CRUZANDO CULTURAS - MULTICULTURAL 
Uma mensagem de Jesus / Yeshua – canalizada por Judith Coates
Sábado, 2 de agosto de 2008 
 

Amada, sagrada e Criança única do nosso Pai celeste, Criança de uma Fonte, Criança de Luz, divina. Isto é quem vocês são. Levem isto profundamente dentro da consciência e contemplem o que isto significa.

Eu sou aquele conhecido por Jeshua ben Joseh, vocês têm me chamado de Jesus, e é com grande alegria que eu venho ficar com vocês esta noite no seu tempo pois escolheram mais uma vez me chamar. 

Grande alegria. E sim, vocês ouviram o chamado. Tempo perfeito. Todos são artistas no palco da vida. Todos vocês conhecem o script. Todos sabem como fazer melhor. Todos sabem, quando há um pouco de progresso, como pegar isto de dentro de vocês mesmos e fazer as mudanças e ajustes na Luz [‘light’]; humor ‘light’. (light = Luz em inglês)

É a isto que nos referimos, pois na verdade, a finalidade da vida é estar alegre, saber verdadeiramente da sua divindade, do seu Ser divino. E não fazer como o mundo dita, com peso nos seus corações. É não ter que superar todos os desafios do mundo, mas sim conhecer a alegria divina do Pai/Mãe/Deus/Deusa/Tudo Que É, e saber que verdadeiramente vocês são os mestres que estão criando scripts maravilhosos e mudando-os enquanto vocês avançam.

Apreciamos assistir como modelam seus dramas e assistir o quão criativos podem ser com os dramas, e saber que de vez em quando conseguem uma visão de que há uma imagem maior que, na verdade, o que vêem bem na frente dos olhos é apenas uma parte do quebra cabeça, e que há muito mais que está acontecendo.

Como falamos recentemente, há muitas mudanças que estão acontecendo e continuarão a acontecer. Nós falamos da última vez que nos encontramos desta maneira sobre as mudanças que estão vindo e como haverão muitas mudanças, transformações se preferem, e ainda assim as transformações não precisam ser drásticas se permitirem a vocês mesmos verem-nas com uma perspectiva sagrada, verem-nas de um lugar que diz: “Eu sei que tudo está mudando de modo a trazer o céu à Terra”.

Como conseguem discernir agora, isto não se parece muito com o céu. Vocês estão aqui e ali onde encontram alguns, e isto se parece com o céu porque estão juntos mais uma vez, mas há muito sobre o que ouvem que não parece ser de natureza celeste.

Assim, como falamos mês passado quando nos encontramos, haverá muitas mudanças no próximo ano e no ano após este, mas especialmente no próximo ano, e vocês estão aguardando estas mudanças porque querem que as coisas mudem. Vocês são os criadores que estão criando estas mudanças porque querem ver algo diferente.

Vocês rezaram, vocês suplicaram, vocês pediram, e queriam saber: “Como seria viver em amor, honra e respeito por toda a vida?” E assim, desta forma, as coisas estão mudando. Assim as sementes serão plantadas na Terra. Se a semente não sair com alguma pressão, alguma tensão, algumas mudanças, ela não irá abrir, e não permitirá que os brotos nasçam.

Vocês estão agora na posição onde as sementes estão abrindo – muitas, muitas aberturas – de forma que os brotos de amor, do céu, possam crescer e florescer. E não será feito, como vocês ordenaram, sem as aberturas (rupturas) e algumas transformações e mudanças. Mas para vocês, vocês têm sido avisados – prevenidos, se querem colocar desta forma – a terem a visão sagrada, a darem um passo atrás para o que está acontecendo na frente de vocês e perguntarem: “Como eu posso ver isto de uma forma nova? Como posso ver isto de uma visão sagrada? Como isto serve para a Unidade, a realização da Unidade””

Quando desejarem permitir ao ego separado sair nas suas asas para fora do palco e desejarem respirar fundo e perguntar: ”como eu posso ver isto de modo diferente?” vocês terão uma nova maneira de ver as coisas. Ao perguntarem, a resposta virá. Nada poderá ficar escondido de vocês, pois vocês são a extensão e a expressão do Um.

