A Família de Miguel
O QUARTO DA LUZ E DA ESCURIDÃO
Mensagem do Arcanjo Miguel através de Robert Theiss
06 de Fevereiro de 2005
 
Saudações!

Este é um grande momento para nós. Fomos convidados por cada um de vocês para aprofundarmo-nos nesses ensinamentos. Temos falado sobre como incorporar seu direito de nascença – a consciência de Deus. Em como tornar-se um ser humano que compreende que seu estado natural de ser é um estado de alegria. De como esse planeta era para ser um lugar para que encontrassem solução para todas as coisas que vivenciaram desde que saíram do lar, o reino; para que possam trazer para dentro da sua experiência pessoal aquilo que vocês sentem que foi deixado lá.

Para fazer disso sua realidade tangível, sua nova identidade, baseada na alegria, no amor. Isso irá requerer de cada um de vocês fazer algo um tanto extraordinário. Assumir um novo voto em suas vidas. Essa noite nós os convidamos a entregar sua lealdade a alegria. O que aconteceria em sua vida com tal comprometimento a alegria? Isso faria com que parassem de reagir a uma realidade que em nada tivesse haver com a alegria. É esta a instância soberana que exigirá que afirmem diariamente que a sua opção em escolher como se sentir não é negociável.

É assim que vocês se tornam conscientes de seus pensamentos, através de como estão se sentindo. Prestar atenção a cada emoção que passa através de vocês é parte de seu condicionamento, parte dos parâmetros que aceitaram para sobreviver ao estar aqui como um ser humano. E ainda assim, esses mesmos parâmetros não permitem que a magnificência de sua própria consciência esteja presente neste momento.

Vocês se sentam aqui essa noite sentindo-se mais uma vez exaustos de tentar adaptar-se ao que a humanidade serve. Menos do que si mesmo, menos do que sua própria magnificência, menos do que a alegria em si. Seu corpo diz “isso não é tão prazeroso”. Como podem o corpo e a sua alma acomodar esse novo relacionamento? Corpo e alma, tendo um mútuo entendimento de que seu compromisso com a alegria é agora o padrão de como você escolhe se sentir. Quando você acordar, começando por amanhã, qual será a primeira barganha que irá quebrar esse voto?

Qual será o primeiro meio-termo que te negará o direito de nascença de representar a magnificência do que você é? Não estamos julgando qualquer um de vocês. Estamos perguntando... Precisa ser assim? Pois você já sente como é doloroso ser menos do que é. E como isso está indo? Já chega? Realmente, chega? Por quantos dias mais você deve viver convencendo-se de que deve tentar com mais empenho ainda ser menos do que é – Alegria.

De certa forma vocês se prostituem ao tentar servir as expectativas as quais se adaptaram. Ao adaptarem-se a essas expectativas, prostituem a própria alma. Pois Ela conhece Sua verdade, a de ser essa alegria.

Mesmo que seja a única pessoa no planeta sendo verdadeira consigo mesma, ao menos “você” estará aproveitando.

Lembrem-se de que sua experiência na Terra tem haver com criar soluções para todos os sentimentos que vivenciamos desde que deixamos o lar. Desde que sentimos pela primeira vez a experiência de estar separados da alegria, do amor. Ninguém fez nada errado. Deus/Deusa simplesmente perguntou, “vocês embarcariam em uma jornada, uma aventura onde o amor não está contido?”, e todos levantaram as mãos. Como crianças alegres fazem, nós nos lançamos na imensidão desse vazio, e pela primeira vez sentimos medo – ao nos sentirmos separados do lar.

Mas cá estamos na Terra como seres humanos, tendo desacelerado nosso próprio processo de pensamento, e chamado isso realidade física. Desaceleramos para que não pudéssemos escapar de relacionarmo-nos com nossos próprios sentimentos – sejam eles de amor ou de medo. Nada de dar uma corridinha para a 24ª dimensão, mas encontrar aqui na Terra a oportunidade de finalmente fazer as pazes com todos aqueles aspectos de nós mesmos que se sentem polarizados, separados, diminuídos, não amados e não bem-vindos.

Esses aspectos estão aqui essa noite perguntando, “devemos ser responsáveis por suportar o que não é prazeroso para o resto de nossos dias?” Quando poderemos nos reunir à família da consciência, que é também a nossa herança? Esta noite talvez?

Vamos começar amando o Eu e ver como isso é.

Vamos fechar nossos olhos em grupo o colocar nossas mãos em nossos corações (todos tomam uma respiração profunda).

Comecem a balançar lentamente para frente e para trás, para frente e para trás, apenas para permitirem-se sentir que aquela pessoa a qual vocês têm procurado para te amar está aqui agora mesmo. É você mesmo, amando-se. Nós os convidamos a apaixonarem-se por si mesmos. Abracem-se com toda afeição. Abracem-se ternamente. Com toda compaixão.

Finalmente, por todas as vidas que vocês têm vivido como seres humanos físicos, a busca para achar alguém que os ama acaba aqui, nesta noite. Você encontrou VOCÊ. Você sempre esteve aqui. Permita-se sentir a mais profunda afeição por você – de você – pela jornada que percorreu, por todos os solavancos e machucados.

Gentilmente com suas mãos acaricie sua face bem suavemente, como uma pena lhes tocando ternamente, com imensa afeição. Você consegue dizer a si mesmo – Eu sou lindo? Você consegue dizer – Eu sou perfeito como sou, e amo quem sou? Consegue dizer isso do fundo do seu coração? Eu sou perfeito exatamente como sou.

Eu sou a grande alma que jamais vivenciou a vida da forma como a estou vivenciando aqui e agora. Eu sou grande assim. A verdade de quem eu sou é que sou também espírito, e me apaixonei profundamente por mim mesmo.

Agora abram seus olhos por um momento. Sabemos que não gostam disso, mas suportem conosco. Então, você para você (Miguel apontando para cada pessoa para que olhe para o outro), observem-se. Vejam a grandeza do espírito olhando de volta para você. Talvez consigam dizer um ao outro, “se não fosse pelo amor que tenho por mim, eu diria que você é a coisa mais linda que eu já vi na vida” (risadas nesse momento). De fato. Mantenham esses olhos abertos. Mantenham-nos abertos e olhe para o outro olhando para você.

Vocês conseguem dizer que são absolutamente lindos? E podem notar que, quando enxergam essa beleza dentro de si, essa outra pessoa parece mais bonita do que jamais pareceu antes?

De fato. Agora. Fidelidade a esse voto irá requerer que vocês se amem de tal forma que parecerá fútil para aqueles que ainda têm que aprender sobre auto-estima. Se vocês estão dispostos a se amar dessa forma, não aceitarão nada que lhes demande diminuir sua dedicação a essa alegria. A alegria é o que lhes sustenta. A alegria é o que provê a abundância, prosperidade, os relacionamentos íntimos plenos. É a alegria que te torna irresistível a qualquer um. E então poderão ter o que quiserem, mas antes devem comprometer sua lealdade a essa alegria.

