Luz de Gaia - Ajudando Você a encontrar a SUA verdade.

Siga o seu coração que não haverá erro - O Criador/Fonte está em Você.

Assuma o SEU poder.

HUMILDADE:

O INGREDIENTE PRINCIPAL PARA SE USAR O PODER DA MENTE!

Paula Cardoso

data

luz de gaia 

Vários anos se passaram desde que adquiri meu primeiro livro sobre o poder da mente – 40 para ser mais precisa. Eu tinha 14 anos quando me deparei com “ O poder do Subconsciente” de Joseph Murphy.

Fascinou-me a ideia de poder ser qualquer coisa que eu quisesse, bastando apenas mentalizar e acreditar. De lá para cá nadei nesse imenso oceano do “pensamento positivo e do poder mental”, acreditando veementemente que temos o poder de nossas vidas em nossas mãos – e temos! Fiz cursos, li inúmeros artigos e livros, pratiquei decretos mil – ora criados por mim como exercícios destes mesmos cursos ora copiados de algum guru. E cheguei a uma conclusão.

Tudo parece tão fácil, mas o caminho é mais complexo do que imaginamos – não só pela estrutura técnica do “pedir e acreditar” mas por que há de se usar um ingrediente imprescindível nessa alquimia do criar: a humildade.

Ainda neófita, usando meus novos poderes, muitas vezes consegui o que mentalizava, sim. Muitas vezes, não.

Precisamos ter cuidado com essas “brincadeiras” do imaginar, pois podemos nos intrometer em cenários que não são nossos ou que simplesmente não são para nós.

Certa vez, mentalizei estar numa praia, junto com uma pessoa que amava. Fiz a mentalização por vários dias, sentindo no peito a felicidade daquele momento. E tudo realmente aconteceu, mas foi um momento efêmero, que logo terminou e me deu uma sensação que tinha “roubado” de alguém.

Só agora entendo que aquele momento não estava no meu script interno nem no dele. Se estivesse, teria acontecido naturalmente e teria tido uma continuação.

Foram várias as vezes em que me vi onde EU queria estar sem respeitar o fato de que ali não era o MEU lugar. Mas eu me coloquei ali forçadamente através dos meus poderes mentais e depois me perguntei: mas o que eu estou fazendo aqui?

Recebemos um papel a ser desempenhado aqui neste mundo, assim como os atores ganham seus papéis num filme. Imagine que, ao longo das filmagens, um ator, não contente com o que lhe foi destinado, resolve mudar e escolhe um outro papel que ele sonha desempenhar.

Atualmente existem gurus ensinando a conquistar qualquer coisa para sua vida – dinheiro, emprego, relacionamentos, viagens e etc. Eles, certamente, estão enriquecendo com estes cursos e seminários porque é fascinante descobrir o poder que temos em nossas mãos!

Mas, você que fez um destes cursos, conseguiu o que desejava? E se conseguiu, manteve? E se manteve, está feliz? Está tudo ainda dando certo? Toca o seu coração?

Ao sermos escalados para este filme, recebemos um “script interno”, um papel a ser desempenhado seguindo algumas poucas regras básicas e intransponíveis – não temos como fugir delas. Ora, então estamos fadados a permanecer nele sem chance de mudança? Não!

Ao desejar algo, precisamos antes fazer um verdadeiro questionário: estou entrando sem ser chamada/o no cenário do outro? Estou afetando as pessoas ao meu redor? Estou deixando de cumprir com minhas responsabilidades? Aquilo que desejo está mesmo disponível para mim ou tem dono?

Então, minha conclusão final após todos esses anos estudando, lendo e experimentando “brincar de Deus” com o poder da minha mente é que o mais difícil de tudo é você aceitar e desempenhar o papel que lhe foi dado, com gratidão e humildade e não cabe a você mudá-lo sozinho/a. Sim! Não cabe a você ir atrás de um outro papel para que melhore de vida. É a humildade que limpa automaticamente seus caminhos. A aceitação com humildade do seu papel, por pior que seja, é que lhe abrirá portas para novos caminhos que, diga-se de passagem, podem ser infinitamente melhores e mais mágicos do que aqueles que você tentava mentalizar nos seus exercícios.

A postura da aceitação com humildade é diferente da passividade e acomodação. O verdadeiro poder da mente está em saber se ligar à fonte de tudo e permitir a manifestação de milagres e não em exercícios como se imaginar ganhando na loteria, por exemplo.

Temos que ter os pés fincados no chão e maturidade ao desejar coisas.

Nosso script interno nos guia. Não fuja dele. Aceite seu papel. Viva seu presente. Faça seu melhor onde você está e só assim o “diretor” deste filme pode lhe notar e te promover.

Respeite o fluxo da vida, do seu filme, com humildade e permita que as próximas cenas sejam feitas juntamente com uma sabedoria maior e não só pela sua imaginação porque a nossa capacidade de imaginar coisas é ainda limitada diante da imensidão de possibilidades que o Universo quer nos proporcionar.

“Tente não desejar nada. E aguarde o que vem. Aceite. Entregue. Confie. Agradeça”.

 

         -.....---==II==----.....-