Mensagem de P'taah
Março 2009
através de Jani King
 
 

"Questionador: P'taah, o tema da viagem no tempo me fascina. Por muitos anos eu estive estudando os Wingmakers. Supõe-se que esta seja a informação de uma raça central de seres que está aqui para nos auxiliar em nossa transição, eu imagino que você possa dizer. Você está familiarizado com os Wingmakers, P'taah?

P'taah: Certamente.

Questionador: O que você teria a dizer sobre isto?

P'taah: Nós teríamos somente a dizer que se isto os auxilia a ter uma compreensão mais ampla de quem vocês são e por que estão aqui e qual é o extraordinário âmbito de suas possibilidades e probabilidades, então realmente é válido.

Questionador: Correto. Sim, há muitas, muitas possibilidades diferentes para que as pessoas escolham - o que ressoe com elas a fim de aprenderem a parte mais ampla de quem elas são, e isto eu imagino que seja uma delas.

P'taah: Realmente, e você sabe, amado, quando você se torna mais expandido em sua consciência e olha para alguns de seus irmãos e irmãs e vê em que eles estão envolvidos, você pode dizer: "Oh, meu Deus, como alguém poderia ser tão estúpido quanto a acreditar nesta tolice?"

Entenda, não julgue isto. Somente reconheça que a jornada de todos é válida e um tipo de epifania (manifestação divina), como você a chamaria, para a compreensão de que a sua própria magnificência, seu próprio poder, sua própria conexão, pode chegar a qualquer momento através de quaisquer meios.

Questionador: É verdade, mas eu fico zangado quando alguém avilta os ensinamentos de entidades como você que vem à Terra para nos ajudar. Eu sei que é a sua jornada e sei que há algo para que eles aprendam, assim não estou certo do por que eu reajo assim e fico tão zangado.

P'taah: Quando você fica zangado, é sempre em relação ao sentimento de impotência para mudar - mudar qualquer coisa ou alguém. E saiba, isto também é não honrar a sua soberania.

Está certo se as pessoas dizem coisas negativas sobre o que eu seria ou realmente alguém ou algo mais. De certo modo, pelo que lhe toca, tudo isto é somente uma história de lhe trazer a oportunidade de compreender este sentimento de impotência que realmente é um dos seus velhos problemas.

Questionador: Sim, eu sei que o que você está dizendo é a verdade. Eu sinto a impotência, mas também parece que eu tenho a dizer algo porque não acho que eu mesmo possa fazê-lo e fico tão grato pela ajuda que quero que as pessoas compreendam o que elas estão fazendo.

P'taah: Bem você sabe, amado, lembre-se de que nada precisa se ajustar.

Questionador: Eu sei. Eu estou sempre tentando ajustá-lo. É uma lição difícil para aprender, eu imagino.

P'taah: Isto está certo. Você pode rir um pouco sobre tudo isto. (risos)

Questionador: Sim. Bem, isto me leva a outra pergunta. Algumas pessoas com as quais falei, não compreendem, e eu me incluirei nisto, como elas criam os seus infortúnios. Sem saber como elas os criam, tem criado mais medos sobre o que elas poderiam criar involuntariamente. Em outras palavras, como alguém criou algo em que ela não estava se focando, como, por exemplo, um acidente de carro? Ela não estava se concentrando nisto ou colocando a sua energia nisto.

P'taah: Você sabe, amado, tudo isto volta à idéia que ter o acidente foi uma coisa desagradável. Você entende? Se você vier da premissa de que tudo é perfeito, então não importa o que seja ou como você o cria, ou de onde você o cria, sempre é uma oportunidade de vir a saber mais. E você poderia dizer que o indicador está em: "Qual é a reação?"

Questionador: Este é o indicador?

P'taah: Certamente. Um "acidente". Não há tal coisa como um "acidente". Assim você criou uma circunstância e esta circunstância cria um paradigma diferente daquele que existia antes que você tivesse este incidente.

Questionador: Certo.