Nós sabemos o quanto amam suas manhãs de segunda-feira. Amanhã já é outra segunda-feira. Como começará o seu dia? Ele começa com uma oportunidade de sentirem-se extremamente motivados a respeito de seu novo voto. Uma lealdade a alegria que não está à venda. E vocês serão testados. Testados por aqueles que foram condicionados, como vocês, a amarem os seus “Eus” a partir de um lugar de compromisso e sacrifício.

Essa lealdade a sua alegria é tão profunda que demandará de você jamais sacrificá-la por nada. Você sabe a respeito da personalidade agora. Você sabe como ela se entrega a todo o seu drama e trauma quando não está no banco de trás. Quando ela se encontra no banco da frente de sua vida, ela tem medo, e esse é o primeiro sinal a lhes dizer para colocá-la no banco de trás (risadas).

Então a alegria ressoa. Então a alegria torna-se seu relacionamento fundamental. Então não há a necessidade de projetar suas necessidades sobre outros, esperando que estes preencham por você o que você não experimentou por si. Amando a si próprio. Este dom único do seu coração compartilhará a si mesmo com o resto do seu planeta, ele sabe que está sendo sustentado por um fluxo contínuo de amor emanado da fonte da vida.

Quando a humanidade estiver pronta para realmente questionar sua própria realidade, sua fundação estará segura o suficiente de modo que você não possa ser abalado? Você permitirá que seu coração seja perturbado? Esta dedicação a alegria já não está em segundo plano em relação a todos os outros compromissos que criaram sua história pessoal. Sua história pessoal é sua história pessoal. Você usa essa história pessoal como uma desculpa para o porquê de você não conseguir se comprometer com essa alegria. A história pessoal lhe contará sobre todas as vezes em que a alegria lhe foi negada. Todas as maneiras como a humanidade não te respeitará se você assumi-la.

No passado, nós nos lançávamos à batalha. Vocês temiam que algo seria tirado de vocês caso incorporassem a preciosidade de sua própria alma – a magnificência de sua própria alma.

Vocês possuem essa crença condicionada da jornada de sua alma de que quando são felizes, outros tentarão extrair essa energia. Eles não conhecem a felicidade, e você passa a se sentir como uma mercadoria.

Criar uma nova história não significa permitir que outros desrespeitem sua natureza soberana.

Essas grandes batalhas estão chegando a um fim. Mesmo aqueles com quem estão lutando, estão cansados da batalha. Eles contam com todos vocês para criar uma solução aqui na Terra, para que também possam, ao seu tempo, encontrar aquela alegria. De modo que possam descobrir e participar de uma realidade que não é polarizada. O novo paradigma é amar a si próprio. Sem isso, sua nova história não possui fundação.

Quando você permite que o amor permeie sua vida, seu corpo começa a irradiar essa presença para qualquer um sentir, e sem esforço. Não requer esforço. Tão logo queiram dançar ao ritmo daquela antiga canção que só transmite dor e sofrimento, você respeitosamente diz não, obrigado. Você começa a notar que aquilo não oferece solução para a natureza dualística de seu dilema galáctico.

Para vocês, gênero feminino – o amor a si pode ser difícil. Tudo o que herdaram, todo o condicionamento do sacrifício, os sentimentos de culpa, reside em vocês profundamente. Embora vocês intelectualmente sintam que tenham se emancipado ao tornarem-se mais mentais, seu coração recorda-lhes que a personificação de sua natureza feminina, a própria Deusa, é servida pela sua mente, sua natureza masculina.

Esse jogo, o de fingir não ser a sua alma, finalmente deu uma virada. Nós lhes honramos profundamente por sua disposição em admitir essa condição de personalidade humana reduzida, a qual se recusa a crer na alegria, se recusa a receber o amor que está disponível a vocês aqui e agora. As soluções que buscam para todos os problemas que enfrentam neste planeta não serão descobertas se continuarem a sacrificar, comprometer e barganhar sua paixão pela vida. Tampouco vocês podem forçar aqueles que não sabem se amar, a passar a dar valor a suas vidas. Em seu tempo e por suas próprias escolhas descobrirão que a vida é sagrada. Você já sabe disso, é a sua vez de começar a viver essa verdade com todo o seu coração.

Você reivindicará este seu momento? Você afirmará que é seu direito de nascença expressar a consciência angélica de quem você é? Consegue permitir que a natureza de sua alma recupere essa relação sagrada dentro de seu corpo?

A manhã de segunda-feira chega amanhã. Está te aterrorizando. O que fará a respeito disso? Sua semana começa com as mesmas rotinas? Ou você acorda e declara sua soberania e sua lealdade a alegria?

Que escolhas faria se sentisse que pode escolher qualquer coisa? O que escolheria? Alguns de vocês já fizeram essa escolha. Escolhas profundas que mudarão seu relacionamento com tudo em suas vidas.

Alguns estão prestes a se encontrar face a face com essas escolhas, e estão começando a sentir o medo. O medo do desconhecido que sugestiona, “se fizerem essa escolha pela alegria, como sustentarão a si próprios?” O medo pede, “mostre-me um modelo de ser humano realizado, e posso até considerar permitir essa escolha”. Nós lhes recordamos que para a maior parte de vocês o único reflexo que verão será o de vocês mesmos.

Amados, nós olhamos aqui para os futuros professores, ainda que seus joelhos sintam-se fracos e tremam um pouco quando dizemos isso. Você se perguntam, “Como faremos isso? Como serviremos a humanidade? Quem dentre nós compartilhará nosso dom único, num momento em que a humanidade está clamando por alívio do sentimento de ansiedade devido a uma realidade que nunca proveu soluções?”

Não haverá celebrações em grupo e concertos de rock gigantescos para celebrar o novo despertar. Acontecerá muito rápido, e aqueles que começarem a questionar suas próprias vidas não terão 30 anos para procrastinar. Podemos assumir essa alegria, ou devemos primeiro mudar o mundo antes de sentirmos que merecemos essa alegria?

Sua dedicação a sua alegria pessoal se encarregará das soluções.

Cada experiência que você tem impacta toda a criação. Toda a criação então dança com o que quer que você esteja ressoando internamente. Se não é alegria, então você estará convidando uma orgásmica festa da piedade para dentro de sua vida pessoal. Que tal isso?

Nós viemos aqui para relembrá-los de que têm realmente uma escolha. Vocês podem incorporar a solução para o seu dilema galáctico. Não está tudo sobre os seus ombros. Nós oferecemos nosso apoio se estiverem abertos para recebê-lo. E então é com vocês descobrir que estão representando uma consciência coletiva. Alguns de vocês talvez sintam uma familiaridade com a Família de Miguel ou de Sananda. Alguns preferem outras famílias. Não importa. Mas vocês não precisam passar por isso sozinhos, nem era pretendido que o fizessem sozinhos.

Aquele que sente que está fazendo isso sozinho deve passar para o banco de trás para que possa experimentar o amor coletivo penetrando nas células de seu corpo. Qual será a escolha quando acordar amanhã? O que fará de diferente a respeito de sua vida que dará credibilidade a esse comprometimento com a alegria? Como adaptará isso?