Então não sintam isto apenas porque são um corpo e parecem estar separados, vivendo nas suas moradas separadas, que vocês são apenas isto. Vocês são isto e muito mais. Vocês estão se relacionando com Vocês mesmos – V maiúsculo – e Vocês mesmos conhecem seu caminho divino. Sabem quais transtornos irão testemunhar, mas também sabem que não serão devastados por qualquer transtorno. Vocês irão, provavelmente, ter a reação habitual, olhar para elas com os olhos do mundo. E então, dependendo da sua vontade e também da sua prática, vocês podem deslizar para aquele lugar da visão sagrada.

De fato, será um tema de casa interessante para vocês verem o quão rápido vocês se movem do lugar da visão do mundo das aparências das coisas para o lugar de: “Eu sei que isto serve ao meu crescimento”. Vocês descobrirão que no início isso pode levar um dia, uma semana talvez, para chegar àquele lugar de dizer: “eu sei que deve haver um bem nisto”. Ou pode levar um dia ou uma hora ou apenas alguns minutos, dependendo da sua vontade de praticar, até que “eu posso ver isto de modo diferente”.

Então vocês verão muitas mudanças, e o ego separado não gosta de mudanças. O ego separado, porque vocês o reforçaram com muitas experiências, diz que a mudança tem que ser devastadora, tem que ser um desafio, que deve haver perda e abandono.

Bem, eu lhes digo agora, basta deste script. Vocês já encenaram cada peça de perda, abandono, rejeição, que vocês poderiam criar, pois vocês são criativos, e podem deixar tudo isto para trás.

Agora é a hora para se moverem para o lugar da visão sagrada, o lugar onde vocês reconhecem seu próprio valor; não medido pelo mundo; não medido por outra pessoa; nem mesmo medido por você mesmo – “v” minúsculo – mas medido pelo Eu sagrado – “E” maiúsculo. Sempre que quiserem saber seu valor – “eu tenho valor; minha vida tem valor?” – permitam-se respirar fundo, olhem para a lista que muitas vezes lhes damos de tema daquilo que tem feito nesta vida, todas as realizações; olhem a partir do ego primeiramente, e depois peguem um pedaço de papel separado e peçam: “Eu Sagrado, Eu divino, como você vê o que eu estou fazendo? Como você me vê?” e ele irá lhe responder: “Você é a Criança sagrada, inocente vinda a esta realidade que ainda acredita na dualidade, que ainda acredita que possa haver perda e abandono, mas isto não é você”.

E o Eu sagrado lhes dará uma visão verdadeira do porque vocês estão aqui e do seu valor. Eu sei que todos vocês lutam com a auto-imagem, porque o mundo lhes ensinou que vocês estão separados e que devem tentar mais e mais arduamente e que nunca são muito perfeitos. Isto veio de muito reforço por parte dos pais, professores, padres, rabinos, muitos dos quais sendo bem intencionados em tentar apontar como vocês poderiam fazer as coisas um pouco melhor, e assim vocês pegaram suas mensagens que dizem que não são perfeitos e que vocês têm que se esforçar para melhorar vocês mesmos. E ainda todo o tempo o Eu sagrado lhes mostra a radiância do amor de Quem e o Que vocês são.

Assim permitam-se estarem abertos a isto. Permitam-se saber o quão amados vocês são. Permitam-se sentir seu valor; não com o sentido do ego, mas no sentido sagrado, que verdadeiramente escolheram estar aqui nesta época para sofrer as lanças e flechas do mundo, sim, para permitir que elas passem por vocês, porque vocês sabem que há muito mais para viver e para vocês mesmos.

Na minha vida, eu viajei para muitos países. Eu vi o caos que estava acontecendo em todos estes países que visitei. Eu vi o caos que existia nas famílias e como irmãos e irmãs mesmos os bem intencionados, não eram tão amorosos quanto poderiam ser.

Eu tive a experiência de conhecer muitas culturas, porque eu cresci quando criança no Egito e depois fui de volta para minha cidade natal de Nazaré, e enquanto eu crescia na comunidade Essênia em MT. Carmel e enquanto eu viajava para estudar com os mestres no Oriente Médio, enquanto eu viajava para onde hoje é conhecido como a Grã Bretanha e através de todo o continente que chamam de Europa, todas as culturas e civilizações diferentes, eu tive um amplo entendimento da característica que é importante para vocês reconhecerem agora, a característica da essência divina em cada um que vocês encontram.