P'taah: E neste novo paradigma chamado "após o acidente", qual é então a reação? Como você está nesta situação? O que isto o força a fazer? O que é que você é incapaz de fazer? E qual é o presente?

Em outras palavras, tudo é um presente, de um modo ou de outro. Assim, encontre o presente. É que você tenha a oportunidade de observar uma estrutura de crença? É que você tenha criado uma oportunidade para parar e ficar tranqüilo, de se interiorizar, ao invés de só olhar externamente? É uma situação onde você é solicitado a confiar em outra pessoa para o servir, e não para que você sempre sirva? Você compreende? E não tem que ser algo terrível. Não tem que ser muito sério.

Questionador: Está certo. Assim, até um pequeno aborrecimento - por exemplo, eu tive uma colher presa em minha remoção do lixo no outro dia - até algo assim, se eu puder observar isto e eu puder ver que eu o criei com um propósito e então me sentar e imaginar o que é que eu estou tentando me mostrar.

P'taah: Qual é o presente? Ao que esta história me leva emocionalmente? Ao que é que ela me conduz, de certo modo, que me dá uma compreensão mais ampla de mim mesmo?

Questionador: Está certo, e assim é como você honra as crenças escondidas e esquecidas, fazendo estas perguntas.

P'taah: Absolutamente. Observe a reação em relação à situação. E através das reações emotivas, ou através até da circunstância que afirmamos anteriormente, você poderá ver algo sobre si mesmo do qual talvez não estivesse anteriormente consciente.

Entenda, até ao observar algo assim, você não pode conhecer em seu estado humano todas as respostas. E é necessário também que você, que todos vocês, aprendam a permitir o mistério. Somente para ficar centrado em como você está sendo, sem se preocupar com a história exterior.

Nós lhes damos um exemplo, amado. Vamos usar a situação da colher na máquina de remoção de lixo.

Questionador: Sim.

P'taah: Vamos dizer que antes que isto ocorresse você estava para sair rapidamente de sua casa para fazer algum negócio e devido a esta situação você foi incapaz de se apressar.

Agora, vamos retroceder da situação e observar estas possibilidades. Uma é entrar em seu veículo e se precipitar para o seu compromisso, e ao fazer isto, você teria se envolvido em algum tipo de, vamos dizer, situação no tráfego, que não teria, sob qualquer condição sido agradável para você. E porque você ficou de lidar com a situação em sua cozinha, você adiou um pouco este compromisso em que você ia, do que tinha planejado e assim tudo está perfeito. Você compreende?

Questionador: Sim, compreendo.

P'taah: Assim você não pode nunca, qualquer um de vocês, ver por todos os ângulos para saber o que está ocorrendo na cena maior. Você pode somente ter o conhecimento de que tudo o que ocorre é para o seu benefício, se você o permiti-lo, se você puder se lembrar de que tudo é perfeito, sempre.

Tudo existe de modo que você possa vir a conhecer o milagre que você é, de modo que possa vir a conhecer a sua conexão com Tudo O Que É e que você é certamente o Tudo O Que É, participando deste jogo chamado vida. Não há nada que poderia ser algo além de perfeito na verdade mais ampla disto.

Questionador: Certo, obrigado, P'taah.

P'taah: E todos vocês estão muito ocupados tentando dar sentido a algo que nunca fará sentido, de certo modo.

Questionador: Isto volta ao mistério?

P'taah: Certamente.

Assim, meus amados, é o suficiente para este dia. Eu lhes agradeço com o maior amor e me despeço de todos e de cada um de vocês,

Namastê."

P'taah

 
-------.........----==II==-----............--------

Traduzido por: Regina Drumond reginamadrumond@yahoo.com.br 

Direitos Autorais
Jani King
PO Box 1251
Joshua Tree, CA 92252
760-366-0375 - 888-803-1777
Fax 760-366-0385
 www.ptaah.com  - ptaah@ptaah.com

 

Gostou! Indique o site para seus amigos

|Topo da Página|    -    |Voltar Menu P'taah|    -    |Voltar Home|