Nós estaremos observando. Não com julgamento, mas pela oportunidade de perguntar, “estão prontos para realmente desfrutar suas vidas?” Pois não há necessidade de esperar mais. Tão logo façam a escolha, nós celebraremos e juntos sentirão o amor que nos conecta. Não somos as vozes que condenam, julgam ou depreciam. Somos os pensamentos serenos em você que flutuam em ondas de paixão. Somos os que sussurram, “podemos brincar agora?”

Tem havido alguns que incorporaram essa solução. Alguns poucos que sentiram o gostinho, e a humanidade – hmmm... Vocês já conhecem essa história. Vocês vieram para cá aos milhões. Há três por cento desses alguns agora no planeta Terra, e nós sabemos que sua mente diz, “bem, quando estiver em 50 por cento talvez arrisquemos”.

É algo sem preço o que estão negociando. Essa alegria absolutamente não tem preço. É uma jóia que não pode ser manipulada. Ninguém a negociaria caso se permitisse tocá-la. Ninguém jamais consideraria macular essa jóia. Uma vez que você permita amar-se assim profundamente, você não consegue imaginar ninguém tão perfeito quanto você sendo você.

Então, é hora de levar-lhes numa jornada. Nós iremos bem a fundo essa noite. A intenção não é perturbar ninguém. A intenção é acordar-lhes. Tirar-lhes do sonho que estão sonhando. Há outro sonho para sonhar, e é baseado somente na alegria. E aqueles que o estão sonhando também sentem o gosto, percebem, vivenciam, e sabem que não se troca isso por nada. Essa alegria não é sobre escapar da realidade que enfrentam. Ao contrário, é sobre encarar a realidade com a solução precisa que ela anseia por saber. Quanta coragem tem todos vocês simplesmente por estarem aqui neste tempo!

Nós convidamos a Família de Sanada para estar aqui conosco nessa noite.

Nós lhes convidamos a imaginar que sua vida está contida numa casa. Essa casa contêm todas as experiências que sua alma colecionou desde que deixou o reino. O que você chamaria sua sala de estar é o lugar que escolheu para sua auto-expressão, aonde você vivencia a vida. Você teve a sabedoria de projetar sua sala na forma de um círculo. Permitindo a mudança em sua vida, a liberdade de fluir. Sua identidade pessoal nesse ambiente é também bastante influenciada pelos cômodos adjacentes os quais fazem frente um ao outro em lados opostos de sua sala de estar circular.

Um desses cômodos você chama de quarto da luz, aí é onde nós encontramos muitos de vocês. Você alegremente nos convida a entrar no quarto da luz. É lindo. Nós apreciamos muito a sua presença e companhia nesse quarto. Nós notamos que possui quatro paredes, e no teto há uma energia que fala de sua liberdade. Conforme entramos nesse quarto com você, aqui você confia em nós. É este o lugar onde se sente mais confortável para nos deixar estar com você. Você colocou todas as qualidades da natureza da sua alma, suas lembranças do reino, neste quarto. Nós nos sentimos muito honrados por ter também convidado a nós que, como você, nos identificamos com essas qualidades.

Nós notamos que suas quatro paredes também representam diferentes aspectos do que vocês chamam de luz. Nós também percebemos que esses aspectos variam diariamente. Um deles é chamado Compaixão. É uma Compaixão que tem por si mesmos por terem tido a coragem de estar na Terra nesse momento. É uma Compaixão que compreende que o sofrimento e a dor são um subproduto do sentirem-se desconectados de sua própria alegria. Essa Compaixão permite que outros vivenciem a vida livres das suas expectativas. Compaixão – uma energia bastante forte neste quarto, este quarto da luz.

Nós vemos outra parede que você pede que contemplemos. Essa parede você nomeou Auto-aceitação. Aqui você ama seu reflexo como sendo perfeito. Não sente a necessidade de alcançar a perfeição, aqui você se permite ser amado como é.

Você se vira para outra parede, e compartilha conosco uma energia denominada Auto-realização. Aqui você faz escolhas que de fato servem aos desejos de seu coração. Você não compromete sua alegria ou sacrifica seu real valor. Auto-realização trata de ser fiel ao amor por si mesmo.

Nós nos voltamos para a próxima parede, e você com muito prazer nos apresenta a energia que chama de Paciência. Essa energia permite que a vida desabroche sem intervenção. A Paciência pede que você pare de forçar a barra com a vida, acreditando que a mudança virá de fato sob a direção de sua própria alma.

Nós visitamos muitos de vocês nesses quartos da luz. É onde brincamos com você a maior parte do tempo. É por onde entramos através de nosso sócio (Bob). É aqui, dentro desse quarto da luz, que você se sente seguro em presença de sua magnificência. Pois a luz é o reflexo perfeito de todas as qualidades que se lembra de o reino ser. É como você aprendeu a definir a realidade. Representa a verdade, o que é bom, positivo e baseado no amor. Sua memória te serve bem, amado, pois estas são algumas das qualidades que sustentam toda a vida na realidade que chamamos reino ou lar.

Juntos nós retornamos a sua sala de estar. Você compreende que sua sala de estar torna-se um reflexo das qualidades desses cômodos contíguos. O quarto da luz e, é claro, o quarto da escuridão. Você nos diz que passa bastante tempo no quarto da luz, mas nem sempre sente essa presença na sala de estar de sua vida. Nem sempre você se sente paciente, realizado ou tolerante consigo mesmo.

Nós assentimos e perguntamos, “o que há nesse outro quarto?” Você apenas diz que não quer entrar lá. Não está esse quarto conectado a sua vida? Você reafirma que não quer entrar ali.

É o quarto da escuridão.

Realmente, vamos juntos olhar o que mora nesse quarto. Você parece um pouco preocupado pelo fato de querermos visitar esse quarto. Vejamos o quadro todo de modo que possamos te servir melhor.

Você concorda em entrar nesse quarto da escuridão. É o quarto repleto com os seus sentimentos a respeito de sua história. Assim que entramos, a energia que sentimos é um tanto lúgubre. Notamos que seu coração começa a sentir uma dor. Eu, Miguel, ofereço minha espada para irradiar mais luz para descobrirmos o que está escondido aqui.

Tem quatro paredes exatamente como o quarto da luz. Ao virar para uma das paredes, você permanece atrás de nós, e eu leio para você. A parede diz Ira. O que é essa Ira? É esta a mesma ira que sentimos em sua sala de estar? Você está com raiva por não conseguir retornar ao reino? Você está com raiva de Deus/Deusa por compartilhar o dom da criação com Você? O dom que lhes permite criar sua própria experiência em qualquer forma que deseje experimentar a vida? Nós lhes convidamos a honrar essa ira ao olhar para o quarto oposto, o quarto da luz. Que qualidades nesse quarto servem a sua ira? Como a sua compaixão dançaria com a sua ira? Nós lhes convidamos a brincar com essas qualidades opostas e descobrir por si mesmos os efeitos curadores.

