O SEGREDO DA GRANDE DEUSA DIVINA
Por Ute Possegga-Rudel
Em 22 de agosto de 2012
 
Queridos amigos!

A Mãe Divina me pediu para escrever isto, e esta mensagem está "cozinhando" já há um tempo, enquanto sua criação é mantida gentilmente em meu coração. Ela precisava de algum tempo para nascer, igual a uma criança - apesar de ela ser sobre a Deusa, a Grande Mãe Divina.

Ela tem muitos aspectos e é reconhecida em muitos níveis.

Vocês já podem ter observado que eu sempre gosto de ir até o fundo e o coração das coisas e nunca posso simplesmente permanecer na superfície delas. Eu preciso entender a totalidade de tudo que toca minha vida.

Isto tem me levado a situações perigosas, até com risco de vida.

Mas eu ainda estou aqui, pois das próprias profundezas em que estive mergulhada, eu retornei mais forte.

E então, em relação à Mãe Divina, eu também precisava entender e conhecê-la - o máximo que eu consigo. Porém, estou convencida de que Ela é absolutamente insondável.

Para mim, saber não é apenas olhar para alguma coisa, fabricar minha própria imagem dela, mas é mais uma assimilação com todo o meu ser de alguma coisa que eu quero entender - novamente, o máximo que consigo. Para fazer isto eu devo me tornar de certo modo o que eu quero entender. Isto exige paixão, grande amor, devoção e reverência. Eu devo estar disposta a expandir e ir além de mim mesma, ou melhor: a parte de mim com que eu já estou familiarizada. Somente então se pode captar a natureza mais profunda das coisas.

Mas, na realidade, nós mesmos SOMOS todas essas coisas porque nós somente podemos estar cientes do que já é parte de nossa consciência. Somente permanece na subconsciência até se tornar consciente.

E então nós estamos tocando no assunto principal: tudo é consciência, NÓS SOMOS CONSCIÊNCIA!

Então, como a Grande Deusa, a Mãe Divina, poderia ser somente uma figura feminina com características delicadas e sempre boa e amável? Sempre dando e cuidando? Eu entendo que esta qualidade é aquela extremamente necessária em nosso mundo de um sistema patriarcal preconceituoso, desinteressado e somente exigente. E que estas qualidades femininas são aquelas que a humanidade deve cultivar para sobreviver.

Mas, perceber a Deusa como um mero "outro" em forma feminina é a superfície que a Mãe queria que eu rascunhasse, porque minha experiência d'Ela é muito, muito mais expansiva e abrangente.

Essa forma meiga está personificando somente uma qualidade dela, enquanto que ela tem muitas qualidades. Sim, a Mãe está sempre abraçando, mas seus braços são muito mais poderosos e profundos do que os braços da graciosa representação dela.

Esses braços poderosos não sufocam, como aqueles que temem o Grande Feminino podem acreditar. Eles são braços poderosos porque eles expandem seu ser para o infinito e alturas indescritíveis.

Eles libertam sua alma e abrem os horizontes para Aquilo que Está Além da alma: o próprio infinito.

A experiência da Mãe, portanto, é Consciência Infinita, equiparada com Shakti, a Energia Divina, alguns podem chamar de Kundalini. Mas ela verdadeiramente é além disso, a kundalini é a energia nervosa pessoal, mas a Kundalini da Mãe é a Kundalini universal, Shakti dos mundos e universos em si, não se elevando de baixo, mas rompendo do infinitamente acima.

Esta Shakti não pode ser contida numa mera forma suave. Ela é amorfa e assume todas as formas. É a consciência de todas as formas e a consciência em que todas as formas surgem. É o que movimenta o microcosmo e o macrocosmo. É a Força de Vida intrínseca e quanto mais nós nos separamos, mais percebemos esta Força de Vida Universal como algo externo a nós, enquanto que esta Força de Vida Consciente se manifesta como tudo, inclusive nós.

Então, nesse sentido a Mãe somos nós, Ela contém nossa mente-corpo e a consciência individual baseada no cérebro encapsulado nela. E Ela contém nosso Eu Superior também!

Alguns declaram que essa Consciência é masculina, mas quando partimos do entendimento de Unidade de todas as coisas e seres, mundos e universos, então a Grande Consciência e a Grande Shakti são Um, elas são os dois lados da moeda, quando ainda pensamos em termos de dualidade. Mas antes desse pensamento de divisão, não há diferença entre Consciência e Energia. A Energia é Consciente, a Consciência é Energia.

