LuzdeGaia  
 
  SE FAZER DE VÍTIMA:
ENTENDENDO A PSICOLOGIA DO VITIMIZADO
Mensagem de Juan O'Keeffe
06 de novembro de 2018
 
luz de gaia
Coisas que não gostamos acontecem a todo momento na nossa vida.

Você fica sem emprego. Vai mal nos negócios. Se desentende com alguém. Perde uma oportunidade. Seu plano dá errado.

Nessas horas muitas vezes acontece de adotarmos o comportamento de vítima.

O ato de se fazer de vítima acontece quando nos sentimos prejudicados por um acontecimento que não causamos. Então encontramos algo ou alguém para culpar e responsabilizar pelo nosso infortúnio.

Vejamos alguns desses exemplos.

Considere que você esteja sem emprego. Então culpa o governo e a economia por não oferecerem oportunidades.

Digamos que você seja um empresário e os negócios não estejam indo bem. Então culpa o desempenho de funcionários e o atraso de fornecedores.

Você não passa numa prova de concurso e culpa o cursinho preparatório que não ensinou temas que caíram na prova.

Você se desentende com alguém e culpa essa pessoa por sempre ignorar o seu ponto de vista.

Em todas essas situações você está agindo como uma vítima. Vítima do governo, da economia, dos funcionários, do cursinho, da pessoa com quem se desentendeu.

Na sua cabeça eles são os vilões que prejudicaram você e você é a vítima da situação.

Gente que se faz de vítima tem o costume de ficar se lamentando e valorizando como os outros agiram errado com ela.

Tem a necessidade de falar para todos como as coisas estão e quem são os culpados de tudo isso. É uma busca por validação externa. Quer que os outros concordem que ela foi uma vítima da situação e sintam pena dela.

Quem se faz de vítima tem uma necessidade de se sentir vitimizada e injustiçada e fica remoendo em cima dessa situação. Tanto na conversa com outros como nos seus próprios pensamentos.

Qual o problema de agir como vítima?

O problema de agir com mentalidade de vítima é que esse comportamento nos tira o controle da situação e entrega-o para o outro.

Deixe-me explicar o que quero dizer com isso.

Ao culpar algo ou alguém pelas atuais circunstâncias da sua vida basicamente o que você está dizendo é que essa entidade externa é quem determina a sua realidade. Ou seja, é ela que tem o controle sobre a sua vida.

Com isso, ao ficar se vitimizando, a pessoa não sai dessa situação adversa em que vive. Isso pois deu todo o controle sobre a sua realidade para algo ou alguém que não seja ela própria.

Como deixar de agir como vítima?

Uma forma de agir que traz resultados muito mais positivos para a vida é deixar de agir como vítima e assumir a responsabilidade sobre as adversidades que você enfrenta.

Se você está sem emprego, a responsabilidade é sua. Não do governo ou da economia. Claro que isso contribui para dificultar. Mas por mais difícil que esteja você tem a responsabilidade de fazer o que é necessário para conseguir a sua fonte de renda. Talvez seja se qualificar mais, encaminhar mais currículos, aumentar sua rede de contatos, tentar um negócio próprio etc.

Se o seu negócio está indo mal, a responsabilidade é sua. Sim, pode ser que alguns funcionários e fornecedores tenham pisado na bola. Mas a responsabilidade é sua como dono do negócio encontrar os mecanismos para se proteger disso ou se recuperar quando acontece.

Se o cursinho preparatório não cobriu conteúdo que caia na prova do concurso, a responsabilidade é sua. Você que deveria ter ido atrás de estudar esse conteúdo em outro lugar se queria passar na prova.

Se você se desentendeu com alguém, a responsabilidade é sua. Talvez a pessoa tenha agido de forma errada com você. E claro, sobre isso não há o que você possa fazer. Mas é responsabilidade sua a forma como você responde e contorna a situação. É responsabilidade sua melhorar a sua habilidade de lidar com gente difícil. Ou mesmo sobre como se deixa expor a situações incômodas como essa.

O ponto é que você deve assumir a responsabilidade pelos resultados da sua vida. Você não tem controle sobre o mundo externo e seus acontecimentos. Mas tem controle sobre você. Sobre como você reage à cada situação.

Em vez de ficar reclamando como você foi vitimizado, é sua responsabilidade agir da forma que irá trazer os resultados que você deseja para sua vida.

Quando as coisas dão errado precisamos perguntar mais “O que preciso fazer agora?” em vez de “Por quê isso foi acontecer comigo? Por quê fizeram isso comigo?”. Isso é assumir responsabilidade por seu destino. Coloca você no modo de planejamento e ação para resolver o seu problema em vez de ficar no inútil pensamento negativo de peninha de si mesmo.

Você deixa de agir como vítima e passa a agir como um criador. Alguém que tem às rédeas da sua vida. Independente das adversidades que surjam pelo caminho.

Problemas sempre vão existir. A diferença entre o criador e a vítima é que o criador se concentra no que quer e em como conseguir enquanto pessoas que se vitimizam ficam remoendo nas coisas que não estão certas na sua vida.

A responsabilidade é sua se você não emagrece.

A responsabilidade é sua se você vive num relacionamento que não faz bem à você.

A responsabilidade é sua se você trabalha com algo que não gosta.

A responsabilidade é sua se está com problemas financeiros.

Assumir as responsabilidades e resolver os problemas em vez de se fazer de vítima culpando outros.

Você terá resultados muito melhores se perceber que tem controle sobre como você responde a quaisquer que sejam suas circunstâncias e utilizar isso a seu favor.

Melhor parar de olhar para o mundo externo e como você pode culpá-lo pelos seus problemas. Olhe para dentro de si mesmo e concentre-se em como você pode melhorar a situação.

Pessoas que se fazem de vítima o tempo todo acham que os outros devem alguma coisa à ela, em vez de concentrar em sua própria responsabilidade de criar as soluções para os seus problemas. Saiba que ninguém deve nada a você. Ninguém tem que sentir pena de você. Você não é mais uma criança.

Por isso, quando você se sentir vitimizado procure deixar isso um pouco de lado. O melhor a ser feito é assumir a responsabilidade pelos resultados da sua vida e focar em fazer o que precisa ser feito para conseguir o que você quer.

Quer dizer que devo aceitar injustiças calado?

Claro que não. Quando vemos injustiças e coisas que achamos incorretas é de direito lutar para que sejam corrigidas.

Então, por exemplo, se alguém roubou você é de direito buscar ressarcimento.

Se está difícil conseguir emprego pois a economia está ruim, é de direito exigir melhores condições dos governantes.

Pode ser na vida pessoal, na política ou qualquer outro lugar.

Precisamos lutar pelo que acreditamos.

Porém, isso não quer dizer que possamos usar esses acontecimentos como desculpa para não fazermos o que temos que fazer para melhorar.

Agir como vítima é ficar reclamando dessas circunstâncias sem fazer nada.

Assumir a responsabilidade é parar de ficar reclamando e lutar para que essas coisas mudem e para que você vença o desafio, apesar dessas dificuldades.
 
-.....---==II==----.....-
 
 
Direitos Autorais:

Juan O'Keeffe
https://www.evolucaopessoal.com.br/se-fazer-de-vitima-entendendo-psicologia-do-vitimizado
 
 
 
Gostou! Indique o site para Seus Amigos.
 
IITopo da PaginaII - IIVoltar Menu Outras CanalizaçõesII - IIVoltar HomeII