Série Reflexões Espirituais
SHAKARAS: O CORAÇÃO DA TERRA
Uma Mensagem de Kara Schallock
16 de Fevereiro de 2012
 
luz de gaia
 
 
O salão estava cheio de emoção. O som do canto, música, risos e conversa animada alcançou-me quando me aproximei do Grande Templo. Cheguei atrasado e quase não vim. Havia algo que não me fazia sentir bem comigo quando veio o convite, carregado no bico do Corvo. O Corvo tinha empoleirado na grande árvore em frente da minha translúcida habitação. Eu caminhei determinado até Ele. Olhamos um para o outro com atenção. Ele pulou mais perto de onde eu estava, e suponho que Ele sabia que eu não estava ansioso para ver o que tinha na boca.

O Corvo pulou para os meus pés e deixou cair o pergaminho e, em seguida, saiu voando; cantando, Ele desapareceu da minha vista. Meu olhar se voltou para o rolo de papel aos meus pés. Ele foi enrolado e atado por uma fita de alfazema.

"Parece bastante inocente", pensei.

"Então por que sinto um mau presságio sobre pegar e ler a mensagem?", perguntei.

Depois de ficar parado, olhando para o pergaminho ainda aos meus pés, eu lentamente me inclinei e peguei. Eu trouxe para dentro e coloquei-o no meu altar. Eu coloquei perto da iluminação de minha vela e a fonte de energia do cristal de brilhante luz roxa que eu uso para guiar o meu dia. O cristal começou a ficar nebuloso e mudar de cor. Um ligeiro arrepio passou pelo meu corpo, enquanto eu sabia que algo grande estava prestes a acontecer.

Eu sentei na frente do meu altar por muito tempo enquanto assistia a toda a minha habitação ser preenchida por uma névoa. Enfim, eu não podia hesitar mais. Lentamente, levantei-me e peguei o pergaminho do altar. Eu segurei a fita do papel em minhas mãos e sentei-me novamente. Finalmente, não tendo o suspense ou a névoa na minha casa, eu lentamente desamarrei a fita e abri a mensagem.

"Sua presença é requerida no próximo Conselho Triunary."

"Exigido! O que é desta vez?! O que poderia ser tão importante para ser requerido estar lá?!" Outro arrepio passou pelo meu corpo quando me lembrei do último Conselho Triunary. Eu tinha tentado avisá-los da vinda da desgraça; da missão fracassada, mas ninguém quis ouvir. Embora eu detivesse o título de Visionário, ninguém prestaria atenção aos sonhos devastadores que eu tinha sobre essa missão há não muito tempo atrás, então por que eles me querem agora; e muito menos ouvir o que eu tinha a dizer?

Lembrei-me, com amargura, da última missão... aquela em que minha própria irmã tinha prometido a segurança de minha amada. Ela tinha falhado; todos tinham falhado, e eu passaria a eternidade sem a minha alma gêmea; aquela que foi legada a mim. Eu estava sequestrado de mim mesmo, ausente em minha solidão, em minha dor e meu isolamento autoimposto.

Mas, como era necessária a minha presença, eu lentamente coloquei minhas vestes cerimoniais, o meu medalhão de ouro, peguei meu cristal, fechei os olhos, e em um segundo apareceram os próximos passos que conduzem ao Templo de Cristal. Ele brilhou sob a luz das sete luas de Shakaras.

Eu lentamente subi os degraus, mantendo a minha cabeça erguida, e entrei no salão dourado. Os sons de alegria que eu tinha ouvido fora rapidamente silenciaram. Lá na frente do salão estava o Conselho... Maitreya, Lord Sananda, Lord Miguel, Comandante Ashtar, Isis Monet (Arcanjo Amabael), o Elohim e todos os outros, juntamente com o Corvo. Eles silenciosamente me observaram enquanto eu caminhava lentamente para tomar o meu lugar.

O Comandante Ashtar continuou falando à multidão reunida. Ele olhou para mim e me pediu para ver o lugar para onde eles estavam fazendo planos para migrar.

"Eu vejo uma estrela brilhante, e, mais além, há um planeta. Este planeta é azul, e, ao olhar mais perto, é muito bonito, com uma plenitude de várias formas de vida. É da Terceira Dimensão."

"Sim! Este é para onde nós vamos, e, Demonet, você também irá."

"NÃO! Não vou! Não vou deixar a minha casa! NUNCA!"

"É requerido pelo Criador. Partimos no amanhecer dos Tons Celestiais."

Neste momento, todos se levantaram enquanto o Conselho deixava o Salão Principal.

