luz de gaia   
 
   PERGUNTE AOS MESTRES - "88"
CONGREGAÇÃO DE PAZ E TRANSFORMAÇÃO
PURIFICAÇÃO E TRANSMUTAÇÃO
PAZ, LUZ E AMOR.
Canais: Thiago Strapasson e Michele Martini
29 de maio de 2017
 
luz de gaia
  * Para enviar uma pergunta aos Mestres, acesse o site:http://www.pazetransformacao.com.br/.
O formulário permanece disponível somente às segundas-feiras.


 

NÃO SEI COMO AJUDAR MINHA FILHA DE SEIS ANOS

Pergunta:


Mestres, obrigada pelo seu amor, obrigada por terem respondido à pergunta que enviei e por responderem muitas das perguntas em que penso sem precisar enviá-las a vocês. Aos canais, muito obrigada! Hoje venho perguntar como posso ajudar minha filha no seu amadurecimento, e como posso melhorar minha relação com ela. Aos seis anos ela já desenvolveu um eu idealizado muito forte, ela é muito exigente consigo mesma, ela se dedica muito a fazer tudo com perfeição, e não se permite errar. E quando algo não sai a seu contento o mundo dela desaba e parece que todo o resto fica ruim, ela se fecha completamente e sofre com isso. Tento tirar o peso, mostrar que todos os resultados são bons, que não precisa tudo estar perfeito, que ela será amada independentemente do que faça. Mas não estou conseguindo me fazer ser compreendida e não tenho conseguido ajudá-la. Muitas vezes ela cai nesse mesmo buraco. Para mim ainda é muito difícil vê-la sofrer por tão pouco e não conseguir instrumentalizá-la para que ela saia do lugar em que se coloca. O comportamento dela quando tomada pela ira me exige muita presença, nem sempre consigo me manter amorosa, às vezes perco a paciência e entro na ira com ela. Da minha parte estou trabalhando para aprender a lidar com a minha raiva, que ela como minha mestra desperta em mim, e em amar a minha filha em todas as suas manifestações, mesmo quando não estou sendo amada. Muitas vezes ela manifesta que me ama, mas que ama mais o pai, que prefere ficar com ele (temos guarda compartilhada). Deus me concedeu o privilégio de ser mãe dela, como podemos nos ajudar? Muito obrigada!

Resposta:

Fia querida. A mãe tá aqui pra cuidá docê fia. A mãe preta véia sim. A fia não lembra, mas a fia já teve muita afinidade com nós. Com os pretos véo. A fia, quando era de famia rica, e tinha os pretos véio pra cuidar dos afazeres da casa, se apegava nos preto. Pois tinha duas dores no coração pra superá, e essas dores os pais não entendiam não. Só os pretos véio sabia o que se passava com a fia. E então a fia de gente rica, de branco, que era voismicê, fia, se apegou a nós, os preto. Mas isso foi em encarnação passada fia. A fia era linda menina branca que brilhava de luz. Que também se cobrava bastante, mais os pretos véio tava ali pra torna o fardo mais suave pra essa fia. Enquanto seus pais, fia, eles tavam ali pra outra função. Que era abrir as feridas. Eles amavam a fia sim, de todo coração, e queriam sempre fazê o melhó. Mas acontece que os erros deles fazia doer as feridas da fia. E assim a fia, pra não ir pra o lado de um ou do outro, se apegô em nóis. Pois então. Tudo se repete né fia. Isso se chama constelação familiar, né fia. Pois a fia da fia tá repetindo o ciclo né. Mas ela tá repetindo só porque ela também tem as dores dela pra superar. Tem os aprendizados pra receber a partir da experiência dessa família que é o pai dela e voismicê. E então tá faltando o que pra essa criança? A fia já sabe né, que tá faltando os preto véio. Pois então em quem essa criança vai se apegá nessa jornada né fia. Então fia, experimenta levá essa fia no terreiro. Leva ela e conversa com preto véio. Dexa ela se apegá com o povo de lá, tomá contato com as energias de lá, e ficá sempre amiga do preto véio. Pois a tua fia vai sentí os preto véio sempre que estiver em situação difícil, sempre que fracassar, ela vai sabê que estamos com ela, pois ela sabe fia. Apenas não conhece. Então a fia leva ela pra apresentá para os preto véio, que nós vamo tá com essa minina sempre, levando o conforto ao coração, trazendo a calma e o equilíbrio. E para o pai e a mãe o que sobra? Uma fia mais feliz. Salve fia! Saravá!

