OUTRA SONDAGEM DA SEXUALIDADE

P’taah através de Jani King

Janeiro de 2006

 
 

Eu tenho uma pergunta que sempre me fascinou. Se todos que temos em nossa vida, é um espelho, há realmente alguém mais lá fora?

 

De certa forma, não. Mas dizemos a você, lembramos a você, que o espelho não está necessariamente nas facetas da outra pessoa. Preferivelmente, o espelho está em sua reação, em seu sentimento em direção a outra pessoa ou à ação da outra pessoa. Veja, não é necessariamente um espelho de quem você é, realmente.  Naturalmente, todos vocês têm um outro aspecto dentro de vocês. Quando vocês vêem uma pessoa se comportando repreensivelmente, isto não significa dizer que você se comporta repreensivelmente. Naturalmente você pode reconhecer que há uma pequena parte disto dentro de você, ou a possibilidade disto, mas principalmente, é para olhar para a sua reação àquele comportamento, o que aflora. E quando aflora qualquer reação que não seja harmoniosa, não jubilosa, então na verdade, há um medo lá, usualmente um medo de incapacidade.

 

Continuando a nossa última sessão acerca da sexualidade, você pode falar sobre como nós podemos ter a sexualidade satisfazendo nossos relacionamentos?

 

Nós diríamos que quando você se torna mais confortável com sua própria sexualidade e quando você tira os limites de como você pode explorar esta faceta de você mesmo, como você pode desenvolver a sua capacidade para a alegria e a sua capacidade de expressar quem você é aberta e honestamente, então, naturalmente, quando isto se aplica em cada parte de um relacionamento, é mais satisfatório.Seus desafios encontram-se em seu terror de não ser eficiente, e nos tabus e idéias de limitação que você tem acerca da sexualidade, nas idéias que você tem que limitam a sua capacidade de ser quem você é. É o medo que o impede de ter um relacionamento sexualmente satisfatório. Mas, veja, é o medo que o impede de ter qualquer tipo de relacionamento satisfatório.

 

Eu já ia dizer que isto é o que provavelmente permanece em nosso caminho na maioria das áreas da vida.

 

Absolutamente. Como dissemos, que a sua faceta, denominada "sexual", não está separada de qualquer outra faceta ou expressão sua.  E quando você tem problemas em torno de quem você acredita ser, então isto surge em cada atividade e cada expressão.

 

Há algo também para mim, pessoalmente, acerca de ter finalmente encontrado um lugar, onde eu possa ter satisfação sexual completa, e toda a alegria e liberdade que isto traz - e isto cria em si mesmo medos de voltar aos relacionamentos onde isto não existia.

 

Amado, você não é a mesma pessoa como aquela que tinha relacionamentos antes deste momento.

 

Isto é verdade também, naturalmente.

 

E você não vai tirar de sua vida as mesmas, diríamos, facetas da personalidade que as pessoas com quem você teve antes um relacionamento. Estamos falando da maioria dos problemas de controle abusivo. Você não criaria isto agora. Isto não é a freqüência que você é.

 

E ainda, eu pareço ter criado em minha vida agora um relacionamento muito satisfatório sexualmente, mas que cria outros medos muito profundos de dor...

 

Naturalmente, é quase como que o feitiço virasse contra o feiticeiro, e você percebesse ser o poderoso e no controle.

 

Sim, e eu continuo tentando ver por que eu mantenho isto. Algumas vezes quando você se defronta com seus medos mais profundos... é como eu tivesse acolhido tantos a um certo nível, mas quando você começa a tratar com as pessoas sobre suas verdadeiras paranóias, sua natureza sexual verdadeira, como elas são quando estão amando ou, você sabe, doença mental ou algo, estes medos parecem se aprofundar mais do que qualquer habilidade de apenas acolhê-los de alguma maneira.

 

Sim, amado, e veja, eles são muito profundos e muito poderosos porque eles são problemas que nunca foram tratados.

 

Por existências.

 

Por existências, não uma existência.

 

Não, não, eu sei quão poderosa é a ferramenta "me mimar como um bebe", o abraço e a respiração, quando os medos se aproximam e tudo o que você descreveu como uma chave de transformação. Não obstante, eu ainda me sinto completamente incapaz de aceitar e transformar estes medos mais profundos, e eu sei que muitas outras pessoas sentem o mesmo.Você poderia falar um pouco sobre isto?

