Luz de Gaia - Ajudando Você a encontrar a SUA verdade.

Siga o seu coração que não haverá erro - O Criador/Fonte está em Você.

Assuma o SEU poder.

CORAÇÃO:

ÓRGÃO DO AMOR, A FONTE DE ENERGIA DA CRIAÇÃO,

O MAIOR CAMPO ELETROMAGNÉTICO DO CORPO!

Rosana Bouleh

03 de setembro de 2018

luz de gaia 

O coração: muito mais que um lugar para se guardar a tradicional paixão, é o local do maior campo eletromagnético do nosso corpo!

Pesquisas recentes realizadas nos grandes centros de estudos espalhados pelo mundo, voltados para a investigação dos campos eletromagnéticos, demonstra que cada vez mais a física e a espiritualidade caminham lado a lado.

Isso é fantástico! A partir do momento em que quebramos os antigos “tabus”, dentre os quais achávamos que tudo que vem da física é desprovido de fé, espiritualidade e sentimento, damo-nos a oportunidade de promovermos o tão sonhado salto quântico.

Já não há espaço para a antiga concepção que fomos condicionados por mais de 300 anos, na qual a física afirmava que nós, humanos, somos completamente separados do mundo. Que as nossas ações só têm efeito local e instantâneo e que somos vítimas dos acontecimentos, sem termos nenhuma responsabilidade por isso.

Textos e vídeos espalhados pelo mundo inteiro falam da nossa coparticipação na criação do universo que nos circunda. A difusão do conceito do pensamento positivo atingiu grande parte da população e foram criadas diversas técnicas com a promessa de ensinar ao mundo como atrair tudo através do pensamento.

Mas por que não estamos todos realizados e felizes? Por que pessoas que fazem afirmações positivas diariamente por dias inteiros, às vezes, revivem os mesmos padrões de problemas?

Talvez a resposta seja, primordialmente, porque estamos usando somente a metade da fórmula! A ideia de que os nossos pensamentos criam a nossa realidade é somente metade da verdade! Isso mesmo! Precisamos gerar sentimento para ver os resultados. A fórmula é muito simples: Sentimento = pensamento + emoção.

Isso significa que pensamentos positivos sozinhos não geram energia, são simplesmente pensamentos vazios, como milhares que temos durante o dia. A partir do momento que combinamos o pensamento com a emoção, criamos a força propulsora de gerar a energia necessária para colapsar os nossos sonhos!

Até aqui acredito que a abordagem não é novidade para muitos!

Porém, o que poucos sabem, é que o maior e o mais forte gerador biológico de campos eletromagnéticos do corpo humano é o CORAÇÃO.

Estudos recentes demonstram que o coração é o centro eletromagnético do corpo, que emana 5 mil vezes mais eletromagnetismo que o cérebro, é seis vezes mais eletricidade. Mais da metade de suas células são neurais, exatamente como os neurônios cerebrais.

É, caro leitor, o nosso querido órgão do AMOR, aquele onde se concentram os sentimentos, também é a fonte de energia da criação, capaz de gerar, no mesmo campo magnético, as mesmas coisas que existem no mundo. Um campo inteligente de energia que permeia a nossa realidade física.

Mas como gerar o sentimento através dessa fórmula apresentada? Qual a maneira certa de manifestar?

Ora, precisamos de um pensamento claro daquilo que queremos manifestar. Depois, devemos sentir como se já possuíssemos tudo que o nosso pensamento gerou, seja: uma cura, prosperidade, sucesso, relacionamento etc. Quando as duas coisas estiverem alinhadas, geramos um sentimento de realização e gratidão, algo que nos deixará realizado e tranquilo. É nesse momento, o material quântico do universo se congela em torno de nós. Preparamos o campo para colapsar o nosso sonho e criamos ondas eletromagnéticas dentro de nós, que se estendem por muitos quilômetros além do nosso corpo.

Seria tudo mais fácil se as nossas crenças não formassem os filtros por onde passam os nossos sentimentos! Pois não sustentamos esse estágio de plenitude por muito tempo, esse é o nosso grande problema! Logo nos consideramos bobos por pensar e sentir prosperidade, enquanto a nossa conta bancária está negativa ou pensarmos e nos sentirmos saudáveis, enquanto padecemos de uma enfermidade, por exemplo.

É preciso atacar o problema na fonte, reavaliando as nossas crenças e valores limitantes, que nos condicionam a vivermos uma vida no modo sobrevivência.

A nossa fala interna é que determina os nossos padrões. No momento que mudamos a nossa conversa interna, mudamos também os nossos paradigmas e estaremos prontos para a grande transformação.

 

         -.....---==II==----.....-