Ao fazer isso, notamos a parede da Ira dentro do quarto da escuridão começar a ficar cinza. Nós nos voltamos para a próxima parede, que diz Auto-sabotagem. Sim, há imensa dor quando você nega amor a todos os seus aspectos. Auto-sabotagem requer de você que misture uma presença do quarto da luz para resolver esse sentimento. Nós te vemos convidando a Auto-aceitação e para sua grande surpresa você começa a sentir os efeitos curadores. Assim que o faz, o quarto muda de escuro para acinzentado.

Notamos uma recém encontrada confiança em você enquanto nos viramos para a próxima parede. Mais uma vez, sentimos sua dor enquanto lemos Insegurança. Como um criador de sua própria experiência, você julgou suas escolhas e habilidades e agora se sente despreparado para representar esse presente da vida. Você sente que precisa de mais tempo para aperfeiçoar suas habilidades manifestas. Outra vez nós te convidamos para compartilhar com esse sentimento um aspecto de si do quarto da luz. Você convida a paciência e imediatamente começa a experimentar um renovado sentimento de esperança. Você olha diretamente dentro de meus olhos e reflete de volta um entendimento mais aprofundado de si mesmo. É lindo!

E agora você parece um tanto excitado para nos mostrar a quarta parede. Ressentimento. Você parece gostar de poder compartilhar a sua história. Sim, ressentimento, você se ressente por ter a liberdade de tornar-se uma alma soberana, independente, se isso te traz tanta dor. A vida no reino foi sempre unida a todas as qualidades existentes no seu quarto da luz. Você nunca vivenciou dor, dúvida ou ira. Você descobriu algo profundo. As qualidades da Luz ou do Reino virão até você não importa em que ambiente você se encontre. Você mais uma vez convida outro aspecto da sua luz e o compartilha com esse ressentimento, e testemunha que esses completos opostos são servidos por sua Luz. Outra vez a parede se torna cinza.

Para o teto desse quarto Eu aponto minha espada e te peço para ler o que diz. Sentindo-se um pouco confuso, você lê a palavra Liberdade. Hmmm. Você nos toma pela mão e nos leva de volta a sala de estar. Juntos, vemos o reflexo tangível de seu relacionamento com os quartos da luz e da escuridão. Você se apaixonou por si mesmo ao descobrir a solução para o seu dilema galáctico.

Agora você compreende; você enxerga a relação internamente, com olhos desanuviados. Você percebe que por causa de sua resistência em aceitar a existência da escuridão, você criou uma experiência dualística dentro de si. Nenhum desses sentimentos existia no reino e ainda assim sua percepção da vida fora do reino de fato agora inclui o medo. Você percebe que ao usar as mesmas qualidades da vida que te trazem alegria, compartilhando-as com aqueles aspectos carentes de alegria, você cura a separação.

Uma nova jornada então começa para cada um de vocês. São os Mestres que percebem que a natureza de sua alma mudou desde que deixaram o lar. As qualidades de Deus/Deusa, enquanto no reino, incorporavam somente luz. Eles não conhecem o medo, pois nunca vivenciaram a separação. Não conhecem o quarto da escuridão, mas aceitam que é real, por sua causa. Sabem de sua reação ao deixar o Lar. Encarar o vazio em si proporcionou muitos novos sentimentos por toda a criação. Continuam a te amar, mas agora te recordam que o amor não "vem deles”, está dentro de vocês, sustentado pela presença deles.

Então, isto é para ser bem claro agora. É também para ser prazeroso tornar-se consciente de todos os seus sentimentos e começar a assumir responsabilidade por como quer se sentir. Isto desafiará seu voto com a alegria. Reconhecer seu relacionamento interno polarizado expande sua experiência, e então permite que estados de consciência de êxtase, de alegria, se tornem sua realidade.

Mmmmm, já estão prontos? Podemos esperar? O ponteiro do relógio está andando. O que mais há para fazer? É simplesmente aproveitar sua vida. Parar de fazer qualquer coisa que esteja reprimindo sua primorosa, abençoada, arrebatada relação com a realidade física e transformá-la numa relação prazerosa. Você parecerá fútil. E daí? Não é seu problema. Você é quem está com um sorriso na cara. Não é problema seu.

Deixem ir aqueles que insistem em jogar na dualidade. Eles virão até vocês quando estiverem prontos. Virão até vocês suplicando “como nos livramos dessa dor, dessa miséria”, e vocês compartilharão – faça um voto à alegria. Não requer luta. Não precisa ser difícil. Vocês já estão dificultando. Negar-se alegria é o mesmo que dificuldade em si. Sua alegria não se conformará com nada que não seja baseado em honrar a ela própria.

Lançamos muitos desafios aqui essa noite. Nós os avisamos, haverá uma pequena desintoxicação aqui, sabemos, para muitos de vocês – vocês estão enjoados e cansados disso. Bebam muita água. Um galão por dia. Levem seu galãozinho para o seu trabalho chato e alegremente desintoxiquem-se. Ou fiquem em casa e bebam toda a água que quiserem e permaneçam em estado de graça. Poderia ser assim simples? Em que teriam que confiar?

Nós sabemos que muitos aqui nessa noite e muitos lendo essas palavras gostariam de ter mais abundância, dinheiro. Portanto, se querem que essa abundância permeie sua vida, então tenham uma relação saudável com a maneira como vocês ganham dinheiro. O dinheiro vem a você quando você se relaciona com ele como sendo um reflexo de sua felicidade. Pare de rotulá-lo com todos os condicionamentos e rótulos que tem a respeito dele. Deixe pra lá. É apenas uma forma de troca, mas na dualidade há alguns que o têm, e o resto de vocês tem que lutar pelas sobras. E isso cheira a que?

Para Deus/Deusa, tudo o que Há, é a alegria. E quando você deseja que isso esteja em sua vida, eles dizem, “podemos fazer parte da sua vida?”. Há um mandamento dado a Moisés que ele se esqueceu de escrever (risadas). “Vão brincar minhas crianças!” Mas quando estão na dualidade, vocês não ouvem essa voz, vocês ouvem um pai autoritário, que castiga. Agora é a hora de ouvir a nova voz que em nada tem haver com culpa ou julgamento.

Tudo irá mudar. Isto lhe pede que abra as portas de seus quartos escuros, que sejam freqüentadores assíduos, porque irão aprender que também é alegria compartilhar amor com o medo. Pois o amor que você é não pode ser contido no quarto da luz. Não pode ser contido em lugar algum, e se tentar contê-lo, seu corpo lhe dirá que está doendo conter essa alegria. Ela deve fluir, expandir, expressar-se. No momento em que você acredita em sua vontade de expressar a vida através de todos os aspectos dela, ela começa a se sentir mais completa.

Nós servimos a integridade em cada um de vocês com alegria e paixão.

Miguel.

A informação acima é gratuita, sendo permitido imprimir, copiar e distribuir como queira. Seu direito autoral, no entanto, proíbe qualquer forma de comercialização, exceto pelo editor.A Família de Miguel
O QUARTO DA LUZ E DA ESCURIDÃO
Mensagem do Arcanjo Miguel através de Robert Theiss
06 de Fevereiro de 2005
Saudações!