Vocês verão culturas variadas. Vocês fazem este encontro geopolítico, este país, mas este planeta tem sido um experimento, de uma forma, para ver como várias sementes estelares poderiam trabalhar juntas, como elas poderiam evoluir para uma consciência da Unidade. Assim todos vocês vieram de várias constelações estelares, e se encontraram com aqueles com os quais se sentem familiarizados. Vocês sentem que estão em ressonância com alguns, e então há outros com os quais não se sentem familiarizados. Este país, como foi fundado por alguns sábios, foi e é um exemplo de mistura de culturas para um lugar onde espera-se que diferentes culturas possam viver juntas em harmonia e respeito e mesmo na celebração de algumas diferenças que as culturas trazem. Esta mistura, a co-união que está acontecendo e tem acontecido pelos últimos dois séculos do seu tempo neste país geopolítico, está agora acontecendo em muitos outros países geopolíticos também, onde vocês estão tendo muitos imigrantes entrando nas terras ou mesmo tentando se adequar ou se estabelecer como uma unidade isolada dentro daquele país geopolítico.

Como eu disse, isto está sendo assistido por muitos daqueles que vocês têm uma suspeita, uma indicação de que provavelmente estão assistindo, e estão. Muitos dos seus irmãos do espaço estão assistindo o experimento. A Inteligência da Mente – “I” e “M” maiúsculo – está assistindo para ver como o experimento vai continuar e quais serão as sacudidas, os vales e as montanhas deste desenvolvimento.

Então vocês são privilegiados, pelas suas escolhas, por serem parte deste novo experimento, deste novo entendimento da Unidade. Vocês escolheram, mestres que são, serem as sementes estelares que viriam e participariam de algo que não é conhecido em outras constelações, outras realidades. Vocês escolheram, mestres que são, viver nesta realidade e se desenvolver nesta realidade e vir a um lugar onde sabiam que são Um com o Todo e em amor, em amor com o Todo.

Há dias quando parece difícil chegar a este espaço, eu sei. Quando encontram aqueles que são de uma cultura diferente, permitam-se ter uma conversa com eles sobre quais são suas crenças, quais são suas tradições. Porque eles acreditam desta maneira? Suas perguntas irão lhes ajudar a se questionar porque eles têm certas crenças. E o questionamento deles sobre estas crenças irá lhes permitir questionar sobre certas ações, porque todas as ações – ouçam bem – todas as ações saem da crença.

Aquilo em que alguém acredita, será a força motivadora para a escolha da ação que é feita. Então vocês irão lhe perguntar: “No que acreditam sobre o planeta, sobre os outros que habitam o planeta? Em que acreditam sobre o grupo geopolítico no qual vocês mesmos se encontram? Vocês vêem valor no sistema de crença de outras pessoas?” vocês irão lhes perguntar isto, porque provavelmente ninguém nunca lhes perguntou isto.

Vocês irão lhes perguntar, se já pensaram sobre os vários sistemas de crenças, e eles podem vir a perguntar a vocês em que vocês acreditam. Oh, não. Agora eu tenho que definir em que eu acredito. Eu tenho que na verdade colocar isto em palavras. Bem, ah, ihh, humm… e então vocês chegarão à alguma clareza. E assim que fizerem isto mais e mais, praticando naturalmente, se tornará mais fácil para vocês ter um claro entendimento de suas próprias crenças e o que é fundamental em suas crenças, suas ações e suas escolhas.

Mas também é necessário haver esta interação com os irmãos e irmãs, porque agora vocês estão tendo muita imigração. Este é um assunto sobre o qual os seus líderes estão conversando. Basicamente, isto é tudo que estão fazendo, conversando a respeito. E o motivo de estarem conversando é lhes fazer pensar sobre quais são as suas escolhas. O que pensam sobre as pessoas que chegam a seu suposto, como se possuíssem um país, seu país, este país que possuem, apesar de não possuí-lo; vocês apenas participam dele.

O que pensam sobre os imigrantes? Quais seus sentimentos, suas crenças, eles estão tirando os empregos, ou eles estão acrescentando à sociedade? Como eles deveriam ser tratados? Como eles poderiam ser integrados; não perdendo suas próprias tradições, mas integrado-as ao todo daquilo que seu país geopolítico representa.

