CACHOEIRAS E POSTES TELEGRÁFICOS
Mensagem de Jeshua ben Joseph (Jesus) através de Judith Coates
Abril de 2007
 
Meus bem amados, vamos fazer uma breve revisão de algumas coisas que partilhei com vocês anteriormente. E dar um olhar novo para algumas previsões de tempo do futuro.

Antes desta realidade ser criada, vocês conheciam o Pensamento como algo que era fluido. Depois vocês decidiram como grupo de almas, um grande grupo de almas a criar os vários sistemas solares com muitos planetas e decidiram experimentar nos vários planetas dos vários sistemas solares. Vocês brincaram entre as estrelas, da mesma forma que fazem hoje em suas meditações. É por isto que às vezes em suas meditações parece que estão flutuando, fluido entre as estrelas. Por que vocês são as sementes das estrelas. Nós já falamos anteriormente de como irmãos e irmãs provenientes de muitos sistemas de estrelas sementes vieram para esta Terra sagrada, provenientes de realidades muito diferentes, de culturas muito diferentes e, de linhagens de pensamentos de como as coisas devem ser completamente diferentes. Então alguns estão vivendo baseados em pensamentos de gerações passadas, pensamento envelhecidos. Estão se tornando potes derretidos em vez de aceitarem a diversidade que agora se expõem é aceita, compreendida, e deve ser estimulada e estimada por que demonstra as várias teias de realidades que existem, co-existem como uma bela tapeçaria.
Então, vocês já tomaram diversas formas, já tiveram diversas encarnações, já viveram diferentes realidades, mas sempre a Energia Divina, que são vocês mesmos, esta energia sempre fluindo venceu o conceito de tempo. Entretanto, quando trouxemos à realidade o reino físico, e o experienciamos nos vários sistemas solares, criamos uma ligação com o que foi criado, colocando o foco na criação, esquecendo quem a havia criado. E também foi esquecido que a “Comunhão com a Unidade” (comunhão com Deus) é a lei Divina.

Nós conhecíamos a natureza

No princípio quando começamos a criação sobre a Sagrada Mãe Terra, conhecíamos a natureza, sabíamos reconhecer as estações, sabíamos como estar em contato com as plantas, com os animais de quatro patas, com os animais alados, e conhecíamos a mente única, como temos vislumbres disto quando vemos as formações de pássaros voando.

Vocês conseguiam se comunicar com as águas, com as correntezas, poderiam sentar ao lado de uma cachoeira, até hoje podem fazer isto, e perguntar de onde vinha o que havia visto durante o percurso, Se havia descido de um grande glacial? Ou se passou por campos e pastagens? Se teve contato com muitas rochas, os peixes que passaram, os muitos organismos vivos das águas? Se teve contato com outro humanos, pescadores que se sentaram em suas margens?Quais foram os pensamento do pescador que se sentou para pescar?

Nós conhecíamos estas coisas. E vocês podem nos tempos atuais fazer o mesmo. As cachoeiras eram e, são ainda hoje, uma grande fonte de informações. Há muito que se aprender e relembrar ao sentarmos próximos de uma cachoeira, sendo vocês adultos ou crianças. Sentem-se na beira do rio, e agucem todos os sentidos dos seus corpos que vocês criaram para seu próprio prazer, para que sintam o cheiro da água, o toque da água colocando a mão ou o pé dentro da água, observem como a luz do sol brinca com seus raios sobre as águas produzindo mil cores, então torne-se UM com a água e percebam o que ela tem a lhes dizer.

Cachoeiras são uma reflexão

As cachoeiras têm uma história para lhes contar, uma história sobre suas vidas, por que como percebem as águas, as cachoeiras os rios são um reflexo de vocês. Percebam, fisicamente vocês podem ver o próprio reflexo na superfície da água, mas também podem ver o reflexo de suas jornadas no fluir das águas dos rios, percebendo conexões com as épocas de suas vidas quando estiveram no topo e todos pensavam que vocês eram maravilhosos. “Então cheguei a um precipício e bem na beira dele me joguei e desci até o fundo da água e me esborrachei nas rochas fazendo uma linda explosão de água, tive a oportunidade de me avaliar por que fui ás alturas e desci até o fundo, e ainda, quanto mais olho pra isto, percebo que faz parte do fluxo da vida, não é para ser visto como julgamento, mas como o fluxo da comunicação, como um fluxo da comunhão da vida”.

Tempos depois quando descobrimos como fazer fogo, grande salto evolucionário foi dado. E seus cientistas disseram que também nas comunicações houve um salto pois podíamos nos comunicar através da fumaça.

Agora vejam, a fumaça é um maravilhoso simbolismo. O que a fumaça faz?ela flutua para cima, como assim faz o espírito. E muitas comunicações aconteceram entre nossos irmãos e irmãs como sinais de fumaça. As mensagens eram enviadas com sinais de fumaça e as pessoas se mantinham em contato desta forma.