Este é um grande momento para nós. Fomos convidados por cada um de vocês para aprofundarmo-nos nesses ensinamentos. Temos falado sobre como incorporar seu direito de nascença – a consciência de Deus. Em como tornar-se um ser humano que compreende que seu estado natural de ser é um estado de alegria. De como esse planeta era para ser um lugar para que encontrassem solução para todas as coisas que vivenciaram desde que saíram do lar, o reino; para que possam trazer para dentro da sua experiência pessoal aquilo que vocês sentem que foi deixado lá.

Para fazer disso sua realidade tangível, sua nova identidade, baseada na alegria, no amor. Isso irá requerer de cada um de vocês fazer algo um tanto extraordinário. Assumir um novo voto em suas vidas. Essa noite nós os convidamos a entregar sua lealdade a alegria. O que aconteceria em sua vida com tal comprometimento a alegria? Isso faria com que parassem de reagir a uma realidade que em nada tivesse haver com a alegria. É esta a instância soberana que exigirá que afirmem diariamente que a sua opção em escolher como se sentir não é negociável.

É assim que vocês se tornam conscientes de seus pensamentos, através de como estão se sentindo. Prestar atenção a cada emoção que passa através de vocês é parte de seu condicionamento, parte dos parâmetros que aceitaram para sobreviver ao estar aqui como um ser humano. E ainda assim, esses mesmos parâmetros não permitem que a magnificência de sua própria consciência esteja presente neste momento.

Vocês se sentam aqui essa noite sentindo-se mais uma vez exaustos de tentar adaptar-se ao que a humanidade serve. Menos do que si mesmo, menos do que sua própria magnificência, menos do que a alegria em si. Seu corpo diz “isso não é tão prazeroso”. Como podem o corpo e a sua alma acomodar esse novo relacionamento? Corpo e alma, tendo um mútuo entendimento de que seu compromisso com a alegria é agora o padrão de como você escolhe se sentir. Quando você acordar, começando por amanhã, qual será a primeira barganha que irá quebrar esse voto?

Qual será o primeiro meio-termo que te negará o direito de nascença de representar a magnificência do que você é? Não estamos julgando qualquer um de vocês. Estamos perguntando... Precisa ser assim? Pois você já sente como é doloroso ser menos do que é. E como isso está indo? Já chega? Realmente, chega? Por quantos dias mais você deve viver convencendo-se de que deve tentar com mais empenho ainda ser menos do que é – Alegria.

De certa forma vocês se prostituem ao tentar servir as expectativas as quais se adaptaram. Ao adaptarem-se a essas expectativas, prostituem a própria alma. Pois Ela conhece Sua verdade, a de ser essa alegria.

Mesmo que seja a única pessoa no planeta sendo verdadeira consigo mesma, ao menos “você” estará aproveitando.

Lembrem-se de que sua experiência na Terra tem haver com criar soluções para todos os sentimentos que vivenciamos desde que deixamos o lar. Desde que sentimos pela primeira vez a experiência de estar separados da alegria, do amor. Ninguém fez nada errado. Deus/Deusa simplesmente perguntou, “vocês embarcariam em uma jornada, uma aventura onde o amor não está contido?”, e todos levantaram as mãos. Como crianças alegres fazem, nós nos lançamos na imensidão desse vazio, e pela primeira vez sentimos medo – ao nos sentirmos separados do lar.

Mas cá estamos na Terra como seres humanos, tendo desacelerado nosso próprio processo de pensamento, e chamado isso realidade física. Desaceleramos para que não pudéssemos escapar de relacionarmo-nos com nossos próprios sentimentos – sejam eles de amor ou de medo. Nada de dar uma corridinha para a 24ª dimensão, mas encontrar aqui na Terra a oportunidade de finalmente fazer as pazes com todos aqueles aspectos de nós mesmos que se sentem polarizados, separados, diminuídos, não amados e não bem-vindos.

Esses aspectos estão aqui essa noite perguntando, “devemos ser responsáveis por suportar o que não é prazeroso para o resto de nossos dias?” Quando poderemos nos reunir à família da consciência, que é também a nossa herança? Esta noite talvez?

Vamos começar amando o Eu e ver como isso é.

Vamos fechar nossos olhos em grupo o colocar nossas mãos em nossos corações (todos tomam uma respiração profunda).

Comecem a balançar lentamente para frente e para trás, para frente e para trás, apenas para permitirem-se sentir que aquela pessoa a qual vocês têm procurado para te amar está aqui agora mesmo. É você mesmo, amando-se. Nós os convidamos a apaixonarem-se por si mesmos. Abracem-se com toda afeição. Abracem-se ternamente. Com toda compaixão.

Finalmente, por todas as vidas que vocês têm vivido como seres humanos físicos, a busca para achar alguém que os ama acaba aqui, nesta noite. Você encontrou VOCÊ. Você sempre esteve aqui. Permita-se sentir a mais profunda afeição por você – de você – pela jornada que percorreu, por todos os solavancos e machucados.

Gentilmente com suas mãos acaricie sua face bem suavemente, como uma pena lhes tocando ternamente, com imensa afeição. Você consegue dizer a si mesmo – Eu sou lindo? Você consegue dizer – Eu sou perfeito como sou, e amo quem sou? Consegue dizer isso do fundo do seu coração? Eu sou perfeito exatamente como sou.

Eu sou a grande alma que jamais vivenciou a vida da forma como a estou vivenciando aqui e agora. Eu sou grande assim. A verdade de quem eu sou é que sou também espírito, e me apaixonei profundamente por mim mesmo.

Agora abram seus olhos por um momento. Sabemos que não gostam disso, mas suportem conosco. Então, você para você (Miguel apontando para cada pessoa para que olhe para o outro), observem-se. Vejam a grandeza do espírito olhando de volta para você. Talvez consigam dizer um ao outro, “se não fosse pelo amor que tenho por mim, eu diria que você é a coisa mais linda que eu já vi na vida” (risadas nesse momento). De fato. Mantenham esses olhos abertos. Mantenham-nos abertos e olhe para o outro olhando para você.

Vocês conseguem dizer que são absolutamente lindos? E podem notar que, quando enxergam essa beleza dentro de si, essa outra pessoa parece mais bonita do que jamais pareceu antes?

De fato. Agora. Fidelidade a esse voto irá requerer que vocês se amem de tal forma que parecerá fútil para aqueles que ainda têm que aprender sobre auto-estima. Se vocês estão dispostos a se amar dessa forma, não aceitarão nada que lhes demande diminuir sua dedicação a essa alegria. A alegria é o que lhes sustenta. A alegria é o que provê a abundância, prosperidade, os relacionamentos íntimos plenos. É a alegria que te torna irresistível a qualquer um. E então poderão ter o que quiserem, mas antes devem comprometer sua lealdade a essa alegria.