E vocês têm princípios que representam este país geopolítico. Agora, eu sei que isto parece um discurso que eu daria no dia da liberdade, que ocorreu mês passado. Bem, eu estou um pouco atrasado, mas aqui está. Vocês têm princípios que foram estabelecidos pelos seus antepassados, seus pais fundadores que eram compreensivos, e vocês podem voltar àqueles princípios e ver que eles foram promulgados por vocês e pelos seus líderes. Vocês têm uma voz, e vocês podem usá-la. Chegou a hora de usá-la vigorosamente, e ainda respeitosamente; para não sentarem calados quando vêem abuso de poder de qualquer forma.

Eu fui chamado de pacifista, e nas suas Escrituras sagradas está escrito que eu disse: “se alguém lhe bater no rosto, ofereça a outra face”. Isto é para vocês fazerem caso entendam seu verdadeiro significado. Mas se vocês estão testemunhando abuso a outros, não é para vocês dizerem: “Oh! Bem, dêem a outra face; isto não importa”, e então caminhar embora. Isto é para vocês dizerem: “Um momento. Isto não foi feito por amor”, e então se levantar por aquela pessoa ou pessoas e entender que o céu na Terra não virá até que estejam prontos para falar contra abusos de qualquer tipo, de qualquer coisa que não seja com amor.

Leva apenas um segundo para saber se uma ação que vem de uma crença profundamente arraigada vem do amor ou não. Leva apenas um segundo para vocês serem capazes de entender, sentir, se isto lhes atinge no abdômen ou se vem de um lugar que permite ao coração se expandir.

Para vocês mesmos, vocês podem dar a outra face, porque sabem isto na hora quando alguém estiver completo com o que estiver fazendo. Ou, vocês podem gritar e dizer: “Ei, isto não é amor. Eu desejo viver em amor”.

Eu era e sou um pacifista, eu acredito na paz. Mas eu também acredito em falar claramente aos irmãos e irmãs para que tenham a chance de ver de onde estão vindo. Quando vêem abuso e falta de respeito a qualquer classe de pessoa, gritem. Não passem ao lado ou atravessem a rua. Falem sobre isto. Saibam que tudo está se desenvolvendo, que irá se desenvolver muito mais rapidamente se colocarem sua crença e suas ações nas crenças e princípios que sabem que ajudam e promovem a paz.

Se estiverem dispostos a tomar estas ações, a evolução em direção do céu na Terra irá acontecer muito mais rapidamente. Aqui é onde estão bem agora; vocês individualmente serão e já têm sido chamados a se levantar pelas suas crenças, e nos dias que vêm, com as mudanças que estão acontecendo, vocês serão chamados mais ainda a falarem a sua verdade. Não tenham medo de falar sua verdade.

O ego separado vai dizer: “Oh, sim, mas eu me lembro de outra vida quando eu fiz isto e eu fui banido da vila, e os animais selvagens me comeram. Eu me lembro de outras vidas quando eu falei de abuso e as autoridades não gostaram, e me cortaram a cabeça ou eu fui queimado amarrado a um poste, etc.

Isto não vai acontecer nesta vida. Vocês, agradecidamente, desenvolveram-se passando disto ao ponto onde é necessário e benéfico que vocês falem contra qualquer abuso que vejam, tudo que não vem do amor. Vocês podem sentir que sejam crucificados de uma maneira emocional, porque alguns talvez tenham uma reação àquilo que dizem, mas está bem. Isto realmente não irá lhes atingir, não tem que lhes atingir. Isto vem da defesa deles. Isto vem da própria crença deles e de como eles pensam que tem que se defender.

Assim vocês podem permitir a assim chamada crucificação, no sentido emocional, acontecer, porque vocês podem sair dela. Não é uma crucificação física. Vocês já estiveram lá e fizeram isto. Vocês já tiveram esta experiência física e já tiveram esta experiência emocional onde foram banidos, e apesar disto aqui estão, ainda vivos, respirando, sorrindo e começando a acreditar em vocês mesmos, sabendo verdadeiramente quem são. Vocês estão indo bem, então eu venho e lhes falo com energia.

Vocês têm agora o maior cruzamento multicultural acontecendo. Vocês têm tantas culturas que estão indo morar na porta ao lado dos seus lares. Conheçam-nas. Tentem entender porque eles acreditam no que falam. Perguntem-lhes quais são as crenças deles, e isto pode ser feito diretamente ou durante a conversa isso aparecerá. Saibam que algumas vezes, sempre, as escolhas que eles fazem vêm do sistema de crença deles, e permitam a vocês mesmos a ajudá-los a se integrarem a um lugar de respeito a eles mesmos e aos outros.