 

Há duas coisas aqui. Uma é que não há nada para determinar. E a outra é que você somente pode tratar com o que está ocorrendo no momento do Agora. Entenda, você se olha e diz, "Oh, querido! Há ainda esta situação extremamente confusa, esta energia irritante, de paranóia, de seja o que for, que não foi resolvida”.Então, dizemos a você, em sua vida no dia a dia, ao fazer as suas atividades usuais, como é isto? E a verdade é, é muito admirável.

 

É.

 

E então você se encontra em um relacionamento e o relacionamento origina isto e, é somente neste momento de reconhecimento que você tem uma escolha de prosseguir com seja o que estiver acontecendo, ou desistir e comportar-se no velho padrão.

 

Veja, de certa forma, todos vocês têm uma idéia de perfeição. É quase como se vocês fossem um cartão recortado do que, de certo modo, pareceria um ser iluminado. Bem, não há tal coisa.Vocês são perfeitos agora. Vocês são perfeitos até em seus medos, em seu desespero, em seus hábitos.Vocês são perfeitos. Vocês são expressões da Fonte.

 

E onde é que vocês realmente aspiram ser tudo o que vocês podem ser, vocês compreendem que até nestes lugares que parecem para vocês ser menos do que perfeitos, não há, de fato, nada para se determinar. Vocês podem se tranqüilizar em quem são vocês, sem o julgamento de que vocês não são normais, e nem quando todos os demais pensem o que vocês deveriam ser, ou cumprindo o padrão que foi determinado em sua sociedade de como deveria ser uma pessoa perfeita. Você compreende?

 

Sim, mas é também sobre a dor de não estar em uma posição de alegria. Não é sobre o que não é perfeito em mim.`É sobre algo que não está certo, porque de outro modo, eu não teria dor.

 

Realmente, amado. É acerca do julgamento.

 

Sim. Eu posso começar a ver isto.

 

Veja, a dor é acerca do julgamento de não ser perfeito. Você pode dizer, "Bem, eu não penso conscientemente sobre isto, sobre ser perfeito”.Mas, veja, há uma espécie de marca, se preferir, e todos vocês ficam aterrorizados ao serem diferentes desta marca, que imprime a consciência coletiva.

 

Algumas vezes, nós até dizemos que aqueles que estão na jornada espiritual sofrem mais disto, pois o ideal aqui, é que vocês deveriam ser seres iluminados, e se não são, então há algo errado, algo não perfeito em vocês.

 

Então, vejam, há uma grande dicotomia onde vocês estão julgando-se sempre por não serem suficientes, e isto naturalmente cria dor, e a resistência a este julgamento, cria dor.Isto faz sentido?

 

Sim. Eu terei que pensar mais nisto. Quero dizer, para mim, o problema pessoal é que sinto estar sendo desonesto, mas meu medo está me mantendo desonesto. entretanto eu não estou confortável nisto, pois eu sinto que não estou falando a minha verdade, e eu não posso comparar muito ao ter um julgamento que eu deveria falar tanto disto, como apenas um sentimento inato que eu quero ser assim, entende?

 

E então qual seria a verdade, amado?

 

Eu não sei. Que eu falaria minha verdade e não me amedrontaria?

 

Veja, quando você se olha, você vê algo muito diferente do que quando eu o olho.

 

Sim.

 

E este julgamento acerca do medo, como você diz corretamente, impede-o de ser tudo o que você pode ser, pois esta é a natureza da humanidade. Entretanto, o que é mais importante é que você pode falar a verdade para si mesmo. Entende?

 

Sim.

 

Quando você pode falar a verdade para você mesmo, não tem que abrir a sua boca.

 

Oh, isto é interessante. Então você está dizendo que se nós podemos dizer a verdade para nós mesmos, quem somos neste momento resplandece tão fortemente que as pessoas o aceitam, mesmo se não dizemos isto?

 

Absolutamente.

 

E talvez não importe se eles o aceitam.

 

Isto não lhe compete se, ou não, alguém mais o aceite.

 

Então você não tem necessariamente que discutir tudo que está acontecendo com uma pessoa, se é uma pessoa com quem você está em um relacionamento íntimo, ou, você sabe, qualquer tipo de relacionamento - você necessariamente não tem que fazer isto.