Nós sabemos o quanto amam suas manhãs de segunda-feira. Amanhã já é outra segunda-feira. Como começará o seu dia? Ele começa com uma oportunidade de sentirem-se extremamente motivados a respeito de seu novo voto. Uma lealdade a alegria que não está à venda. E vocês serão testados. Testados por aqueles que foram condicionados, como vocês, a amarem os seus “Eus” a partir de um lugar de compromisso e sacrifício.

Essa lealdade a sua alegria é tão profunda que demandará de você jamais sacrificá-la por nada. Você sabe a respeito da personalidade agora. Você sabe como ela se entrega a todo o seu drama e trauma quando não está no banco de trás. Quando ela se encontra no banco da frente de sua vida, ela tem medo, e esse é o primeiro sinal a lhes dizer para colocá-la no banco de trás (risadas).

Então a alegria ressoa. Então a alegria torna-se seu relacionamento fundamental. Então não há a necessidade de projetar suas necessidades sobre outros, esperando que estes preencham por você o que você não experimentou por si. Amando a si próprio. Este dom único do seu coração compartilhará a si mesmo com o resto do seu planeta, ele sabe que está sendo sustentado por um fluxo contínuo de amor emanado da fonte da vida.

Quando a humanidade estiver pronta para realmente questionar sua própria realidade, sua fundação estará segura o suficiente de modo que você não possa ser abalado? Você permitirá que seu coração seja perturbado? Esta dedicação a alegria já não está em segundo plano em relação a todos os outros compromissos que criaram sua história pessoal. Sua história pessoal é sua história pessoal. Você usa essa história pessoal como uma desculpa para o porquê de você não conseguir se comprometer com essa alegria. A história pessoal lhe contará sobre todas as vezes em que a alegria lhe foi negada. Todas as maneiras como a humanidade não te respeitará se você assumi-la.

No passado, nós nos lançávamos à batalha. Vocês temiam que algo seria tirado de vocês caso incorporassem a preciosidade de sua própria alma – a magnificência de sua própria alma.

Vocês possuem essa crença condicionada da jornada de sua alma de que quando são felizes, outros tentarão extrair essa energia. Eles não conhecem a felicidade, e você passa a se sentir como uma mercadoria.

Criar uma nova história não significa permitir que outros desrespeitem sua natureza soberana.

Essas grandes batalhas estão chegando a um fim. Mesmo aqueles com quem estão lutando, estão cansados da batalha. Eles contam com todos vocês para criar uma solução aqui na Terra, para que também possam, ao seu tempo, encontrar aquela alegria. De modo que possam descobrir e participar de uma realidade que não é polarizada. O novo paradigma é amar a si próprio. Sem isso, sua nova história não possui fundação.

Quando você permite que o amor permeie sua vida, seu corpo começa a irradiar essa presença para qualquer um sentir, e sem esforço. Não requer esforço. Tão logo queiram dançar ao ritmo daquela antiga canção que só transmite dor e sofrimento, você respeitosamente diz não, obrigado. Você começa a notar que aquilo não oferece solução para a natureza dualística de seu dilema galáctico.

Para vocês, gênero feminino – o amor a si pode ser difícil. Tudo o que herdaram, todo o condicionamento do sacrifício, os sentimentos de culpa, reside em vocês profundamente. Embora vocês intelectualmente sintam que tenham se emancipado ao tornarem-se mais mentais, seu coração recorda-lhes que a personificação de sua natureza feminina, a própria Deusa, é servida pela sua mente, sua natureza masculina.

Esse jogo, o de fingir não ser a sua alma, finalmente deu uma virada. Nós lhes honramos profundamente por sua disposição em admitir essa condição de personalidade humana reduzida, a qual se recusa a crer na alegria, se recusa a receber o amor que está disponível a vocês aqui e agora. As soluções que buscam para todos os problemas que enfrentam neste planeta não serão descobertas se continuarem a sacrificar, comprometer e barganhar sua paixão pela vida. Tampouco vocês podem forçar aqueles que não sabem se amar, a passar a dar valor a suas vidas. Em seu tempo e por suas próprias escolhas descobrirão que a vida é sagrada. Você já sabe disso, é a sua vez de começar a viver essa verdade com todo o seu coração.

Você reivindicará este seu momento? Você afirmará que é seu direito de nascença expressar a consciência angélica de quem você é? Consegue permitir que a natureza de sua alma recupere essa relação sagrada dentro de seu corpo?

A manhã de segunda-feira chega amanhã. Está te aterrorizando. O que fará a respeito disso? Sua semana começa com as mesmas rotinas? Ou você acorda e declara sua soberania e sua lealdade a alegria?

Que escolhas faria se sentisse que pode escolher qualquer coisa? O que escolheria? Alguns de vocês já fizeram essa escolha. Escolhas profundas que mudarão seu relacionamento com tudo em suas vidas.

Alguns estão prestes a se encontrar face a face com essas escolhas, e estão começando a sentir o medo. O medo do desconhecido que sugestiona, “se fizerem essa escolha pela alegria, como sustentarão a si próprios?” O medo pede, “mostre-me um modelo de ser humano realizado, e posso até considerar permitir essa escolha”. Nós lhes recordamos que para a maior parte de vocês o único reflexo que verão será o de vocês mesmos.

Amados, nós olhamos aqui para os futuros professores, ainda que seus joelhos sintam-se fracos e tremam um pouco quando dizemos isso. Você se perguntam, “Como faremos isso? Como serviremos a humanidade? Quem dentre nós compartilhará nosso dom único, num momento em que a humanidade está clamando por alívio do sentimento de ansiedade devido a uma realidade que nunca proveu soluções?”

Não haverá celebrações em grupo e concertos de rock gigantescos para celebrar o novo despertar. Acontecerá muito rápido, e aqueles que começarem a questionar suas próprias vidas não terão 30 anos para procrastinar. Podemos assumir essa alegria, ou devemos primeiro mudar o mundo antes de sentirmos que merecemos essa alegria?

Sua dedicação a sua alegria pessoal se encarregará das soluções.

Cada experiência que você tem impacta toda a criação. Toda a criação então dança com o que quer que você esteja ressoando internamente. Se não é alegria, então você estará convidando uma orgásmica festa da piedade para dentro de sua vida pessoal. Que tal isso?

Nós viemos aqui para relembrá-los de que têm realmente uma escolha. Vocês podem incorporar a solução para o seu dilema galáctico. Não está tudo sobre os seus ombros. Nós oferecemos nosso apoio se estiverem abertos para recebê-lo. E então é com vocês descobrir que estão representando uma consciência coletiva. Alguns de vocês talvez sintam uma familiaridade com a Família de Miguel ou de Sananda. Alguns preferem outras famílias. Não importa. Mas vocês não precisam passar por isso sozinhos, nem era pretendido que o fizessem sozinhos.

Aquele que sente que está fazendo isso sozinho deve passar para o banco de trás para que possa experimentar o amor coletivo penetrando nas células de seu corpo. Qual será a escolha quando acordar amanhã? O que fará de diferente a respeito de sua vida que dará credibilidade a esse comprometimento com a alegria? Como adaptará isso?