Sobre isto é que são algumas mudanças. Isto é porque vocês têm o caos agora que está acontecendo onde chamam de Oriente Médio. Há o confronto de culturas; de gerações, de velhos sistemas de crenças se confrontando com medo. Vocês têm sementes estelares que vêm de constelações diferentes vivendo geograficamente relativamente perto umas das outras, e há crenças profundamente enraizadas que eles têm que defender.

Mesmo dentro deste país geopolítico há um sentimento de que deve haver defesa. A Criança sagrada não precisa de defesa. A Criança sagrada não é vulnerável a qualquer ameaça. Mas enquanto vivem a vida humana, o ego separado irá lhes falar que talvez tenham que defenderem-se, e este é tempo no qual vocês vão respirar fundo e dizer: “Como eu posso ver isto de modo diferente?”

Até mesmo digam estas palavras para outra pessoa: “eu quero gostar de você. Eu quero lhe conhecer. Me fale de você.” De modo que não apenas façam julgamentos pelas aparências. Seus líderes ainda estão lidando com as aparências. Seus líderes ainda estão numa posição de ver qualquer coisa como preto ou branco, e não entendem que há a necessidade de haver integração de todos os cinzas onde vocês podem encontrar respeito e espaço para crenças diferentes, e onde estas crenças diferentes possam então se unir num lugar de amor, num lugar de entendimento.


Seus líderes não sentem que podem ver as coisas claras assim para permitir a vocês desempenharem um papel de liderança. Eles sentem que eles têm que lhes dar termos simplistas, e na maior parte, muitos irmãos e irmãs querem isto desta maneira. Eles não querem se aborrecer tendo que pensar em outras culturas. Mas eu lhes digo, o mundo é, como era dois mil anos atrás, repleto de muitas culturas tradicionais que podem viver em harmonia com entendimento ou pode escolher que não, e vocês são aqueles que vão levar esta escolha a seus vizinhos, seus colegas de trabalho, e àqueles que estão na face da nossa Mãe sagrada, a Terra, como fazem nos seus momentos de meditação. Não há separação neste momento.

Quando tiram um momento para meditar e falar com aqueles que estão no seu terceiro olho que podem estar vivendo em outros locais geográficos longe daqui, não há separação. Como vocês serão poderosos o suficiente nos seus momentos de meditação para aumentar um ramo de oliveira, aumentem o entendimento de que:” Eu quero lhe conhecer, eu quero conhecer suas crenças, eu vejo seus atos e vejo seu medo, mas eu quero saber, primeiro de tudo, em que você acredita e porque acredita nisto, e se você pode estar aberto o suficiente para receber a possibilidade de que hajam outros sistemas de crenças que são válidos e podem viver lado a lado em paz e harmonia.

Na minha época eu tive a sorte de fazer viagens ao exterior; eu tive um agente de viagens muito bom, assim como vocês o têm. Ele é conhecido como o Eu Sagrado. Vocês foram enviados para muitos países e lugares diferentes que visitaram, e vocês conhecem alguns que se mudaram para o seu país geopolítico de outros lugares. Eles estão no seu lugar de trabalho, no lugar onde compram suas comidas, onde enchem o tanque dos seus veículos. Vocês os encontram em diferentes ambientes sociais.

Falem com eles de amigo para amigo. Deixem-nos conhecer quais suas crenças sobre o mundo e quais são as suas visões para o futuro. Deixem-nos conhecer o que vocês vêem como integração de todas as culturas em uma cultura harmoniosa, não perdendo a diversidade, mas tendo honra e respeito uns pelos outros e por cada membro individual dentro daquele grupo. Agora, há alguns sistemas de crença que não tem respeito dentro de suas próprias culturas por certos membros. Vocês falarão das vantagens da sua crença onde as mulheres devem ser respeitadas.

Não importa como o corpo físico parece. Como alguns já disseram, não importa qual é o ofício; o que importa é o espírito, a força motivadora. Aquelas conhecidas como mulheres têm o mesmo intelecto e potencial que têm o gênero masculino. Então haverá tempos quando com as mudanças vindouras vocês se encontrarão conversando com alguns de onde aquele sistema de crença veio, pois estou lhes contando antes do tempo para que possam pensar sobre isto, para que possam entender que nem todas as culturas, nem todos os países têm o sistema de crenças que vocês têm ou os princípios sobre os quais este país geopolítico foi fundado.