Depois, as distâncias ficaram um pouco maiores e houve um pouco de esquecimento. Depois as mensagens eram dadas a pé ou sobre o lombo de animais levando as mensagens de vilas em vilas.

Depois a tecnologia sugeriu o desenvolvimento de formas mais rápidas de comunicação.

Por que a fumaça leva algum tempo para subir e a visibilidade nem sempre é tão boa; e ainda leva algum tempo para os corredores e os animais correrem também. Desenvolveremos alguma coisa mais rápida que tudo isto (vocês disseram). Então desenvolveram o telégrafo, em que se podia mandar mensagens através de arames. Então as mensagens tornaram-se bem rápidas apesar de grandes distâncias, tornaram-se quase instantâneas.

Postes e arames

Depois vocês inventaram o telefone que usa os mesmos postes e arames que o telegrafo. E vocês têm os fios embaixo da terra e sob o mar. E a tecnologia melhorou ainda mais quando passaram a usar telefones sem fio. Então tem estes aparelhinhos pequenos que cabem nos bolsos e que apertamos alguns botões e falamos como quem quisermos. E a tecnologia está ficando cada vez mais avançada que se tem aparelhinhos tão pequenos que se coloca direto nas orelhas e a comunicação se faz com muita precisão. E vocês estão cada vez mais em comunicação com todas as pessoas que quiserem.

Fechando o Círculo

Vocês estão fechando o círculo, chegando cada vez mais perto de conhecer a UNIDADE. Agora, os irmão e irmãs que vocês partilharam outras realidades, que usaram a energia criativa de outras maneiras e focaram em outra inovações. E vocês têm seus irmãos e irmãs espaciais que também são seus irmãos de verdade, e que vem ver o que vocês desenvolveram.

Recentemente, algumas espaçonaves foram vistas sobre Chigago, Carolina do Norte e Idaho, e outros lugares. Vocês ouvirão mais sobre espaçonaves e visitantes vindo até que haverá aterrissagens e contatos e comunicações, que serão sem o uso dos celulares e fones de ouvido.

As comunicações ocorrerão de mente para mente, telepaticamente, por que em suas expansões eles desenvolveram outros tipos de comunicação. Com vocês houve um acordo de que iriam separados até um certo ponto para depois seguirem juntos. Vocês desenvolveram as palavras, a linguagem. E vocês viram com as diferenças de linguagem sobre sua Mãe Terra parecem ser confusas e divisórias. Então, ao que vocês precisam se voltar é a telepatia que abre a mente e o coração ampliando a comunicação.

Se havia espaçonaves e comunicações com os irmãos e irmãs do espaço em minha época? Sim! Os homens e mulheres sábios comunicavam-se com eles e mantinham isto bem dentro de seus corações. Eles conheciam a verdade da UNIDADE. Eles compreendiam a força da comunicação mental. Eles conheciam o poder do silencio, sem palavras, apenas pensamentos.

Meus bem amados, lembrem-se do poder da UNIDADE, lembrem-se do poder do Silencio. O som mais suave, pensem no som mais suave de que possam imaginar, seja ele um tom musical, seja ele uma vibração, seja ele o som do vento entre as árvores, ou pelo pasto, qual será o som mais suave? A voz do seu/sua amado (a)? ou Serão as vozes de seus pai e mãe sussurrando: Amo você. Ou será o som de seu próprio coração batendo?

Verdadeiramente, o som mais suave não é um som de todo. Mas sim, o silencio entre os sons. È o som da consciência da UNIDADE. É o som de saber-se amado, por ser o próprio amor. Eu sou aquilo que tenho suspirado por tantas vidas. O som mais suave não é um som, é o silencio. Então, vocês irão se sentar com os irmãos do espaço e também com os irmãos desta realidade, por que isto também funciona para esta realidade, e em silencio, irão perguntar:- quem são vocês? Onde têm estado? Da mesma forma que perguntaram à cachoeira e ao rio que passava. O que vocês viram, o que podem me contar?

E em silencio, vocês ouvirão, sentirão a mensagem. E em silencio vocês saberão: “Eu sou tão poderoso quanto aquele que a tudo criou e continuarei até o cumprimento dos tempos, para criar, expandir, experienciar, e expressar a Divindade que Eu Sou”.

Vocês são o rio, são a tecnologia que trás o fechamento do circulo de conhecimento e sabedoria. Vocês são o silencio e o poder do silencio. Vocês são o som mais suave.

Que assim seja.

- Jeshua ben Joseph (Jesus)
Expressando-se através de Judith
 
.....ooo00000ooo.....
Direitos Autorais 2007 Universidade Oakbridge. O material de Oakbridge é protegido por direitos autorais, mas gratuito para qualquer pessoa que queira usá-lo, contanto que os créditos apropriados sejam listados, incluindo o nosso endereço: www.oakbridge.org

Tradução: Vania de Moura Carvalho Mendes <mendesmcvania@hotmail.com

Gostou! Indique para seus amigos.

|Topo da Página|    |Voltar Menu Jesus/Yeshua - Judith|   |Voltar Home|