A ESSENCIAL NECESSIDADE DE HONRAR A SI MESMO
Uma Reflexão por John Smallman
03 de setembro de 2017
 
LUZ DE GAIA
 
  Enquanto meditava certa manhã (um dia em abril de 2016, na verdade), o pensamento "honrar a si mesmo" entrou em minha mente. E de repente percebi (finalmente!) Que essa é a única regra que precisamos observar!

Se eu não honro a mim mesmo, como posso querer honrar alguém? A grande maioria dos seres humanos, independentemente da raça, cor ou credo, em qualquer lugar, enquanto crianças, disseram e mostraram que não eram suficientemente boas. Elas (são?) acreditavam que elas tinham que ser ensinadas a comportarem-se bem e a honrar aos outros, MAS, elas não eram tão honradas! Afinal, elas eram apenas filhos!

Todos somos professores, como ACIM deixa claro, e ensinamos o que acreditamos, mesmo que desconheçamos disso. Assim, como crianças, muitos de nós somos desonrados, não reconhecidos, diminuídos, e é isso que aprendemos e depois ensinamos, puramente pela forma como nos conduzimos, como vivemos nossas vidas para todos verem.

Nossa educação nos faz sentir inadequados na melhor das hipóteses, e no pior, sem qualquer valor! Nossos "velhos e melhores" pensam que isso é bom para nós, porque foi assim que eles foram criados - as crianças precisam ser disciplinadas - e precisam saber qual é a maneira correta, senão eles se tornarão incontroláveis! Então, na nossa adolescência, às vezes, muito mais cedo, nos rebelamos contra esse tratamento injusto, e somos novamente julgados por aqueles "velhos e melhores"! E nos tornamos incontroláveis.

Então, como adolescentes e jovens adultos, ao destruirmos a vergonha e a culpa que experimentamos ao crescer, construímos barreiras ou máscaras - de confiança, força, habilidade intelectual, qualquer outra - por trás das quais nos escondemos quase constantemente com medo de sermos descobertos, de sermos vistos como quem nós verdadeiramente somos. Mas, claro, quem nós somos verdadeiramente - seres divinos, filhos amados de Deus - também foi escondido.

Eu acho que despertar é tomar consciência de que, quem nós somos, é tudo o que podemos ser - não podemos ser ninguém mais, por mais que possamos admirar alguém, ou a máscara por trás da qual essa outra pessoa também está se escondendo - e precisamos Apoie aqueles que estão um pouco mais ao longo do caminho do crescimento espiritual (todos estamos, sem exceção, mesmo que não vejamos ou reconheçamos, em um caminho espiritual) para ver a pessoa que realmente nós somos. Apenas quem somos, está sempre perfeitamente bem - "Estou bem, você está bem" - porque estamos longe, muito mais longe do que podemos imaginar, de fato, somos todos seres divinos perfeitos que temporariamente esquecemos dessa verdade.

Uma vez que uma pessoa percebe isso, e inicia o processo essencial de plena auto-aceitação, ela começa a honrar a si mesmo, e quando isso acontece, torna-se impossível não honrar todos os outros, mesmo que não goste deles, ou que não concorde com eles.

Em outras palavras, até que aprendamos a honrar a nós mesmos, não podemos honrar os outros - embora possamos fingir - e uma vez que começamos a nos honrar, nós não podemos não honrar os outros.

John
 
 
-.....---==II==----.....-
 
  Direitos Autorais:

John Smallman
Fonte: http://johnsmallman.wordpress.com/
Tradução: Adriano Pereira – blogluzevida@gmail.com
http://blogluzevida.blogspot.com.br/2017/11/john-smallman-essencial-necessidade-de.html
 
 
Gostou! Indique na Sua Rede  de Amigos.
 
 
 
IITopo da PaginaII - IIVoltar Menu Jesus -  Saul - John II - IIVoltar HomeII