Seria bom para vocês voltar e rever estes princípios, porque eles são princípios muito sábios de honra e respeito para cada indivíduo buscar sua felicidade; não pise sobre a felicidade de alguém pela maneira dele a encontrar, e não a sufoque, mas respeitem toda e cada forma de vida.

Eu também fui privilegiado – e isto é importante para aqueles de vocês que trabalham com crianças ou se são avós ou se são pais ou se vocês conhecem um vizinho que tenha crianças – eu fui privilegiado por saber muitos idiomas. Se vocês sabem o idioma de outra cultura, vocês são capazes de entender o sistema de crenças muito mais facilmente. O senso de separação cai se podem entender o que eles estão dizendo.

Neste país vocês encontrarão mais e mais imigrantes vindos com seus próprios idiomas, e vocês falam seu próprio idioma supostamente predominante, mas ouvem muitos sons diferentes ao redor de vocês. A maneira mais maravilhosa de chegar a um entendimento com outros indivíduos é conhecendo seu idioma. Então esta é uma sugestão para que suas crianças sejam ensinadas, ou nas escolas ou em casa, vários idiomas, tantos quanto possíveis, para que possam ter um entendimento do que outros estão dizendo, para que não haja um sentimento de que se alguns estão falando uma certa linguagem e são de um certo grupo, este não é o meu grupo. Eu sou deste grupo, eu estou separado, e então há um outro grupo, e ele é separado.

Vocês já testemunham isto quando vão às suas mercearias, quando alguns estão falando com outros em vários idiomas ou estão com suas tecnologias maravilhosas de telefone e eles estão falando com alguém em outro idioma enquanto passam por vocês, e vocês se sentem de certa forma separados porque não entendem o que eles estão dizendo. Agora, eles provavelmente estão apenas perguntando: “você quer que eu pegue os picles ou a maionese”, mas vocês não sabem. E isto dá uma sensação de separação.

Assim, comecem com as crianças e comecem com vocês mesmos a aprender idiomas diferentes. Como eu disse, eu fui afortunado o suficiente por viajar para muitos países diferentes e por viver nestes países por um tempo, o suficiente para entender o idioma e poder falar o idioma, e eu pude entender muitos idiomas diferentes e dialetos dos idiomas. Isto ajudará muito na integração que é muito necessária nos dias que vêm, de modo que não haja um senso de separação.

Outra coisa que podem fazer, e vocês podem começar imediatamente – de fato, já começaram – desenvolver seus sensos de intuição. Mesmo que não entendam o que estas palavras significam, sintonizem com sua intuição, aquele eu interno, aquele conhecimento interno daquilo que eles possam estar falando, o que podem estar dizendo, o que podem estar sentindo. Use este sexto sentido da intuição para entender de onde eles vêm.

E façam a coisa mais simples sobre a qual eu lhes falei muitas, muitas vezes; olhe-os diretamente nos olhos e sorriam, amigo para amigo. Mesmo que não possam dizer isto com palavras, vocês podem dizê-lo olho no olho, e sorriso com sorriso. Eu os reconheço como o Cristo. Eu os reconheço como uma extensão do nosso único pai, aquele princípio criativo do Ser. Eu os reconheço como sendo Eu mesmo – “E” maiúsculo – por que todas as sementes estelares, não importa de qual constelação vieram, originalmente vieram do ponto da Mente – “M” maiúsculo – para ver o que poderia ser criado. E vocês são todos a mesma Unidade, a mesma Criança, a extensão do Pai / Mãe / Deus / Deusa / Tudo que É; assim, mesmo se as sementes estelares vieram com suas próprias culturas de outras constelações o que os coloco numa maravilhosa plataforma sobre a qual começar, então eles desenvolveram as culturas sobre nossa sagrada Mãe Terra e o fizeram com grandes detalhes.

Mesmo se isto tem acontecido em lugares onde parece que haja grande separação, vocês podem ir àquele lugar da Unidade, aquele lugar de intuição, aquele lugar que diz: “eu sei quem vocês são, verdadeiramente, eu gosto de quem vocês são. Eu os reconheço. Eu olho direto no olho e vejo seu valor e sorrio porque eu os reconheço como uma parte de um bom trabalho”, e vocês são. “Eu os reconheço como eu Mesmo”.