Nós estaremos observando. Não com julgamento, mas pela oportunidade de perguntar, “estão prontos para realmente desfrutar suas vidas?” Pois não há necessidade de esperar mais. Tão logo façam a escolha, nós celebraremos e juntos sentirão o amor que nos conecta. Não somos as vozes que condenam, julgam ou depreciam. Somos os pensamentos serenos em você que flutuam em ondas de paixão. Somos os que sussurram, “podemos brincar agora?”

Tem havido alguns que incorporaram essa solução. Alguns poucos que sentiram o gostinho, e a humanidade – hmmm... Vocês já conhecem essa história. Vocês vieram para cá aos milhões. Há três por cento desses alguns agora no planeta Terra, e nós sabemos que sua mente diz, “bem, quando estiver em 50 por cento talvez arrisquemos”.

É algo sem preço o que estão negociando. Essa alegria absolutamente não tem preço. É uma jóia que não pode ser manipulada. Ninguém a negociaria caso se permitisse tocá-la. Ninguém jamais consideraria macular essa jóia. Uma vez que você permita amar-se assim profundamente, você não consegue imaginar ninguém tão perfeito quanto você sendo você.

Então, é hora de levar-lhes numa jornada. Nós iremos bem a fundo essa noite. A intenção não é perturbar ninguém. A intenção é acordar-lhes. Tirar-lhes do sonho que estão sonhando. Há outro sonho para sonhar, e é baseado somente na alegria. E aqueles que o estão sonhando também sentem o gosto, percebem, vivenciam, e sabem que não se troca isso por nada. Essa alegria não é sobre escapar da realidade que enfrentam. Ao contrário, é sobre encarar a realidade com a solução precisa que ela anseia por saber. Quanta coragem tem todos vocês simplesmente por estarem aqui neste tempo!

Nós convidamos a Família de Sanada para estar aqui conosco nessa noite.

Nós lhes convidamos a imaginar que sua vida está contida numa casa. Essa casa contêm todas as experiências que sua alma colecionou desde que deixou o reino. O que você chamaria sua sala de estar é o lugar que escolheu para sua auto-expressão, aonde você vivencia a vida. Você teve a sabedoria de projetar sua sala na forma de um círculo. Permitindo a mudança em sua vida, a liberdade de fluir. Sua identidade pessoal nesse ambiente é também bastante influenciada pelos cômodos adjacentes os quais fazem frente um ao outro em lados opostos de sua sala de estar circular.

Um desses cômodos você chama de quarto da luz, aí é onde nós encontramos muitos de vocês. Você alegremente nos convida a entrar no quarto da luz. É lindo. Nós apreciamos muito a sua presença e companhia nesse quarto. Nós notamos que possui quatro paredes, e no teto há uma energia que fala de sua liberdade. Conforme entramos nesse quarto com você, aqui você confia em nós. É este o lugar onde se sente mais confortável para nos deixar estar com você. Você colocou todas as qualidades da natureza da sua alma, suas lembranças do reino, neste quarto. Nós nos sentimos muito honrados por ter também convidado a nós que, como você, nos identificamos com essas qualidades.

Nós notamos que suas quatro paredes também representam diferentes aspectos do que vocês chamam de luz. Nós também percebemos que esses aspectos variam diariamente. Um deles é chamado Compaixão. É uma Compaixão que tem por si mesmos por terem tido a coragem de estar na Terra nesse momento. É uma Compaixão que compreende que o sofrimento e a dor são um subproduto do sentirem-se desconectados de sua própria alegria. Essa Compaixão permite que outros vivenciem a vida livres das suas expectativas. Compaixão – uma energia bastante forte neste quarto, este quarto da luz.

Nós vemos outra parede que você pede que contemplemos. Essa parede você nomeou Auto-aceitação. Aqui você ama seu reflexo como sendo perfeito. Não sente a necessidade de alcançar a perfeição, aqui você se permite ser amado como é.

Você se vira para outra parede, e compartilha conosco uma energia denominada Auto-realização. Aqui você faz escolhas que de fato servem aos desejos de seu coração. Você não compromete sua alegria ou sacrifica seu real valor. Auto-realização trata de ser fiel ao amor por si mesmo.

Nós nos voltamos para a próxima parede, e você com muito prazer nos apresenta a energia que chama de Paciência. Essa energia permite que a vida desabroche sem intervenção. A Paciência pede que você pare de forçar a barra com a vida, acreditando que a mudança virá de fato sob a direção de sua própria alma.

Nós visitamos muitos de vocês nesses quartos da luz. É onde brincamos com você a maior parte do tempo. É por onde entramos através de nosso sócio (Bob). É aqui, dentro desse quarto da luz, que você se sente seguro em presença de sua magnificência. Pois a luz é o reflexo perfeito de todas as qualidades que se lembra de o reino ser. É como você aprendeu a definir a realidade. Representa a verdade, o que é bom, positivo e baseado no amor. Sua memória te serve bem, amado, pois estas são algumas das qualidades que sustentam toda a vida na realidade que chamamos reino ou lar.

Juntos nós retornamos a sua sala de estar. Você compreende que sua sala de estar torna-se um reflexo das qualidades desses cômodos contíguos. O quarto da luz e, é claro, o quarto da escuridão. Você nos diz que passa bastante tempo no quarto da luz, mas nem sempre sente essa presença na sala de estar de sua vida. Nem sempre você se sente paciente, realizado ou tolerante consigo mesmo.

Nós assentimos e perguntamos, “o que há nesse outro quarto?” Você apenas diz que não quer entrar lá. Não está esse quarto conectado a sua vida? Você reafirma que não quer entrar ali.

É o quarto da escuridão.

Realmente, vamos juntos olhar o que mora nesse quarto. Você parece um pouco preocupado pelo fato de querermos visitar esse quarto. Vejamos o quadro todo de modo que possamos te servir melhor.

Você concorda em entrar nesse quarto da escuridão. É o quarto repleto com os seus sentimentos a respeito de sua história. Assim que entramos, a energia que sentimos é um tanto lúgubre. Notamos que seu coração começa a sentir uma dor. Eu, Miguel, ofereço minha espada para irradiar mais luz para descobrirmos o que está escondido aqui.

Tem quatro paredes exatamente como o quarto da luz. Ao virar para uma das paredes, você permanece atrás de nós, e eu leio para você. A parede diz Ira. O que é essa Ira? É esta a mesma ira que sentimos em sua sala de estar? Você está com raiva por não conseguir retornar ao reino? Você está com raiva de Deus/Deusa por compartilhar o dom da criação com Você? O dom que lhes permite criar sua própria experiência em qualquer forma que deseje experimentar a vida? Nós lhes convidamos a honrar essa ira ao olhar para o quarto oposto, o quarto da luz. Que qualidades nesse quarto servem a sua ira? Como a sua compaixão dançaria com a sua ira? Nós lhes convidamos a brincar com essas qualidades opostas e descobrir por si mesmos os efeitos curadores.

