobre as experiências e responsabilidades de nosso Bando de Aves.

Se o ser de luz decide assumir uma forma em Mu, ele eclode em sua forma de ave.

A ave mãe mantém sua própria forma até seu substituto estar pronto para realizar suas responsabilidades por contra própria.

Neste momento, a luz da Ave Mãe sai de sua forma, a forma desaparece e a luz retorna para a unidade do Lar.

Por favor, entenda que não existe “nascimento” ou “morte” em nossa realidade.

Nascimento significa envolver nossa luz com forma, e morte significa liberar essa forma de volta aos seus elementos e retornar para a luz.

Vida e morte são iguais em seus dias, que para a nossa percepção acontecem no mesmo AGORA cósmico de nossa realidade em Mu.

Em nossa realidade nós somente “ingerimos” luz.

Então, nunca há uma necessidade de alimento ou qualquer eliminação de dejetos.

Todas as formas são preenchidas de vida e todas as formas se comunicam umas com as outras, e também com o nosso eu espiritual de luz.

Nós da Lemúria começamos o ciclo que vocês agora estão concluindo.

Nós entramos em sua consciência para assisti-lo com a semeadura do Núcleo da Mãe e dos Cristais Angulares.

Nós entramos em você porque nós somos você.

Nós representamos o nascimento deste ciclo e vocês representam a transmutação deste ciclo para sua expressão superior.

Antes de recalibrarmos os cristais, nós receberemos uma comunicação dos seres de luz conhecidos por vocês como os Arcturianos.

Quando Kaa-ah saiu de nossa consciência, Laturnius disse:

Por favor, siga-me até a nossa vila.

Há muitos que gostariam de comungar com você novamente.

Eles criaram uma cerimônia em sua honra e eu sei que eles também apreciariam muito a mensagem dos Arcturianos.

Nós estávamos felizes por descansar e nos divertir.

E também, eu estava mais do que feliz por reunir mais informação antes de continuarmos com uma missão tão importante.

Telepaticamente ouvi Jason concordar comigo.

Nós seguimos Laturnius com o mesmo movimento de flutuação com que o seguimos tempos atrás quando nossa aventura começou.

Enquanto flutuávamos atrás de Laturnius, Jason e eu refletimos sobre o conceito do Arcturiano estar em nosso coletivo de Mytrian enquanto ele também ressoava a uma frequência muito mais alta do que qualquer um de nós poderia se lembrar.

Como podemos aguentar o peso dessa imensa responsabilidade quando ainda tínhamos tantas perguntas?
 
 
 
-.....---==II==----.....-
 
 
Direitos Autorais:
Fonte: http://suzanneliephd.blogspot.com/
Tradução: Blog SINTESE http://blogsintese.blogspot.com/
 
 
Gostou! Indique o site para Seus Amigos.
 
Facebook    
 
 
IITopo da PaginaII - IIVoltar Menu Suzanne Lie II - IIVoltar HomeII