luz de gaia   
 
  ATRAVÉS DA MATRIX - 13º Capítulo
Os Arcturianos Através de Suzanne Lie
22 de Junho de 2018
 
luz de gaia
 
13º Capítulo

O QUE VOCÊ QUER DIZER COM “MINHA VIDA NA TERRA”?

Agora percebi que minha necessidade desesperada de ter Shalone na minha vida era por que ela tinha que me deixar. Eu estava usando minha necessidade de estar com Shalone como uma desculpa para continuar sendo uma criança dependente. Agora era a minha hora de crescer, pensasse eu que estava pronta ou não.

É difícil para mim entender, muito menos descrever como eu estava me sentindo. Mas agora percebo que estava com medo. Como acabei neste estranho mundo? Eu veria minha família e amigos novamente? E a questão mais desconcertante era: "Eu estava acordada ou dormindo?"

Instantaneamente, ouvi Shalone dentro do meu coração / mente dizendo: “Aproveite sua aventura. Você vai olhar para trás neste Agora com amor e felicidade pelo resto de sua vida. No entanto, querida, estou sendo enviada para uma missão e não estarei em sua vida terrestre por muitos dos seus anos ”.

"O que você quer dizer com 'minha vida na Terra' e por que não posso ficar com você por muitos anos?"

Esperei por uma resposta de Shalone. Na verdade, esperei, esperei e esperei. Não tenho certeza quanto tempo esperei. Mas lembro-me de que um dia acordei e esqueci de pensar nela durante um dia inteiro. Isso foi um recorde.

Eu então soube que poderia viver sem ela. Eu também percebi que se eu a amasse tanto quanto eu pensava, por que eu iria querer ficar triste por perdê-la, quando ela seria feliz em um lugar maravilhoso? Eu não sei como eu sabia que ela tinha ido a um lugar maravilhoso, mas eu simplesmente sabia.

Esse foi o dia em que decidi que era hora de fazer outra jornada na floresta, mas desta vez seria para procurar a Matrix. Não sei por que, de repente, senti a necessidade de "encontrar a Matrix". Na verdade, eu nem sabia o que era uma Matrix. Mas eu sabia que era minha missão encontrá-la e que, quando encontrasse a Matrix, encontraria algo sobre o meu EU.

Eu nunca me senti totalmente encaixada, e eu sempre me senti do lado de fora, e olhando para um mundo que não era bem meu. Minha avó me criou, mas minha mãe sempre foi um mistério para mim. Quando cresci, especialmente pouco antes dessa aventura, encontrei-me perguntando às pessoas sobre minha mãe.

No começo eu não percebi, mas com o tempo eu percebi que todos me contavam quase a história exata. Era como se toda a Aldeia tivesse feito algum tipo de pacto de que eles não me contariam sobre minha mãe.

Eu perguntava às pessoas sobre ela e todas diziam a mesma coisa, como se fosse um roteiro. Finalmente, eu desisti. Eu teria apenas que ser paciente. Eventualmente, eu descobriria por mim mesma.

É claro que o comportamento estranho de todos quando perguntava sobre minha mãe me deixava ainda mais curiosa. Além disso, quando minha “avó passou para o outro lado”, eu fiquei muito sozinha. Será que eu precisaria encontrar uma maneira de ser amiga de outras crianças humanas?

Espere, espere! Por que eu disse “crianças humanas?” Isso significa que em algum nível eu sei que não sou uma criança humana?

“Você não é mais uma criança!”, Disse meu Eu Superior à minha consciência. Na verdade, meu EU Superior estava falando comigo mais e mais depois que voltei da minha aventura enquanto estava na floresta.

Lá eu finalmente disse isso! Algum Ser Superior Invisível estava falando comigo. Eu estava tão preocupada que os outros descobrissem que eu tentei esconder esse fato de mim mesma! Isso significa que finalmente aceitei que foi por isso que parecia ser tão diferente de todos que conheço?

Na verdade, tenho tido esse sentimento muito estranho sobre “tempo” e “sequências”. Acho que porque o “tempo” parece ser algo diferente para mim do que para os outros. Mas, novamente, sinto-me diferente de todos na Aldeia.

Talvez eu estivesse "fugindo" quando entrei pela primeira vez na floresta. No entanto, agora que tenho estado na floresta tantas vezes, e tive tantas conversas com os Seres da Natureza, a floresta parece mais a minha verdadeira casa. De fato, quando eu saí da minha aldeia para correr para a floresta, eu não estava fugindo de casa, mas correndo para o meu verdadeiro lar.

Agora nada é o mesmo. Os bosques são minha única família. Minha verdadeira família são as árvores, lagoas, flores, pássaros, cervos e todos os seres da natureza. Por que me sinto mais como um Ser da Natureza do que com um Ser Humano?

Com esse pensamento, de repente me senti muito cansada, então, decidi ir para o meu lugar entre a árvore e a grande rocha quente. Para minha surpresa, vi muitos pedaços de alimentos. De alguma forma, eu sabia que os pássaros haviam pegado a comida da aldeia e a haviam deixado aqui para mim.

Assim que eu estava pensando que eu era louca, vi dois Gaios Azuis me trazendo um sanduíche, que obviamente tinha sido tirado de um ser humano que não estava observando..

"Obrigado querido Gaio!" Eu gritei na árvore próxima, onde ele estava empoleirado. Comi o sanduíche rapidamente, já que estava tão cansada quanto estava com fome. Assim que terminei o sanduíche, puxei a folha por cima de mim e me aconcheguei contra a rocha quente. Parecia que a grande árvore ao meu lado estava feliz em me ver de volta. Mas tenho certeza de que isso é apenas minha imaginação.

Acordei na manhã seguinte, alonguei o meu corpo e pensei: “Vou precisar terminar essa aventura antes que o frio chegue, mas, por enquanto, a árvore me oferece uma cama maravilhosa. Então eu tive certeza de que ouvi alguém dizer “obrigado”. Eu olhei ao redor, mas não encontrei humanos por perto. Mas quem disse “obrigado”?

Claro, foi a árvore amigável. Eu me levantei de novo para dar à árvore um grande abraço para lhe agradecer pelo meu abrigo. Eu estava apenas me perguntando onde havia um riacho, quando uma adorável corça se aproximou de mim e lambeu meu rosto. Então, ela se virou e caminhou lentamente para dentro da floresta.

Claro que eu a segui. Foi enquanto a Corça e eu estávamos andando pela floresta que eu percebi que eu não estava sozinha. Todos os seres da natureza estavam cuidando de mim, e tudo que eu precisava parecia aparecer no exato momento em que eu pensava nisso.

Foi então que ouvi a voz de Shalone dizendo novamente: "Aproveite sua aventura".

"Sim, querida Shalone", eu falei para o Sol. "Eu o farei. Na verdade, eu estou apreciando muito a minha aventura! ”

Suzanne Lie
 
-.....---==I.||.I==----.....-
  Direitos Autorais:
Suzanne Lie PhD
Fonte: http://suzanneliephd.blogspot.com/

Tradução: Regina Drumond - reginamadrumond@yahoo.com.br
 
 
Gostou! Indique para seus amigos.
|Topo da Página| |Voltar Menu Suzanne Lie| |Voltar Home|