 

Não, porque mesmo quando você diz as palavras mais baixo, elas são percebidas por diferentes pessoas, de diferentes maneiras, de acordo com as lentes e filtros de seus próprios medos e suas próprias crenças.

 

E também o que eu considero ser a minha verdade um dia, não é a mesma verdade, no dia seguinte.

 

Realmente, assim é.

 

E alguma outra pessoa poderia perceber o que eu digo um dia como concreto, e então eu digo, "Bem, você disse tal e tal, ontem”.

 

Isto é verdade. Está certo, amados, é o suficiente até o momento para este dia. Continuaremos esta discussão em outra sessão juntos. Por agora, é hora de nos despedirmos e com o maior amor publicamos isto para vocês todos, namastê.

 

Cada Escolha é a Escolha Perfeita

 

 

Nós temos falado acerca dos relacionamentos e da sexualidade. Podemos voltar à dor apenas por um momento? Minha filha recentemente teve uma briga imensa com seu marido, e seu relacionamento passava por um momento de muita dor. Agora eu sou a Mãe tentando dizer à filha, que é uma mulher crescida, "Inspire isto”, mas de modo algum ela vai se aproximar desta dor. Eu não sabia o que fazer em seguida para ajudá-la nisto. Talvez, como você diz, não, não era da minha conta de forma alguma.

 

Isto não é da sua conta.

 

Quando ela estiver pronta, ela aprenderá como agir por si mesma. 

 

Ou não.

 

Oh! Bem, isto é verdade.

 

A sua competência é somente amá-la.

 

Sim, e isto funcionou.

 

Realmente, isto funcionou. Sempre funciona.

 

Estar neste espaço de amor pelo outro, dá à pessoa, a oportunidade para fazer aquilo que ele ou ela queira.

 

Realmente, porque o direito soberano do outro, é estar em sua jornada - entretanto, seja qual for à maneira que eles escolherem. E não é da sua competência dizer, "Mas você deveria fazer isto desta forma”.

 

E claramente, o que é verdadeiro para o meu relacionamento com ela, é verdadeiro em um relacionamento íntimo ou qualquer outro tipo de relacionamento, também.

 

Absolutamente. Não há diferença, você sabe.

 

Sim, dar espaço para a outra pessoa ser tudo o que ele ou ela podem ser.

 

Realmente, ou não.

 

Que parte o ensinamento tem nisto tudo? Você entende, onde você está, oferecendo...

 

Amado, você sabe, o modo mais maravilhoso de ensinar, é simplesmente ser.

 

Sim, naturalmente.

 

Tudo o mais é simplesmente uma atividade.

 

Isto é verdade, P'taah, esta nova pergunta se relaciona a quando falamos acerca de nossa idéia de perfeição e nosso julgamento que temos que ser perfeitos. Há um conceito que é muito comum hoje, acerca do que estamos chamando "ascensão". A ascensão é uma evolução natural de mover-se para um estado de total amor?

 

Mas, naturalmente que é.

 

Mas eu estou imaginando se nós estamos apenas vendo esta idéia deste estado ascendido de quinta dimensão novamente como parte de nossa vontade de sermos perfeitos.

 

Assim é. Nós dizemos novamente, esta idéia de ascensão ou iluminação, ou mover-se, nós diríamos, uma cópia da consciência expandida, é na verdade, um resultado natural de aprender a amar, quem você é, absoluta e incondicionalmente, sem julgamento e ver-se somente como uma extensão maravilhosa da mente da criação, uma expressão da Fonte. Também entra em uma espécie de linha de tempo, um grande ciclo - um círculo, quase. Nós poderíamos dizer que a humanidade, como um corpo de consciência, mover-se-á para esta freqüência de maturação de tempo, dentro deste ciclo. Então, como sempre, isto não é uma resposta, mas é multidimensional, e a verdade é que vocês já existem neste lugar aonde estão tentando chegar.

 

Namastê

P’taah

Através de Jani King

 
-------.........----==II==-----............--------

Traduzido por: Regina Drumond reginamadrumond@yahoo.com.br 

Direitos Autorais
Jani King
PO Box 1251
Joshua Tree, CA 92252
760-366-0375 - 888-803-1777
Fax 760-366-0385
 www.ptaah.com  - ptaah@ptaah.com

 

Gostou! Indique o site para seus amigos

|Topo da Página|    -    |Voltar Menu P'taah|    -    |Voltar Home|