ALIANÇA GALÁCTICA COM A TERRA
O GRUPO DE DESEMBARQUE LEMBRA PARTE 4
Por Suzanne Lie PhD
Em 05 de maio de 2013
 
 
  Manhã na Terra

A PESSOA CONTATO FALA:

Ultimamente não tenho me sentido como eu mesma.

Não que eu esteja reclamando, pois realmente estou gostando de me sentir assim.

Entretanto, há uma estranha confusão interior em que eu sei que eu sou eu, mas também sinto como se eu fosse mais do que eu.

Creio que meus sonhos começaram a mudar a minha percepção de mim.

De fato, o meu eu está começando a abranger um EU que está além do que eu sempre considerei como eu.

Não sonho estar na Nave já faz um tempo, mas tenho esses outros sonhos muito estranhos em que eu sou algum tipo de Sacerdotisa.

Eu vivo na Natureza, numa área grande, que parece bem com um alto deserto daqui.

Por "daqui" eu quero dizer que não acho que esse local seja na Terra.

Bem, se eu posso ir a uma Nave Espacial à noite, por que não posso ir a um planeta diferente?

Nesse outro planeta, o meu planeta do sonho, eu tenho um corpo diferente.

Sou muito alta e magra.

Tenho pele muito branca e cabelos loiros compridos.

Não consigo ver os meus olhos, mas sinto que sou a pessoa com quem sonhei na outra noite.

Minha aparência é a dela, só que agora não estou olhando para ela.

Neste sonho EU SOU ela.

Pelo menos eu era ela no sonho.

Mas eu devo dizer: eu queria ser ela o tempo todo.

Exceto que ela/eu tem esse pouco de tristeza, como se algo estivesse faltando.

E também, ela/eu tem uma sensação de urgência, como se alguma coisa estivesse para acontecer e que há alguma coisa que deveria fazer.

No meu sonho eu aparentava estar bem certa quanto ao que era essa "alguma coisa", mas não consegui detalhar essa parte do sonho.

Parece que quando estou sonhando, eu posso me lembrar das imagens emocionais, mas os detalhes do que está acontecendo ao meu redor se perdem quando eu acordo.

Será que se eu fosse hipnotizada eu lembraria?

Entretanto, a pessoa para me ajudar teria de ter uma mente muito aberta, ou eu acho que ela surtaria.

Pior ainda, a pessoa poderia pensar que sou doida.

Não, eu preciso deixar guardado com o meu eu, meu próprio eu pessoal.

Não creio que poderei falar disso no meu Blog.

Não me faria qualquer bem ouvir que sou doida, porque essa é a minha suspeita/medo.

Entretanto, estou tão cansada de deixar o medo conduzir minha vida.

Afinal, para onde ele me leva?

Essas pessoas que eu temo que me julgariam, na verdade, nem se importam em me perceber, muito menos me julgar.

Queria saber se é possível eu conversar com essa pessoa do sonho que tenho visto e experimentado ser.

Porém, não sei como poderia ser possível fazer isso.

Pelo menos agora eu creio que não posso conversar com ela.

Talvez se eu me permitir acreditar que posso conversar com ela, eu poderia encontrar um modo de me comunicar.

Mas como eu me faço acreditar em algo que eu não acredito?


Essa Noite na Terra

MYTRIA FALA:

Posso sentir que minha pessoa contato está muito perto de conseguir se comunicar comigo.

Entretanto, não tenho certeza de como formar uma ponte.

Creio que vou voltar à Nave por um tempinho para poder consultar o Arcturiano.

Ah sim, aí eu posso ver Mytre também.

Sinto tanta falta dele.

Quando ficamos separados assim, sinto como se eu fosse só metade de mim.

Eu pensei que quando nós bilocássemos, eu teria mais contato com minha realidade na Nave.

Entretanto esse mundo parece mais longe a cada dia, na verdade, a cada minuto.

Não tenho permitido esse pensamento entrar em minha mente porque ele tem uma ressonância de medo.

