LuzdeGaia  
 
  CONSUMISMO ESPIRITUAL
Mensagem de Lisa Renee
04 de setembro de 2018
 
luz de gaia
Quando nos tornamos mais conscientes de como a consciência da pobreza está sendo projetada nas mentes materialistas que apoiam e alimentam a máquina da economia consumista global, podemos ver que um dos principais objetivos é manter os indivíduos sentindo uma pressão constante e preocupação em ganhar bens materiais e avaliar seu acesso a recursos que equivalem a status pessoal, segurança ou poder.

Esse mesmo condicionamento social é direcionado diretamente para as comunidades de ascensão espiritual ou para aqueles que estão se propagando nas mídias sociais para a indústria da consciência, para manipular os impulsos instintivos inferiores e fazer as pessoas comprarem ou endossarem muitas formas de consumismo espiritual e rotulá-las como “estar consciente”.

Ao visar especificamente, e espalhar os medos da consciência de pobreza destinados a gerar insegurança, dúvida e desespero nas massas, eles alimentam a deificação de valores materialistas em todo o mundo, e isso gera uma infecção em muitas modalidades baseadas na espiritualidade.

O consumismo tornou-se a principal religião do mundo, que capitaliza a insegurança e os medos de sobrevivência nas pessoas, a fim de vender e comercializar continuamente linhas de produtos, e é sábio lembrar que os produtos espirituais também são usados da mesma maneira.

No caminho espiritual, se estivermos sendo honestos conosco, é importante observar exatamente os mesmos esquemas de marketing usados para tornar a ascensão, ou consciência mais elevada, um item de consumo que pode ser facilmente adquirido.

Campanhas de marketing estão sendo usadas com todas as diretrizes principais de consumo para atrair seguidores massivos, e estão sendo apresentadas e divulgadas ao público através das mídias sociais e do YouTube. Pessoas que geralmente não estão equipadas com um forte discernimento têm a tendência de doar seu poder pessoal a uma influência externa, como um tipo de guru, consciência de grupo ou um movimento de consumismo espiritual que se divulga como uma autoridade espiritual.

Muitas pessoas estão acreditando que a espiritualidade, a expansão da consciência e a iluminação podem ser alcançadas através do caminho de “consumidor” da espiritualidade e dos autoproclamados especialistas que se chamam de mestres. Eles podem comprar a iluminação, ter uma vida espiritual glamourosa nos planos galácticos - em vez de se comprometer com o trabalho interno mais profundo de limpar a sombra, observando o ego indisciplinado em ação e corrigindo padrões abusivos de comportamento.

Valores materialistas que impulsionam as culturas de consumo glorificam e criam personalidades narcisistas que têm pouca ou nenhuma empatia por outras pessoas. Pessoas que são materialistas e motivadas externamente tendem a igualar o seu valor/mérito/dignidade e estima em sua riqueza, status e posses acumuladas.

No entanto, a mesma armadilha é comum sob o rótulo da espiritualidade ou consciência superior, uma espécie de consumismo espiritual que é comercializado como iluminação para obter um nível comercial de falso status espiritual.

A crença de que a iluminação pode ser alcançada através da gratificação instantânea e através de uma visão superficial da vida, enquanto se ignora o profundo trabalho emocional interno que leva à responsabilidade pessoal e a uma maior integridade.

As pessoas que são materialistas tendem a ter comportamentos altamente ambiciosos, competitivos, arrogantes e agressivos e estão profundamente preocupadas com questões de adequação pessoal e exercer o seu poder no mundo. Essas qualidades antiéticas podem aparecer de forma bastante agressiva naquilo que pode ser rotulado como uma comunidade espiritual, ou na indústria que surgiu em torno de tópicos que promovem um maior desenvolvimento da consciência.

Assim, quando uma comunidade ou organização espiritual opera com esse ponto cego estridente, elas também comprometem o comportamento ético e humano a fim de acumular os recursos e posses que desejam a fim de ganhar mais poder para sua causa. Talvez elas justifiquem que a tomada de poder seja necessária para servir ao bem maior, sentem que têm uma missão elevada que é mais importante do que os outros ao seu redor. Talvez elas tenham se considerado como líderes de um movimento de massa para a necessária mudança de consciência, e como muitas outras que foram antes delas, que deixam o mesmo rastro de danos emocionais e destruição em seu caminho.