Ao fazer isso, notamos a parede da Ira dentro do quarto da escuridão começar a ficar cinza. Nós nos voltamos para a próxima parede, que diz Auto-sabotagem. Sim, há imensa dor quando você nega amor a todos os seus aspectos. Auto-sabotagem requer de você que misture uma presença do quarto da luz para resolver esse sentimento. Nós te vemos convidando a Auto-aceitação e para sua grande surpresa você começa a sentir os efeitos curadores. Assim que o faz, o quarto muda de escuro para acinzentado.

Notamos uma recém encontrada confiança em você enquanto nos viramos para a próxima parede. Mais uma vez, sentimos sua dor enquanto lemos Insegurança. Como um criador de sua própria experiência, você julgou suas escolhas e habilidades e agora se sente despreparado para representar esse presente da vida. Você sente que precisa de mais tempo para aperfeiçoar suas habilidades manifestas. Outra vez nós te convidamos para compartilhar com esse sentimento um aspecto de si do quarto da luz. Você convida a paciência e imediatamente começa a experimentar um renovado sentimento de esperança. Você olha diretamente dentro de meus olhos e reflete de volta um entendimento mais aprofundado de si mesmo. É lindo!

E agora você parece um tanto excitado para nos mostrar a quarta parede. Ressentimento. Você parece gostar de poder compartilhar a sua história. Sim, ressentimento, você se ressente por ter a liberdade de tornar-se uma alma soberana, independente, se isso te traz tanta dor. A vida no reino foi sempre unida a todas as qualidades existentes no seu quarto da luz. Você nunca vivenciou dor, dúvida ou ira. Você descobriu algo profundo. As qualidades da Luz ou do Reino virão até você não importa em que ambiente você se encontre. Você mais uma vez convida outro aspecto da sua luz e o compartilha com esse ressentimento, e testemunha que esses completos opostos são servidos por sua Luz. Outra vez a parede se torna cinza.

Para o teto desse quarto Eu aponto minha espada e te peço para ler o que diz. Sentindo-se um pouco confuso, você lê a palavra Liberdade. Hmmm. Você nos toma pela mão e nos leva de volta a sala de estar. Juntos, vemos o reflexo tangível de seu relacionamento com os quartos da luz e da escuridão. Você se apaixonou por si mesmo ao descobrir a solução para o seu dilema galáctico.

Agora você compreende; você enxerga a relação internamente, com olhos desanuviados. Você percebe que por causa de sua resistência em aceitar a existência da escuridão, você criou uma experiência dualística dentro de si. Nenhum desses sentimentos existia no reino e ainda assim sua percepção da vida fora do reino de fato agora inclui o medo. Você percebe que ao usar as mesmas qualidades da vida que te trazem alegria, compartilhando-as com aqueles aspectos carentes de alegria, você cura a separação.

Uma nova jornada então começa para cada um de vocês. São os Mestres que percebem que a natureza de sua alma mudou desde que deixaram o lar. As qualidades de Deus/Deusa, enquanto no reino, incorporavam somente luz. Eles não conhecem o medo, pois nunca vivenciaram a separação. Não conhecem o quarto da escuridão, mas aceitam que é real, por sua causa. Sabem de sua reação ao deixar o Lar. Encarar o vazio em si proporcionou muitos novos sentimentos por toda a criação. Continuam a te amar, mas agora te recordam que o amor não "vem deles”, está dentro de vocês, sustentado pela presença deles.

Então, isto é para ser bem claro agora. É também para ser prazeroso tornar-se consciente de todos os seus sentimentos e começar a assumir responsabilidade por como quer se sentir. Isto desafiará seu voto com a alegria. Reconhecer seu relacionamento interno polarizado expande sua experiência, e então permite que estados de consciência de êxtase, de alegria, se tornem sua realidade.

Mmmmm, já estão prontos? Podemos esperar? O ponteiro do relógio está andando. O que mais há para fazer? É simplesmente aproveitar sua vida. Parar de fazer qualquer coisa que esteja reprimindo sua primorosa, abençoada, arrebatada relação com a realidade física e transformá-la numa relação prazerosa. Você parecerá fútil. E daí? Não é seu problema. Você é quem está com um sorriso na cara. Não é problema seu.

Deixem ir aqueles que insistem em jogar na dualidade. Eles virão até vocês quando estiverem prontos. Virão até vocês suplicando “como nos livramos dessa dor, dessa miséria”, e vocês compartilharão – faça um voto à alegria. Não requer luta. Não precisa ser difícil. Vocês já estão dificultando. Negar-se alegria é o mesmo que dificuldade em si. Sua alegria não se conformará com nada que não seja baseado em honrar a ela própria.

Lançamos muitos desafios aqui essa noite. Nós os avisamos, haverá uma pequena desintoxicação aqui, sabemos, para muitos de vocês – vocês estão enjoados e cansados disso. Bebam muita água. Um galão por dia. Levem seu galãozinho para o seu trabalho chato e alegremente desintoxiquem-se. Ou fiquem em casa e bebam toda a água que quiserem e permaneçam em estado de graça. Poderia ser assim simples? Em que teriam que confiar?

Nós sabemos que muitos aqui nessa noite e muitos lendo essas palavras gostariam de ter mais abundância, dinheiro. Portanto, se querem que essa abundância permeie sua vida, então tenham uma relação saudável com a maneira como vocês ganham dinheiro. O dinheiro vem a você quando você se relaciona com ele como sendo um reflexo de sua felicidade. Pare de rotulá-lo com todos os condicionamentos e rótulos que tem a respeito dele. Deixe pra lá. É apenas uma forma de troca, mas na dualidade há alguns que o têm, e o resto de vocês tem que lutar pelas sobras. E isso cheira a que?

Para Deus/Deusa, tudo o que Há, é a alegria. E quando você deseja que isso esteja em sua vida, eles dizem, “podemos fazer parte da sua vida?”. Há um mandamento dado a Moisés que ele se esqueceu de escrever (risadas). “Vão brincar minhas crianças!” Mas quando estão na dualidade, vocês não ouvem essa voz, vocês ouvem um pai autoritário, que castiga. Agora é a hora de ouvir a nova voz que em nada tem haver com culpa ou julgamento.

Tudo irá mudar. Isto lhe pede que abra as portas de seus quartos escuros, que sejam freqüentadores assíduos, porque irão aprender que também é alegria compartilhar amor com o medo. Pois o amor que você é não pode ser contido no quarto da luz. Não pode ser contido em lugar algum, e se tentar contê-lo, seu corpo lhe dirá que está doendo conter essa alegria. Ela deve fluir, expandir, expressar-se. No momento em que você acredita em sua vontade de expressar a vida através de todos os aspectos dela, ela começa a se sentir mais completa.

Nós servimos a integridade em cada um de vocês com alegria e paixão.

Miguel.

Tradução: Tânia Kido <tania.kido@gmail.com>

A informação acima é gratuita, sendo permitido imprimir, copiar e distribuir como queira. Seu direito autoral, no entanto, proíbe qualquer forma de comercialização, exceto pelo editor Serving Life.

Fonte: http://ancientwings.com/channel_library.php?channel=000001

Gostou! Indique para seus amigos.

|Topo da Página| - |Voltar Menu A. Miguel/Robert| - |Voltar Home|