Mãe Odete



COMO ROMPER AS LIMITAÇÕES ADQUIRIDAS EM VIDAS PASSADAS

Pergunta:


Amados Mestres. Sinto muito amor por vocês, e agradeço poder me comunicar mais uma vez procurando um sentido para mim e minha existência. Tenho me empenhado na descoberta da minha existência estudando os mestres e buscando um sentido para mim. Tenho me exercitado para me comunicar com meu Eu interior e Superior, mas não sinto uma resposta ainda. Tenho sonhos e busco analisá-los, entender meu momento e ultrapassar os sentidos das minhas vidas passadas, buscando uma consciência superior. Mas acabo me debatendo com as situações do dia-a-dia e luto para manter minha paz interna. Meu grande embate é manter o que estou apreendendo nos conflitos do dia-a-dia. Quero também ter uma família, e ultrapassar a condição que estou faz muito tempo, sempre sozinha, e de poucos amigos. Busco apoio da espiritualidade para conseguir romper com essa condição, foi explicado para mim que ela é continuação de uma vida passada onde fui condenada injustamente. Buscando o eu interno e superior, na presença Eu Sou rompemos com a condição do passado? É difícil confiar nas pessoas, e estou buscando sempre a Chama Violeta para vibrar melhor em meio às oposições naturais em que vivo. Muita paz e luz, Deus possa iluminar sempre todos nós.

Resposta:

Filha. Antes, acalma-se, tranquilize-se, respirando para que consiga ler essas palavras sentindo a irradiação que parte delas. Tranquilize seu ser e sinta como é bom estar assim, simplesmente respirando onde nada mais importa. Você diz que não tem contato com seu Eu Superior, mas te pergunto como poderia o mar existir sem a água? É da natureza do mar ser feito de água, assim como é de sua natureza ser o Eu Superior. Vocês são um, então sempre estarão em unidade. Você não observa seu Eu Superior porque ainda não compreendeu que não estão separados. É como se separassem a água do mar. Seria isso possível? Assim como não seria possível se separar do Eu Sou. Você é ele e ele é você. Então a cada pensamento de felicidade, a cada gota de alívio em seu dia, você está sendo o Eu Superior e acoplando o Eu Sou. Porque vocês são, simplesmente uma mesma energia, apenas experimentando diferentes dimensões. Tenta sentir o Eu Sou, mas não compreende que ele é sua própria intuição, ele não está fora de você, mas em um único corpo a experimentar a criação. Quando se atentar para isso passará a parar de tentar ouvi-lo, e simplesmente deixar que você mesma fale. E sentirá então o que chama de Eu Superior a se manifestar em sua vida. Não se sentirá mais sozinha, sem amigos, porque entenderá que é tudo, que é o amigo, que sua própria solidão. E você sentirá essa felicidade de simplesmente dizer, como está tudo tão próximo de mim. Esteja em paz e sinta essa luz interior. Ao invés de buscar por uma voz externa e deixe que ele fale dentro de você. Procure-o em seu coração, pois é lá que tudo vive.

Serapis Bey



QUAIS ATITUDES DARÃO MAIS FLUXO NA MINHA VIDA?

Pergunta:


Amados Mestres, estou passando por muitas transformações, criando uma nova realidade através do meu coração. Às vezes ainda me boicoto, como se algum medo fizesse tudo andar mais devagar. Queria um direcionamento quanto às atitudes que darão mais fluxo e realizações na minha vida. Gratidão e amor infinito.

Resposta:

Filha. Tudo aquilo que sente é você. O que te faz andar para trás é justamente a falta de sinceridade com você mesma, o bloquear de suas emoções. Não há nada que faça, quando é sincera interiormente, que não seja exposto para o bem. Tudo se dá para que veja justamente aquilo que quer negar. E esse medo que traz é justamente o receio de tomar contato com sua própria dor, de ver aquilo que por tanto tempo negou. É que aprenderam a negar aquilo que sentem, como se houvesse o certo e o errado, mas os sentimentos estão aí justamente para vos mostrar do que é feita a vida. Compreendem algo tão simples como isso? Os sentimentos não são bons ou ruins, certos e errados, mas se tratam de sentimentos que devem ser experimentados. E toda vez que se fecha a sentir a sua verdade você trava o fluxo natural, o fluir daquilo que é, e então vem essa sensação de que está travando sua própria evolução. Mas, na verdade, veja até isso como um processo natural, onde você se abre à medida que está pronta para aceitar aquilo que é. É como se você mesma dissesse: “parem porque ainda não suporto tomar contato com tudo isso. Preciso ir mais devagar”. Assim é a vida na matéria e esse sentimento é absolutamente natural. Então, apenas confie que tudo está bem e permita que esses sentimentos todos venham à medida que estiver pronta a suportar sua própria dor interior a caminho da libertação do sentir tudo que representa. Esteja em paz.