Mas permitam às crianças, encorajem-nas, porque elas estão abertas a aprender novos sons e virar a língua em direções diferentes e atingir os sons gluturais que muitas vezes parecem estranhos a medida que vocês começam a crescer. Encorajem os pais a comprar fitas de idiomas. Eles nem mesmo tem que participar de determinados grupos para aprender. Eles podem ter fitas com os idiomas em casa, e tão logo quanto puderem começar com as crianças, permitam-nas ter a sensação de idiomas diferentes.

Eu, como disse, fui muito sortudo por ter crescido com muitas culturas diferentes e ouvir idiomas e dialetos e viajar a lugares diferentes. E porque houve uma receptividade desde a época que eu tinha menos de dois anos, uma receptividade para entender sons diferentes, isto ficou comigo por toda aquela vida, todos os mais de seiscentos anos daquela vida, e os idiomas não mudaram em seiscentos anos e em todas aquelas viagens que fizemos, mas havia uma receptividade e um entendimento que me permitiu entrar em cada grupo e ser capaz de falar com eles como um deles.

E isto é o que irão fazer. Conseguir fitas de idiomas para vocês mesmos – este é um grande tema de casa – e começar a aprender um novo idioma. Se já falam vários idiomas – há vários que são predominantes dentro deste país - escolha um novo que pareça grego a vocês. Tentem grego. É divertido; é diferente. Tentem russo. Tentem entender o idioma dos seus irmãos e irmãs que vivem no Irã. Entendam o que está sendo dito no idioma deles; não apenas o que está sendo traduzido em inglês, que pode estar perto ou bem longe do que realmente está sendo dito ou do seu significado.

Permitam a vocês mesmos esta vantagem. Não sentem ociosamente e digam: “Bem, o Espírito Santo cuidará disto. O Espírito Santo só pode cuidar daquilo que vocês cuidam porque vocês são os emissários do Espírito Santo bem aqui, agora, encarnados. O Espírito Santo quer cuidar disto, mas vocês têm que fazê-lo. Assim, saiam esta semana e comprem um idioma, e sentem-se alguns minutos a cada dia para ao menos ouvir. Vocês não têm que aprender se não quiserem, mas ao menos se familiarizem com os sons diferentes.

Eu tenho um palpite de que quando começarem a ouvir sons diferentes, haverá um desejo de saber mais. E assim que começarem a saber mais, se abrirá um mundo maravilhoso para vocês. Isto irá lhes levar ao entendimento de onde eles estão vivendo – não apenas geograficamente – mas onde eles vivem na sua crença, e então porque eles agem a partir destas crenças.

Não caminhem mais como estrangeiros nesta terra. Reclamem toda a Terra, seus idiomas e suas pessoas como suas, porque eles são todos irmãos e irmãs, não importa com qual idade estão, vocês podem dizer: “Bem, eu estou muito velho para aprender um idioma. Estou muito longe de conseguir fazer qualquer um daqueles sons. Minha língua não... bem, ela mal fala inglês.

Eu lhes asseguro, enquanto ouvem, começarão a descobrir que a Criança em vocês está viva, bem e desejosa de aprender, desejosa de derrubar as barreiras que parecem estar lá por causa do idioma, e isto irá ajudar com a integração e entendimento que é necessário nestas mudanças e anos que estão à frente.

Quando começarem a fazer isto, isto os levará aos lugares mais maravilhosos que quase não podem imaginar, um lugar que eu posso ver por vocês, porque irão se descobrir sendo tradutores. Se vocês já imaginaram: “Que finalidade tem minha vida? Porque estou trabalhando neste determinado emprego? O que eu ainda posso fazer nos anos que ainda tenho? O que eu realmente quero fazer para dar um propósito à minha alma?” brinquem com a visão de ser um tradutor, porque isto será muito necessário enquanto as culturas se confrontam.

As culturas devem se integrar, mas não até que haja entendimento, e não haverá um verdadeiro entendimento até que possam saber quais as línguas que estão falando. Então comecem agora onde estão com o que já sabem e aumentem isto. Se forem corajosos o suficiente, permitam-se ter a visão de que serão os tradutores para alguns grupos, tão grande quanto possam imaginar que o grupo seja, ou mesmo apenas o grupo na sua vizinhança que pode ter um “estrangeiro” que anda por ali e não fala o idioma muito bem.