E se eu fosse uma daqueles que ficaram presos no corpo físico?

Eu sei que entrei mais fundo na consciência da minha Pessoa Contato do que eu deveria, mas eu não conseguiria ter a atenção dela de outra forma.

Agora eu tenho sua atenção por ela estar sonhando com minha/nossa vida e tem expressado um desejo de se comunicar comigo.

Por outro lado, sinto como que posso ter ido fundo demais.

Neste momento, enquanto ela está dormindo, eu posso me lembrar do meu verdadeiro EU, mas mais e mais frequentemente eu me perco na vida cotidiana dela.

Quando observo bem este cenário, percebo que normalmente eu me perco quando ela está envolvida nas atividades 3D diárias.

A densidade desse mundo é bem viciante.

Há tanto medo na vida terrena.

Desenvolvi um respeito maior pela situação dos humanos na Linha Temporal Terrena de 2013.

Por exemplo, muitos dos humanos mais evoluídos esperavam por um novo começo.

Mas o que eles estão experimentando é um término muito longo de uma realidade cheia de medo e decepções.

Estou muito orgulhosa pelo modo como muitos humanos encontraram uma forma de se adaptar à sua decepção e continuar sem se desviar tanto.

Creio que eles estão muito acostumados a NÃO conseguir o que querem.

Na verdade, eles estão acostumados demais com essa decepção.

Eu queria muito encontrar um modo de dizer a eles que a Nova Terra começou.

Entretanto, deixar a velha Terra é muito mais difícil do que qualquer um de nós imaginava.

Ainda há muitos humanos que estão profundamente adormecidos e inconscientes da luz superior ou de seu EU Superior.

Agora eu entendo por que os humanos tiveram que aprender a ter tal paciência.

Nós pleiadianos somos capazes de manifestar instantaneamente há anos além da contagem terrena.

Eu agora percebo por que Mytre e eu tivemos que experimentar a ascensão de nosso Planeta Lar antes de assumirmos esta tarefa.

Tínhamos que nos lembrar de como é estar cercado pelo tempo, limitação e medo.

Porém, eu não me lembro de nós experimentarmos a ascensão pleiadiana completa.

Minha mente vai embaçando cada vez mais conforme passo mais tempo nesta forma terrena.

Sim, "tempo", pensei que tinha deixado isso para trás também.

Mas eu devo dizer que ganhei muita humildade com esta missão.

Mas espera! Almon, acabo de perceber como minha consciência o abandonou no AGORA de sua queda do pico do Templo Violeta para o Fogo Violeta.

Minha amiga humana ainda está dormindo, então creio que posso expandir minha consciência o suficiente para retornar àquele momento da elevação do Templo Violeta.

Atrevo-me a bilocar para a ascensão pleiadiana enquanto mantenho minha residência nesta forma, enquanto uso este corpo terreno e mantenho uma corrente de consciência ativamente conectando todos nós?

Eu sei que os Arcturianos e os Pleiadianos mais evoluídos são capazes de experimentar inúmeras realidades de uma vez só.

Sim, eu apenas preciso me lembrar de estar numa luz espiralada, como eu estive com Mytre e o Arcturiano.

Com esse pensamento eu expando minha consciência para envolver não somente a minha forma na Nave, minha consciência dentro da humana e meu Agora do SER enquanto que eu também expando minha atenção para as necessidades do meu querido Almon no nosso planeta pleiadiano.

Tarde demais, percebo que eu me esqueci de evocar meu EU hexadimensional para criar uma matriz estável em que minha consciência possa viajar.

Pior ainda, eu não me ancorei adequadamente em qualquer uma dessas realidades.

Eu posso sentir-me desunindo da humana, mas não estou unida com minha forma na Nave ou na minha realidade no momento da ascensão pleiadiana.


Na Nave

MYTRE FALA:

Eu tentei conter meu medo e substituí-lo por amor incondicional quando apelei ao Arcturiano.

Claro, ele já estava lá antes de eu completar o chamado.