Um líder espiritual é um servo do povo, e ter compaixão e empatia pelos outros é a principal marca de ser dedicado ao caminho da ascensão espiritual. Caso contrário, ele pode rapidamente se desviar para uma armadilha da consciência com ilusões astrais de grandeza, enraizada em repetidos abusos de poder, que causam uma derrocada, uma ruína.

Quantas vezes vimos o mesmo enredo, em diferentes épocas, pessoas diferentes trabalhando nas comunidades espirituais, mas a mesma narrativa abusiva é repetida passando despercebida e não é reconhecida?

Ao longo de muitos anos, a dinâmica de grupo e o mundo de forças presentes em muitos grupos espirituais não estão reconhecendo os abusos de poder quando estão ocorrendo, que são causados pelo mesmo ego destrutivo e comportamentos descontrolados.

Essas são as lições importantes do passado que permanecem sem aprendizado. O que não aprendemos, continuamos repetindo.

Se estudarmos gurus espirituais e comunidades espirituais nos últimos anos, começaremos a ver um padrão muito perturbador de abusos grosseiros de poder. Onde um poder absoluto foi dado e completamente corrompido, isso fez com que a missão do grupo falhasse.

O campo (egrégora) de grupo da comunidade começa a se afogar nas mesmas forças obscuras arquetípicas em massa que preferem usar táticas de traição espiritual e manipulação de vítimas para continuar dentro desse grupo a Agenda de Divisão e Conquista.

Essa é a grande configuração na Terra, uma pessoa que muito deseja a validação externa de autoestima e especialidade, terá que jogar os jogos mentais para conseguir o que o ego quebrado e o impulso instintivo querem. Isso significa que eles devem fazer o acordo ou Pacto Faustiano (lenda alemã de pacto com o demônio); desistir da soberania pessoal e muitas vezes se prostituírem, em razão de quem está realmente por trás dos abusos de poder e controlando a estrutura espiritual.

A primeira coisa que essas forças das trevas fazem é descobrir o ponto de pressão da pessoa espiritualmente ambiciosa e trabalhar para comprometer a integridade pessoal e inviabilizar o aprimoramento espiritual, a fim de explorar os vícios e fraquezas através de chantagem psicológica e emocional.

Uma pessoa emocionalmente instável é uma pessoa de mente fraca que é facilmente possuída, portanto é facilmente manipulada por seus impulsos incontroláveis até se tornar tão completamente corrupta que seu corpo físico é usado para satisfazer os caprichos das forças das trevas que estão controlando seus impulsos instintivos. Os impulsos instintivos não são comportamentos iluminados, são o marcador de uma pessoa espiritualmente subdesenvolvida.

Assim, o consumismo espiritual pode ser altamente viciante para o corpo instintivo, uma vez que é comercializado como entretenimento e como uma pílula de felicidade astral.

Esta é a principal razão pela qual tantas pessoas são vítimas de suas reações instintivas e indulgências pessoais transferidas para o consumismo espiritual, o que leva a um rápido declínio espiritual, que exacerba ainda mais comportamentos antiéticos e abusos de poder.

Para muitos, a espiritualidade é vista como uma opção de consumo, como uma extensão ou aplicativo com um período de ativação e teste gratuito. Talvez nesta semana experimentemos o aplicativo meditação, o aplicativo xamânico Ayahuasca ou o aplicativo da yoga. Algo que podemos adicionar ao nosso sistema operacional, que oferece mudanças, para ajudar a elevar nossos instintos básicos, nos faz sentir mais em forma, mais gentis ou mais pacíficos.

Isso geralmente vem com limitações subconscientes, colocando uma parada interna em muitas mudanças, que nos deixariam desconfortáveis ou perturbariam a maneira como nos vemos ou nos relacionamos com o mundo ao nosso redor.

Essa descrição do consumismo espiritual pode parecer dura, mas há uma qualidade de bem-estar muito superficial associada ao marketing e à monetização da espiritualidade e da auto-ajuda, que opera quase como uma isca e um interruptor. A isca e o interruptor têm desonestidade em seu cerne, no marketing usado para enganar nossa mente e pensar que estamos comprando um produto que nos tornará espiritualmente fortes e mais evoluídos do que realmente somos.

Participar de retiros de uma semana para olhar nossa raiva, nossa tristeza ou nossas próprias coxas é tratado como o equivalente a um falso despertar, ou de um processo profundo de cura emocional. Retiros que arranham a superfície e nos permitem sentir algo, nos permitem marcar uma “caixa fechada” que depois é transformada interiormente, - “eu pessoalmente estou além de toda essa sombra porque já lidei com isso.”

