BOAS FESTAS A TODOS VOCÊS
Em 24 de dezembro de 2013
De:
Suzanne Lie e minhas muitas versões multidimensionais do EU
Para:
Todos vocês e os seus e suas muitas versões multidimensionais do EU
 
  O CENTAVO

Um menininho estava muito animado porque encontrara um centavo.

Os adultos riam porque sabiam que um centavo não valia muito.

Mas o menino não sabia disso.

Ele estava muito orgulhoso de seu achado, como um adulto estaria com uma nota de cem.

Todo dia ele polia seu centavo e o colocava zelosamente em seu bolso.

Alguns dias ele estava sem bolso, então o levava em seu sapato.

Mas ele sempre o levava.

O centavo se tornou um talismã - um presságio.

Ele sabia que o centavo significava que algo especial viria para ele.

O centavo até o fez acreditar que era um menino especial - especial porque ELE tinha achado o centavo.

Os adultos consideravam que o menino era "fofinho".

Até QUE começou...

Ninguém poderia dizer quando começou ou como, mas lentamente - muito lentamente, o centavo começou a brilhar.

No início, todos pensaram que era porque o menino o polia demais.

Mas, gradualmente, ficou evidente que nenhum centavo comum poderia brilhar daquele modo, não importava como ele fosse cuidadosamente polido.

E, além disso, o brilho começou a mudar.

Alguns dias ele estava dourado, outros dias estava azul ou laranja e às vezes, as cores surgiam e desapareciam como raios do arco-íris.

Todos estavam surpresos e chocados, exceto o menino.

Ele sempre soube que o centavo era especial e que ele era especial por ter achado o centavo.

Infelizmente, a vida sendo como é (e nós não diremos quem) cobiçou tanto esse centavo que procurou roubá-lo do menino.

Uma noite, quando o menino dormia, o culpado se infiltrou no quarto, pegou o centavo brilhante e o colocou em seu bolso.

Entretanto, naquela noite o menino teve um sonho.

No sonho, um velho sábio veio até ele e disse:

Alguém procura pelo que você tem e irá roubar de você enquanto estiver dormindo.

Não, não!, gritou o menino.

Não pode ser!

Eu preciso do meu centavo!

Ah não, meu filho, você está muito errado.

Entenda: o centavo é apenas um centavo comum e você o tornou especial porque - VOCÊ é especial!

O brilho não vem do centavo, mas sim de você.

O centavo era somente algo que você pôde estimar fora de você porque você ainda não conhecia o seu próprio valor interior.

O centavo se vai agora porque você não precisa mais dele.

Mas eu PRECISO desse centavo.

Aqui, respondeu o homem amorosamente, pegue este.

Este é um centavo que veio de dentro de você e é o símbolo de sua autovalorização interior.

Mas é apenas um centavo!

Ele não pode valer muito!, disse o garoto.

Apenas um centavo?

Você andou ouvindo os outros ao invés de você mesmo?

Até a maior das árvores vem de uma pequena semente.

Se a semente for amada e cuidada desde o início, a árvore crescerá saudável e será grande.

Esse centavo é como a sua semente.

Ele é um centavo especial porque ele é SEU.

A criança acordou somente com a lembrança de uma árvore.

Pegou o centavo da "caminha" dele e continuou seu dia.

Agora, aquele que roubou o centavo encheu-se de culpa e não podia entender como o menino não ficou chateado.

Finalmente, a parte culpada disse:

Como está o seu centavo hoje?

O menino riu e o pegou em seu bolso.

Ele retirou do bolso o brilho que estava mais forte do que nunca.

Na verdade, o brilho estava tão intenso que ninguém podia ver um centavo através dele.

Imediatamente o astuto adulto correu até o centavo roubado para ver o que podia ter acontecido.

E lá estava o centavo, mas, infelizmente, SEM o brilho!

A voz da Culpa sussurrou no ouvido do criminoso:

Você vê?

Você pode roubar o centavo de alguém, mas você não pode roubar o seu BRILHO!

Que o BRILHO do amor incondicional encha as suas festas
E os guie por 2014!

 
 
 
-.....---==II==----.....-
 
 
Direitos Autorais:
Fonte: http://suzanneliephd.blogspot.com/
Tradução: Blog SINTESE http://blogsintese.blogspot.com/
 
 
Gostou! Indique o site para Seus Amigos.
 
Facebook    
 
 
IITopo da PaginaII - IIVoltar Menu Suzanne Lie II - IIVoltar HomeII