UMA ESPIRITUALIDADE DESPROVIDA DE FÉ
Mensagem de Neale Donald Walsch,
01 de Abril de 2011
 
 
Na semana passada envolvemo-nos numa fascinante conversa acerca da prática da espiritualidade, terminando com a questão: estou a descobrir o meu futuro ou a decidir acerca dele?
Conversas com Deus diz que “cada acto é um acto de auto-definição”. CCD diz também que “A vida não é um processo de descoberta, é um processo de criação.” Não é nossa para “descobrirmos” Quem Nós Somos, é nossa para “criarmos” Quem Nós Somos. No entanto, como podemos nós criar Quem Somos se já o somos…? Se já somos o Divino, como nos pode ser dito para nos criarmos activa e intencionalmente como sendo Divinos?
A resposta para a questão jaz debaixo de uma verdade fundamental: é impossível criar alguma coisa. CCD diz-nos que tudo o que sempre foi, é agora e sempre será… É, Agora. Se isto é correcto (e é-o), então não podemos verdadeiramente “criar” nada, podemos apenas notar o que desejamos experimentar o que já foi realmente criado.

O que estamos a fazer, então, é um processo de manifestação, não de criação. O dicionário define “manifestação” como “um evento, acção ou objecto que claramente mostra ou incorpora alguma coisa. Não diz nada sobre criação. Isso porque uma manifestação não é uma criação. É um evento, acção ou objecto que mostra ou encarna claramente algo que desejais, que já É, que já existe.

Deste modo, não sois chamados para a existência, mas chamados diante da existência, o que desejais experimentar agora. Existe uma enorme diferença entre ambas.

E assim, em resposta à questão que levou a toda esta exploração… não podemos “criar-nos a nós próprios como sendo Divinos”. Contudo, o que podemos fazer é manifestar a nossa própria Divindade.

Como é que a “manifestação” ocorre?

Tudo isto pode levar-nos a perguntar: qual é o processo pelo qual a manifestação ocorre? Como é que ela acontece?

Nós não “manifestamos” algo ao desejá-lo. Nós manifestamos algo ao percebê-lo. Isto é, nós percebemos que isso já existe; que está Agora a Existir. Ou, no caso de uma acção, que ela está a Acontecer Agora.

Uma das mais maravilhosas afirmações de que eu desfrutei de dar às pessoas que desejavam aumentar a sua abundância financeira, por exemplo, é: Todo o dinheiro que eu preciso está a vir para mim agora.
Não se trata de uma declaração do que eu estou a esperar por, é uma declaração do que está a acontecer neste momento. As duas não estão nem sequer perto uma da outra.

As duas palavras que iniciam a ignição

Eu digo com frequência aos estudantes que há duas palavras que são muito poderosas no processo de Manifestação. Estas palavras são: EU SOU. Estas palavras são uma constatação, não um pedido (como numa oração) ou uma criação. Elas são uma constatação do que já é verdade, não um anúncio do que vamos produzir na nossa realidade como sendo verdade ou do que nós esperamos esperar que se passe.

A manifestação surge não da esperança, mas do saber. Puro saber. Deste modo, não é uma questão de ter fé, mas de ter consciência. Quando ides para o vosso quarto às escuras, não tendes “fé” que quando premir o interruptor a luz virá, tendes a certeza de que é isso que vai acontecer quando ligais o interruptor. Agis a partir de uma consciência de que é isso o que deveis fazer para ter luz no quarto. A fé não faz parte da equação. Não tendes que “ter fé” que as luzes se acendem quando ligais o interruptor, vós sabeis que elas se acendem porque sabeis como tudo isso funciona.

O mesmo é verdadeiro com a Vida. Quando sabeis de certeza como a Vida funciona, nunca mais tereis a necessidade de fé. Haveis substituído, na vossa espiritualidade pessoal, a fé pelo saber.

Quando Jesus disse a Lázaro “Levanta-te e caminha”, ele não teve fé que Lázaro se ergueria da morte. Ele sabia que Lázaro o faria. Como teria ele chegado a tal saber? É bastante simples. Ele Sabia Quem Ele Realmente Era. Ele compreendia, aceitava, adoptava e demonstrava a sua Divindade.

Quando nós fizermos o mesmo, as nossas vidas e o nosso mundo irão mudar.

Amor e abraços
Neale
 
.....---==oo0II0oo==--......

© 2010 Fundação Recreation – http://www.cwg.org – Neale Donald Walsch é um mensageiro espiritual contemporâneo cujas palavras continuam a tocar o mundo. A sua série de livros Conversas com Deus foi traduzida para 27 línguas e tem inspirado importantes mudanças nas vidas de milhões de pessoas.

Tradução: Ana Belo – anatbelo@hotmail.com

Gostou! Indique para seus amigos.

|Topo da Pagina| - |Voltar Menu Neale Walsch| - |Voltar Home|