"Ordenado para ir!", pensei. "Isso deve ser importante!" Mas não aliviou o medo que eu sentia dentro do meu coração. No entanto, eu sabia que o Criador não nos descaminharia. Eu procurei Isis Monet, que eu sabia que iria me dizer por que tinha que ir a este sistema solar distante. Por qual motivo, se estamos na Décima Segunda Dimensão, fomos chamados para ir a uma existência na Terceira Dimensão? Como sobreviveríamos? Qual seria a sensação? Parecia mais uma vez como traição. Eu fui requerido a ir a este lugar contra a minha vontade. Eu nunca pensei que o Criador iria me trair! Eu podia sentir as lágrimas em meu coração transbordarem e encher meu ser até que elas escorressem sobre as minhas bochechas.

"Mãe, qual é a importância desta missão e por que eu devo ir? Eu nunca fui ordenado para ir em uma missão."

"Demonet, esta é uma grande semeadura e uma que vai levar eras para ser concluída. Aqueles que carregam a vibração do Amor são requeridos a estar neste planeta de destino para aumentar a sua vibração de modo que possa evoluir. Sem nós, não pode. É uma missão significante, e uma para se orgulhar. Você não é um guerreiro, mas você carrega Amor. Este planeta exige esse equilíbrio."

"Bem, isso não soa tão ruim, enquanto eu ainda possa estar interiormente em minha Essência."

"Demonet, há perigo lá. Existe o perigo de esquecer a sua Essência ".

"Oh, não, eu nunca esqueceria."

Isis Monet apenas sorriu enquanto acariciava meu cabelo.

E foi assim que chegamos a este belo planeta, e foi assim que eu me esqueci. Eu só tinha que estar aqui a cada 2.000 anos, e eu prometi para mim a cada vez que eu voltei a Shakaras, que sempre que eu retornasse para a vida na Terra eu gostaria de lembrar.

Voltei à Terra muitas vezes, mas sempre dentro de minha alma eu senti a traição. A Terra era um lugar difícil de estar para mim. Foi difícil lembrar-me da missão, e eu carreguei minhas duas traições como vestindo uma armadura. Isto é, até esta vida. Finalmente, um número de nós começou a se lembrar, e eu percebi que esta seria a nossa última jornada na Terra.

A missão estava próxima de concluir, mas, para que a evolução completa ocorra, todos nós precisamos lembrar quem somos. Mesmo para esta vida eu carreguei a memória da traição. Ela foi carregada pesadamente em meu coração, mas eu sei que deve ser dissolvida para minha missão ser concluída. Esta vida foi a mais difícil; sempre que se recorda da verdade, deve-se promover a coragem de deixar as ilusões morrerem e permitir a Verdade e o Propósito brilharem. Eu tive que desenvolver uma coragem incrível e poder para acreditar que não foi a minha irmã ou o Criador quem trouxe a maldição de traição para mim; fui eu.

Esta vida tem sido cheia de traição, mas eu percebo que, quando se está a mover-se além de uma energia, é preciso enfrentar essa energia, e outra vez, até que a memória plena da Essência seja lembrada e vivida dia a dia, momento a momento. E por isso é que eu aceito a minha própria percepção e criatividade desta energia de traição, percebendo que eu a trouxe para que eu pudesse curá-la, e lembrar o Amor que foi e é o meu destino. Ao fazê-lo, eu vou ter finalmente cumprido minha missão e voltar para a minha amada Casa em paz e em triunfo.

 
-.....---==IoOoI==----.....-
 
  Direitos Autorais:luz de gaia

Reflexões Espirituais por Kara Schallock
Fonte: http://soulsticerising.com/spiritual-musings.asp?NID=3
Site oficial: www.soulsticerising.com
Copyright 2009-2016, Soulstice Rising. Todos os direitos reservados.
Tradução: Vilma Capuano – vilmacapuano@yahoo.com.br

Argumento original: Éder Coorte dos Anjos –eder.persaint@yahoo.com.br
Nota de Éder dos Anjos: esta série faz parte do compêndio de reflexões de Kara Schallock e está publicada originalmente em seu site. É meu desejo e de Vilma Capuano, por meio desta tradução, que você, leitor, possa conhecer uma outra perspectiva do trabalho da autora, uma mais próxima da realidade, pois todo o conteúdo desta série é sua visão pessoal sobre o processo da Ascensão, narrado como experiências e descobertas pessoais. Você poderá notar uma linguagem leve, porém profunda, e instigante na descrição dos fatos, opiniões e insights presentes nesta série, que ainda não foram vistos, ou ao menos não de modo tão óbvio, em outros dos seus trabalhos, como as Notas da Ascensão, com que ela frequentemente nos presenteia; e dos quais este trabalho é mais um complemento.
Boa leitura a todos!
 
 
Gostou! Compartilhe com os Seus Amigos.