Os sinais vitais de Mytria estão muito baixos agora, eu desesperadamente disse ao Arcturiano.

Com toda a sua compaixão, ela decidiu bilocar de volta ao Templo Violeta.

Minha preocupação é que isso seja demais para ela.

Você está correto, respondeu o Arcturiano.

Mytria se estendeu demais.

Você precisará ajudá-la.

Não, eu gritei, duvidando do meu próprio poder.

É muito arriscado.

Você deve assisti-la.

Não existe ninguém que pode ajudá-la mais do que você.

O Arcturiano realmente usou sua voz para me acalmar.

Nós assistiremos vocês dois dentro do AGORA.

Mas para qual expressão do EU dela eu devo ir?

Ela se espalhou demais.

Eu sei que ela o fez por causa de seu grande amor por toda a vida, mas esse conhecimento não ajuda nem a ela e nem a mim.

Entretanto, o Arcturiano tinha deixado minha consciência.

Se fosse para ajudar Mytria, eu precisava me acalmar e entrar em minha consciência hexadimensional e também assumir um vaso terreno.

Já que Mytria se esquecera de criar uma matriz hexadimensional na qual viajar, e já que ela não se ancorara adequadamente no vaso terreno que ela estava usando, o que eu teria de fazer é tomar essas precauções por ela.

A longa estada num vaso terreno diminuiu o estado de consciência de Mytria.

Portanto, ela se esquecera de expandir sua consciência consciente de sua forma de ressonância mais baixa para a matriz hexadimensional de seu Ser de Luz.

Minha presença em ambas dessas frequências de sua realidade a assistirá na recordação do que ela esqueceu.

Além disso, esta é a única maneira em que eu posso me conectar com todas as suas expressões de uma vez só.

Entretanto, eu também bilocarei para múltiplas realidades.

Irei para minha cabine de meditação na Nave para manter uma conexão entre todas essas realidades, entrar na minha matriz hexadimensional, bilocar para nossa linha temporal pleiadiana da elevação do Templo Violeta e bilocar para o vaso físico terreno do humano do sexo masculino com quem eu tenho me comunicado.


Manhã Seguinte na Terra

A PESSOA CONTATO FALA:

Uau!!! Este foi o sonho dos sonhos!!!!

Eu estava em tantos lugares diferentes de uma vez só que nem podia ter certeza de quem eu era.

O sonho foi legal, mas agora que já estou acordada um tempo, tenho a horrível sensação de um desastre iminente.

Ah, NÃO!

Eu pensei que já tinha superado isso.

Como pude cair de novo nesse comportamento obsoleto de ser autoabsorvida pelas minhas próprias questões insignificantes?

Mas estas não pareciam ser minhas próprias questões insignificantes.

A mulher que eu era naquele lugar deserto também estava na Nave.

Entretanto, eu não me lembro de tê-la visto.

E também, ela ia resgatar alguém no deserto, mas ela também estava na Terra.

Ela também tinha uma forma terrena, mas eu não sei quem era.

E então tinha aquele homem, ah, sim, era o loiro alto de olhos azuis.

Ele voltou aos meus sonhos depois de um tempão.

Só que ele não se importava comigo.

Acho que ele estava preocupado com a Sacerdotisa do local deserto.

Na verdade, ele estava realmente preocupado, tão preocupado que eu estou assustada.

Verdadeiramente, não estou só assustada.

Sinto-me vazia, muito, muito vazia.

Parece como se eu tivesse perdido algo ou alguém.

Não tenho certeza do que eu perdi, mas eu sei que eu quero de volta.

Entretanto, como vou recuperar algo quando nem sei o que é?
 
 
-.....---==II==----.....-
 
 
Fonte: http://suzanneliephd.blogspot.com/
Tradução: Blog SINTESE http://blogsintese.blogspot.com/
 
 
Gostou! Compartilhe com os Seus Amigos.
 
Facebook    
 
 
IITopo da PaginaII - IIVoltar Menu Suzanne Lie II - IIVoltar HomeII