A HISTÓRIA DE TODOS
Mensagem de Neale Donald Walsch,
16 de julho de 2011
 

Na semana passada, eu disse que toda a minha vida procurei a Experiência Sagrada. Toda a minha vida soube que a Experiência Sagrada revelaria tudo, tudo acerca de Deus, tudo acerca da vida e tudo acerca de mim. As únicas questões para mim têm sido, o que é a Experiência Sagrada e onde é que a posso encontrar?

Depois, falei sobre como começou a minha busca… na escola Católica Romana da minha infância. Até os meus pais me enviarem para essa escola eu nunca tive qualquer dúvida de que tudo o que precisava de fazer, se quisesse Deus perto de mim, era chamá-Lo. Ele estaria sempre lá, a minha Mãe dissera-me, e eu acreditara nela.

Quando fui para a St. Ignacius e as freiras me disseram que, bem, não era exatamente assim. Deus quer vir a mim sempre que eu O chamo, garantiram-me elas, mas Deus não pode ser recebido por uma alma impura.

Quem tem uma alma impura?, perguntei. Todos nós, disseram-me. Todos nós temos almas impuras. Nenhum de nós é digno de receber Deus nas nossas vidas.

Como podemos tornar-nos dignos? Eu queria desesperadamente saber. Pensava que Deus viria para nós sempre. De facto, eu tinha sido ensinado pela minha Mãe que Deus estava connosco sempre, e que tudo o que tínhamos que fazer para receber a ajuda e a bênção de Deus em qualquer momento era chamar Deus que estava Sempre Lá, e que essa ajuda seria nossa. Assim, estavam a dizer-me, “bem, não exatamente…”.

Eu tinha que ser digno para receber Deus debaixo do meu telhado. E o problema era, eu tinha nascido impuro. Foi em St. Ignatius que eu aprendi sobre o Pecado Original, e como eu era um pecador todos os dias, e como Deus não podia vir para a minha alma se eu fosse um pecador, mas não se fiquem consternados, porque Deus podia perdoar-me os pecados e depois vir para a minha alma – mas primeiro, eu tinha que os confessar.

Deus não podia perdoar os pecados que não eram confessados. Por isso, foi criado o Sacramento da Confissão pela Principal Igreja Católica Romana como uma via para o perdão e, finalmente, a Salvação.

Se nós confessássemos os nossos pecados, Deus perdoar-nos-ia, tornando as nossas almas de novo puras, fazendo tábua rasa. Podíamos então fazer a Comunhão. Podíamos receber o Deus vivo nas nossas vidas através do consumo da carne e do sangue de Cristo (literalmente, não metaforicamente), que era o filho de Deus e que morrera pelos nossos pecados.

Ensinaram-me que o pão e o vinho correntes se transformavam no corpo e no sangue de Cristo no momento da Consagração (um ritual e o ponto alto de toda a Missa Católica Romana), quando ocorria o milagre da Transubstanciação, a primeira fase da Comunhão Sagrada. 

A Confissão, como podem ser capazes de ver, de repente tornou-se muito importante para mim. Eu ia à confissão tantas vezes quanto podia, no melhor para ter a certeza de que não tinha pecados nos meus ombros não fosse a morte vir bater-me à porta.

Enquanto criança eu estava nervoso com isto. Podem pensar que estou a brincar aqui ou a exagerar um pouco, mas não estou. Eu lembro-me claramente de ter medo de dormir à noite, especialmente se tivesse sido um rapaz particularmente mau naquele dia.

Se eu tivesse respondido à minha Mãe, brigado com o meu irmão ou de algum modo me tivesse comportado inapropriadamente, rezava sinceramente enquanto apertava os olhos assustados de medo…não.

Agora eu deito-me para dormir. Eu rezo ao Senhor para guardar a minha alma. E se eu morrer antes de acordar, eu rezo ao Senhor para levar a minha alma.

Eu esperava que a minha sinceridade alcançasse o que o meu comportamento não alcançava.

Eu partilho esta história pessoal por uma razão. A busca por Deus, a procura de uma Experiência Sagrada, tem continuado durante séculos ao longo deste planeta. É notável os muitos caminhos nos quais os nossos anciãos e os nossos professores nos colocaram. Eu quero que vocês conheçam o meu, para terem simplesmente um exemplo de quão difícil tornámos para nós próprios – todos nós humanos aqui na Terra – chegar a Deus, encontrar Deus, ter uma Amizade com Deus e entrar em comunhão com Deus.

Na próxima semana, a minha história continua. Eventualmente, ela funde-se com a História de Todos. Um dia escreverei um livro com esse título. A História de Todos irá narrar a viagem de Todos Nós enquanto procurávamos encontrar e experienciar o que sabemos ser verdadeiro nos nossos corações: que Deus existe e que Deus nunca nos deixaria ou condenaria a uma tortura eterna ou que, na verdade, não deseja fazer-nos sofrer, de maneira alguma.

Mas por agora, junte-se a nós aqui na próxima semana visto que esta história, A Experiência Sagrada”, continua.

Amor e abraços,

Neale

 
.....---==oo0II0oo==--......

© 2010 Fundação Recreation – http://www.cwg.org – Neale Donald Walsch é um mensageiro espiritual contemporâneo cujas palavras continuam a tocar o mundo. A sua série de livros Conversas com Deus foi traduzida para 27 línguas e tem inspirado importantes mudanças nas vidas de milhões de pessoas.

Tradução: Ana Belo – anatbelo@hotmail.com

Gostou! Indique para seus amigos.

|Topo da Pagina| - |Voltar Menu Neale Walsch| - |Voltar Home|