Assim, a configuração leva a ignorar as bandeiras vermelhas e a fraqueza emocional na vida cotidiana, porque o medo de realmente enfrentar problemas mais profundos e ter que fazer mudanças em seu estilo de vida é muito grande.

O desenvolvimento espiritual é sobre tirar o ego negativo do assento do motorista e estar aberto e disposto a sentir as mudanças que realmente precisam acontecer enquanto se é honesto conosco mesmos. Se realmente estamos sendo honestos, talvez saibamos que precisamos mudar, mas enfrentaremos um teste de autorresponsabilidade. No mercado espiritual do consumidor, podemos transferir essa responsabilidade para outra coisa, e fingir que estamos realmente fazendo algo espiritual porque pagamos por um produto ou ouvimos um tipo de guru que prometeu o Despertar.

No entanto, há uma relevância das trocas baseadas em valores quando estamos em serviço na comunidade espiritual. Devemos espalhar esse valor e serviço para os outros, a fim de continuar circulando a energia-dinheiro para trocar com outros que também contribuem para o bem-estar geral da comunidade em suas próprias maneiras.

Quando valorizamos os seres humanos e o que eles contribuem, o valor está embutido no trabalho, serviço ou produto que é trocado.

O dinheiro recebido deve representar a troca do valor justo desse trabalho. O dinheiro recebido representa o valor do seu trabalho, tempo, energia, talentos e contribuição, QUANDO VOCÊ GASTA ESSE DINHEIRO VOCÊ ESTÁ DEIXANDO IR O VALOR CRIADO E HONRANDO O VALOR QUE OUTRA PESSOA CRIOU.

É interessante ver pessoas que se descrevem como praticantes espirituais de longo prazo, porém, são completamente derrubadas pelos desafios básicos do dia-a-dia ou têm um colapso nas eleições políticas.

Também é interessante ver aqueles que se posicionaram como professores espirituais abusando do poder tão frequentemente se relacionando com os seus estudantes ou sendo verbalmente abusivos/birrentos. Estes são alguns dos problemas com o consumidor da espiritualidade, que investe tempo e dinheiro em um produto, técnica, tradição ou estratagema, tornando-o parte da sua rotina e, possivelmente, da nossa estrutura social.

Alguém pode ter anos de “prática” como consumidor, pendurado na superfície da espiritualidade, mas depois é derrubado como um castelo de cartas por eventos relativamente pequenos de adversidade.

As pessoas podem alternar entre esses estados de ego inferior e frequência mais alta (momentaneamente). E por quanto tempo mantêm estados de frequência sustentada mais elevada é a marca da maturidade espiritual e do domínio sobre as energias pessoais.

Quando as pessoas perdem o centro, surtam ou atacam, você está olhando para uma birra do ego, e quando o fazem é sinal de violência interior, fragmentação e necessidade de cura espiritual integrativa. A violência interna gerada pelas três camadas de programação de controle do ego e da mente que permanece não curada resultará em acessos de raiva direcionados para o controle.

Essa é uma parte importante a ser lembrada a respeito de por que os seres Crísticos nunca desviam seu foco para se engajar em estratégias combativas que são violentas, e optam por permanecer em paz e manter um coração puro e amoroso até mesmo nas interações mais difíceis.

O desenvolvimento espiritual leva o desenvolvimento autêntico do caráter humano e decide que tipo de pessoa você realmente quer ser no mundo.

Quando somos honestos e responsáveis em relação ao nosso compromisso pessoal de melhorar a nós mesmos, estar nesse compromisso de fazer o que é necessário, isso nos leva além de nossas zonas de conforto e realmente nos torna pessoas mais fortes e mais equilibradas.

Este é o momento de ter um papel ativo na cura de nós mesmos, curando nossas vidas para que nos tornemos pessoas saudáveis e equilibradas.

Quando conseguimos identificar comportamentos emocionalmente destrutivos e estamos dispostos a tomar medidas para curar nossos pensamentos e emoções, nos empoderamos para tomar medidas que nos conduzam à liberdade espiritual.

Que o Amor, A Paz e A Força Espiritual os abençoem.
 
-.....---==II==----.....-
 
 
Direitos Autorais:

Lisa Renee
https://energeticsynthesis.com/index.php/resource-tools/blog-timeline-shift/3350-spiritual-consumerism

Tradução: Vilma Capuano <vilmacapuano740@gmail.com
 
 
 
Gostou! Indique o site para Seus Amigos.
 
IITopo da PaginaII - IIVoltar Menu Outras CanalizaçõesII - IIVoltar HomeII