LuzdeGaia  
 
  UMA NOVA LINGUAGEM DE SENTIMENTO
Guruji-Ma
06 de Março de 2019
 
luz de gaia
E se pudéssemos saber além de qualquer dúvida, que nós não tínhamos falta de nada nem mesmo dos sentimentos que pensávamos que deveríamos ter, mas que não conseguíamos encontrar dentro de nós mesmos?

Poderíamos descobrir que estávamos completos.

Queridos,

À medida que a consciência se abre para a nossa vida interior, na presença da luz em expansão, estamos conscientes de mais sentimentos / emoções em nosso corpo e em nosso coração do que antes, tanto positivos quanto negativos. Essa consciência intensificada tem uma função libertadora, pois nos permite nos separar daqueles sentimentos que preferiríamos não ter, algo que não poderíamos fazer se não soubéssemos que eles estavam lá.

Sentimentos / emoções podem operar em um nível consciente, subconsciente e inconsciente, e assim o princípio da purificação, a saber, que algo deve tornar-se consciente para que seja curado, é uma verdade geral aplicável a todas as emoções. Embora os atos de graça e bênção divinas às vezes possam mitigar essa necessidade e tornar a lousa branca e limpa em uma única ação potente, isso é muito mais raro do que a separação gradual das emoções difíceis que ocorrem ao longo do tempo e ao longo de muitas vidas.

A função libertadora de vivenciar mais a nossa vida emocional não é clara para nós enquanto sentimos o desafio ou a dor de emoções difíceis. Ainda mais é desconhecido que a palavra "sentimento" possa se aplicar a algo que não reconhecemos com nossa mente consciente, mas, no entanto, respondemos como se o fizéssemos. Tal 'sentimento' não é algo que poderíamos descrever em palavras, uma vez que não atingiu o nível do conhecimento verbal. É mais um conhecimento do corpo do que uma percepção mental. No momento, falta-nos um vocabulário para esses 'sentimentos' que são experimentados como reais, mesmo que não saibamos como sabemos que eles estão lá. Também carecemos de um vocabulário para entender que, quando desejamos progredir, espiritualmente, em direção a uma experiência mais íntima do Divino, podemos experimentar uma 'falta de sentimento' que se relaciona com a experiência Divina pela qual nos culpamos, e nos perguntamos o que estamos fazendo de errado.

Por exemplo, à medida que crescemos, espiritualmente, há mais anseio e desejo de experimentar o amor divino, a beleza divina e a perfeição divina. Entendemos com nossa mente conceitual que essas coisas são possíveis de sentir e, no entanto, nós nos perguntamos por que não as estamos sentindo. Aqui está um mistério de grande e profunda importância para cada psique humana que aspira tocar o Divino. É que podemos "sentir" algo sem saber que estamos sentindo isso. Podemos sentir isso em nossa alma sem sentir isso em nosso eu encarnado como uma sensação reconhecível. Aqui, não é apenas uma questão de saber algo ou pensar em algo. É uma questão de experienciar algo em um nível profundo a que nossa mente consciente não tem acesso.

Muitos desejam mais confiança no Divino e reconhecem a desconfiança. E, no entanto, no nível mais profundo, o "sentimento" de confiança está presente. Muitos também desejam a experiência de um amor incondicional maior - tanto na doação quanto no recebimento, e muitas vezes nos encontramos limitados ou carentes desse amor. E ainda no nível mais profundo de nossa consciência, ele está aí.

Como devemos chamar esses 'sentimentos' que sentimos, mas não damos crédito, porque eles não produzem sensações dentro do corpo como a maioria das emoções, e eles não se anunciam à nossa mente com um rótulo como muitas emoções comuns fazem? Nós os chamaremos de sentimentos dentro de nossa alma ou "sentimentos de alma" e, com esse entendimento, aceitaremos que somos seres de múltiplas camadas, com múltiplas camadas de consciência. Portanto, o que não "sentimos" em um nível de nossa experiência, podemos "sentir" em outra camada. Tal perspectiva nos tira o sentimento de culpa e responsabilidade por qualquer falta que percebamos dentro de nós, como se tivéssemos feito algo de errado para criar essa falta. Com o reconhecimento de nós mesmos como seres de múltiplas camadas, podemos reconhecer os sentimentos de nossa alma, e saber que nossa vida emocional e espiritual, com todos os seus sentimentos complexos, deve levar o seu tempo para integrar suas percepções da alma com as do eu encarnado. Enquanto aguardamos essa integração mais completa, o que estamos querendo "sentir" não está ausente. Está presente em outra camada do nosso ser, tornando-se mais acessível à medida que a alcançamos. Com esse conhecimento, podemos nos sentir completos, em vez de incompletos, dignos em vez de indignos, plenos em vez de carentes, dentro de um amplo espectro de consciência.

Tal é o nosso futuro como seres humanos, abertos ao Divino interior, sensíveis ao invisível e ao visível. É um futuro em que o desconhecido se tornará progressivamente conhecido e no qual as percepções da alma se tornarão o padrão pelo qual somos capazes de viver.

Com o mais profundo amor e bênçãos

Guruji-Ma
 
-.....---==II==----.....-
 
 
Direitos Autorais:

luz de gaiaGuruji-Ma

http://lightomega.org
Tradução: Regina Drumond - reginamadrumond@yahoo.com.br
 
 
 
Gostou! Indique o site para Seus Amigos.
 
IITopo da PaginaII - IIVoltar Menu Outras CanalizaçõesII - IIVoltar HomeII