A consciência cerebral meramente descreve e se desassocia do objeto descrito. Trata-se de separação e construção de algo sobre e contra outra coisa. A Consciência Divina/Energia É a própria coisa, se apresenta COMO Ela.

E é isto o que eu chamo de Mãe Divina, a Grande Deusa!
Não devemos reduzi-lA à nossa contraparte do ponto de vista de um autoconceito limitado.

Ela sempre é benigna, é o coração que pode ver esta qualidade por trás de todas as fachadas que podem parecer nos dizer o contrário, porque Ela É a substância de tudo.

Ela somente é abrasadora se esta verdade é negada, pois ela luta para a Verdade Divina ser vivida em todas as Manifestações.

Se nós reduzimos a Deusa a um mero ícone de feminilidade bondosa e bela, nós A despojamos de Seus Presentes que Ela quer nos conferir:

Transcender a ideia de grandeza separada. Sem reconhecer a própria Fonte dessa grandeza, que é Infinita e que não pode ser contida em manifestações separadas, nossa grandeza nunca é verdadeiramente grande.

Outra vez estamos sendo guiados de volta à autoexistência da Consciência Divina ou Energia Que Brilha no coração de todos os seres humanos, animais, deuses e deusas; nos vegetais e espíritos e até nos demônios, - se eles forem dedicados à verdade desta Realidade. Tudo é uma questão de devoção ou resistência. E então, nesta Realidade Divina, surge a forma da deusa bondosa, encantadora, linda - como a forma mais atraente d'Ela mesma para os seres encarnados.

Mas Ela deseja que nós, mesmo nesta forma mais feminina, reconheçamos Seu Verdadeiro Coração e Poder de Divindade. Ela deseja ser vista como Aquela que Ela Verdadeiramente É. Ela quer que todos os seres se elevem para Sua Irradiação Consciente e sejam Felizes!

Ela não quer que nós nos restrinjamos a certas qualidades e comportamentos meramente femininos. Ela quer que as mulheres participem totalmente de Seus Poderes e que os homens se libertem do medo d'Ela e reconheçam Seus Poderes em seus próprios corações.

Ela não É assunto de sexo em Sua Forma Feminina, mas Ela é a Força Consciente da não separação no coração de masculino e feminino, para ser unificado. É o coração unificado, infinito que celebra a Comunhão Divina com Ela. E Ela deseja que todas as ações sejam atribuídas a Ela, porque Ela deseja nossa felicidade.

Em Sua Presença toda a separação do lado esquerdo do cérebro está se fundindo e o masculino se torna feminino porque neste processo eles começam a receber Sua Shakti vindo do alto. Por essa razão é dito nas antigas escrituras sagradas que perante a Grande Deusa todos os homens são femininos, até os Deuses!

De novo estamos de volta aos mistérios da Consciência Divina de que todos nós, no final das contas, somos mulheres e homens. Mas não por pensar e imaginar, mas por literalmente perceber, se tornar, se tornar Um com Ela. Nossos corpos são uma mera obra desta Vasta Consciência e Energia Radiante, que somos chamados para ir além.

Estou ciente de que todos nós precisamos de nossos "brinquedos" com que nós viemos para cá brincar. E se um deles é a encantadora deusa familiar, isto é maravilhoso também.

Mas não nos esqueçamos do que Ela é em Sua atratividade: Ela é um chamado para estender-se para a Grande Mãe Divina e Fonte, da Qual todos nós, ela e nós, somos inerentes. Sua Atratividade transcende tudo e é Pura Irradiação em Si Mesma.

Com grande amor,
Ute.
----.....---==II==----.....----
 
Copyright©. Todos os direitos reservados: Ute Posegga-Rudel, 2012.
http://radiantlyhappy.blogspot.com/
Compartilhar esta mensagem somente é permitido em conjunto com esta informação e sem quaisquer alterações. Se você tiver perguntas sobre o compartilhamento, por favor, contate-me via transformation33@gmail.com
Obrigada, Ute.
Tradução: SINTESE
http://blogsintese.blogspot.com/
Gostou! Indique para seus amigos.
|Topo da Pagina| - |Voltar Menu - Canalizações - Ute| - |Voltar Home|