Muitos de vocês vieram como a primeira geração de imigrantes a este país. Muitos de vocês viram os pais ter que aprender o idioma e se integrar a este país, seus valores e seus ideais. Vocês já sabem que isto é um processo que leva um tempo, e demanda coragem e vontade, porque há muitos que vieram para um novo país e se recusaram a aprender o idioma do país e se mantiveram separados.

Eles podem enviar as crianças à escola onde elas aprendem o idioma que é o denominador comum do país, mas em casa o idioma antigo é falado. As crianças destas famílias são as pessoas pontes – aqui vão vocês; pessoas ponte novamente – que podem traduzir, que podem trazer entendimento, que podem dizer aos pais quem pode ser de outra cultura: “Isto é o que as pessoas estão dizendo. E isto é porque elas estão dizendo aquilo. Isto se traduz desta maneira, e seus costumes são estes e estes”, porque os imigrantes, quando primeiramente chegaram, nem sempre entendiam os costumes deste país. Muito freqüentemente não conheciam.

Mas aqueles que podem falar o idioma podem fazer a ponte para eles, e podem explicar o que está sendo dito e porque isto está sendo dito e porque é importante entender a nova cultura que está chegando, que está se desenvolvendo, porque vocês já têm um mundo.

Há a globalização que muitos criticaram, mas é inevitável, e quanto melhor entenderem os irmãos e irmãs mais fácil será a transição com a globalização e com menor resistência. A globalização tem que acontecer. Vocês têm trabalhado em direção a ela, por gerações, com sua tecnologia, para onde agora vocês têm os veículos que estão lhes levando a outros países rapidamente – bem, muito rapidamente; mais rápido do que com o camelo. E sua tecnologia está tornando possível agora fazer negócios com aqueles do outro lado da nossa sagrada Mãe, a Terra, mesmo se ajustando aos horários locais.

Agora vocês têm que se adaptar aos idiomas, para entender que verdadeiramente esta é a próxima barreira que tem que cair. Tem que haver uma integração multicultural, e a única maneira - bem, a maneira mais rápida - é ser capaz de falar o idioma, mais o que nós temos falado com a intuição, o coração aberto.

Assim eu lhes deixo uma mensagem muito importante. Comprem para vocês um conjunto de fitas de idiomas nesta próxima semana. Como seus anúncios sempre dizem: “Faça isto hoje. Não adie, pois se adiarem, assim será: “Bem, eu farei isto amanhã, semana que vem, mês que vem, ano que vem”. Façam isto nesta semana e comecem, mesmo se quiserem ter aulas de vários idiomas onde as pessoas possam se sentir a vontade com outras que estão tentando fazer a língua pronunciar sons diferentes, riam e brinquem porque “é um pouco diferente falar polonês”.

Vocês sabem espanhol; está ao redor de vocês o tempo todo. E sabem francês, está ao redor de vocês. E que tal chinês? Sim? E que tal as várias línguas que são faladas no Oriente Médio? Vocês têm até os amigos judeus que têm um idioma que de uma forma vocês adotaram neste país, ao menos algumas frases. Permitam-se conhecer isto melhor.

Então comecem a entender a cultura e as tradições de onde aquelas línguas surgiram. Todas as várias formas de vida que vieram como pontos de Luz na sagrada Mãe Terra – sementes estelares – começaram de um som. E todos estes sons começaram a ser entendidos pelo grupo local, de modo que esta tribo – como seria chamada – e a tribo vizinha talvez não entendessem uns aos outros e houve guerra... bem, vocês desenvolveram-se além disso. Agora têm tribos maiores, e ainda têm guerras. Mas estão se desenvolvendo.

Cultivem a integração e o entendimento multicultural. Será divertido. E quando saírem do usual, irão descobrir mais sobre vocês mesmos, e haverá iluminação. Amados, vocês são imensamente amados. Vão agora e pratiquem o que eu preguei, e o façam em alegria.

Que assim seja.

 
.....ooo00000ooo.....
Direitos Autorais 2007 Universidade Oakbridge. O material de Oakbridge é protegido por direitos autorais, mas gratuito para qualquer pessoa que queira usá-lo, contanto que os créditos apropriados sejam listados, incluindo o nosso endereço: www.oakbridge.org

Tradução: Liliana Bauermann – lilianab@sinos.net

Gostou! Indique para seus amigos.

|Topo da Página|    |Voltar Menu Jesus/Yeshua - Judith|   |Voltar Home|