Sou Serapis Bey



PORQUE SOU TÃO ENVOLVIDA EM ASSUNTOS DO MEU IRMÃO E DA FAMÍLIA DELE?

Pergunta:


Bom dia, queridos Mestres. Grata por esta possibilidade de responder-me. Sinto uma culpa sempre que não quero atender às expectativas de parentes, principalmente o meu irmão mais velho e sua filha mais velha, que vive uma situação de autoabandono e têm envolvido da mesma forma seus filhos. É solteira, muito rebelde e muito carente. Tenho pena deles. Gostaria de saber ajudá-los, mas vivem sempre dependentes do pai e por sua vez, o pai também vive uma situação de dependência da esposa, mesmo tendo tido sempre saúde física, desistiu de cuidar de si, vive deitado e desanimado. A primeira esposa o abandonou, deixando os 5 filhos para ele cuidar. Não sei por que me sinto culpada e presa a eles, mesmo sendo a irmã do meio, única solteira. Não sei como lidar com esta situação. Poderiam dar-me uma luz para não continuar carregando este peso no coração, mesmo nestes tempos de transição do Planeta? Agradeço, desde já, uma resposta. Tenho lido sempre as suas mensagens e sou grata por terem se prontificado a ajudar com uma luz nas respostas, que nos enviam. Paz e Luz.

Resposta:

Filha. Nesse momento a envolvo com o amor e a força da energia sagrada da mulher, do amor e da proteção que temos como manifestações da maternidade, e do amor ao próximo. Sou Maria Madalena, e venho especialmente falar a você, minha querida. Grata pela oportunidade em servir-lhe. Filha, você tem em estado latente em seu íntimo, o instinto maternal. Que é natural em todas as mulheres encarnadas no planeta, mas que em algumas não é trabalhado com equilíbrio. Você tem em seu íntimo, a auto cobrança por cumprir o papel de mãe, e que acaba por refletir no seu relacionamento com os familiares, mantendo-a presa como responsável pelas ações deles. Mas perceba minha querida, que essa cobrança existe apenas de você para você mesma. Não há cobrança externa. Os seus familiares constituem um núcleo familiar deles, e os aprendizados, erros, acertos cometidos por eles e entre eles, são necessários para que evoluam. Perceba que estão posicionados estrategicamente da forma perfeita onde devem estar para transcender os aspectos inferiores individuais de cada um. Você, com o seu instinto maternal aflorado, percebe com sutileza e afina a sua intuição ao aproximar-se dessas experiências. Pois sente em seu íntimo o que ocorre no coração de cada um deles. Mas não tens ação sobre a solução do problema de cada um deles. E sabes por que não tem ação, filha? Pois naquele núcleo, cada um é espelho do outro, um é mestre do outro, e estão reunidos em um núcleo para que reflitam como espelhos entre eles, diariamente, os próprios pontos de superação. E assim eles vão aprender, com o tempo, a perceber como tudo ocorre, mesmo que de forma inconsciente, vão transformar as suas próprias vidas dessas convivências. Mas você, minha querida, não tem ação nesse núcleo, você apenas é sensível ao que eles sofrem, e ao que eles vivenciam, pois está seguindo o seu instinto feminino. Para que se desconecte desse pensamento de achar que é necessária nesse meio, filha, apenas busque construir a sua própria história. Procure olhar em si mesma os pontos a serem superados, transcendidos, e vá de encontro ao que a agrada. Desvincule-se da convivência, e inclusive abstenha-se de saber dos fatos os quais não tens ação sobre isso. Com o tempo, conforme adquirir mais segurança, trazendo o ponto de equilíbrio em ti, e ancorando a força e determinação do sagrado masculino, poderá retomar o contato mais próximo, mas não mais se sentirá como antes. Apenas é necessário que se desconecte dessa convivência, abstenha-se por um tempo desse contato, para que procure dentro de si mesma a sua própria verdade, que está encoberta por toda essa confusão mental criada desse convívio, e que está a impedindo de seguir na sua própria busca. Apenas permita que aflore de dentro de ti a sua verdade, siga o que o seu coração direcionar, e viva apenas a sua própria vida, certo filha? Siga em paz.

Sou Maria Madalena
 
-.....---==II==----.....-
 
 
Direitos Autorais:

Canais: Thiago Strapasson e Michele Martini
Colaboração: Ilza Barreto.
Fonte: www.pazetransformacao.com.br
 
Gostou! Indique o site para Seus Amigos.
 
 

luz de gaia